Displasia Coxofemoral.

Displasia coxofemoral, Labrador, 9 meses de idade.

A displasia é uma patologia que pode acometer animais de todas as idades e raças, mas em especial as raças grandes e de crescimento rápido como os labradores, pastores em geral, boxers e outras.

A patologia pode ter duas causas distintas: a congênita, que é quando o animal já nasce com o problema e desenvolve sintomas precocemente, por volta dos 6 meses a 1 ano de idade, sem histórico de trauma ou qualquer outro agravante. A outra forma é a adquirida que é quando o animal desenvolve o problema mediante a algumas situações, que podem ser: traumas que levam a sub luxação ou luxação total da articulação, ambientais quando animais muito pesados convivem diariamente com um piso muito liso, onde força constantemente essas articulações, assim como a obesidade e o desgaste natural da articulação desenvolvendo quadros de artroses severas.

O tratamento para displasia depende do grau e da sintomatologia do animal. Podemos ter animais com quadro de displasia severa sem apresentar nenhuma sintomatologia e o contrário também acontece, animais com displasia bem discreta que apresentam sintomatologia muito severa. Os tratamentos podem variar de conservadores a cirúrgicos dependendo do grau da doença. O conservador consiste no uso de AINES, uso bastante o Meloxican e tenho um ótimo resultado associado aos condroprotetores. Depois, na manutenção do tratamento, tenho indicado o uso de terapias alternativas como a acupuntura que tem tido ótimos resultados no controle da dor. Para o tratamento cirúrgico a técnica mais utilizada ainda hoje é a artroplastia excisional de cabeça e colo femoral, a famosa colocefalectomia, mas já existem técnicas mais modernas como a colocação de prótese total de cabeça e colo femoral e acetábulo e a cirurgia de sinfisiodese púbica juvenil, que só pode ser utilizada em cães ainda jovens até 6 meses de idade.

Espero que possamos debater sobre o assunto para maiores e melhores soluções na nossa rotina. A troca de experiências e ideias irá nos favorecer com certeza.

503 respostas em “Displasia Coxofemoral.

  1. Olá. Eu tenho um labrador de 5 meses e 18 dias que está com displasia genética. Amanhã será a cirurgia dele. A médica resolveu fazer uma sinfisiodese púbica juvenil, embora ela ache que ele está um pouco acima da idade recomendada…

    O senhor sabe me dizer qual a porcentagem de chance da cirurgia dar certo? Ela optou por ela porque o Thor aparenta estar bem, sem dores, e, além do mais, eu não tenho como pagar uma cirurgia mais cara do que essa…

    Estou bem triste porque em maio perdemos um akita de 14 anos e nem bem o luto foi superado, veio esse problema com um cãozinho tão novo… Tenho medo de perdê-lo.

    Muito obrigada.

    • Boa tarde! Tenho uma bulldog inglês com pouco mais de 2 anos que foi diagnosticada com displasia. Como indicado pelo veterinário, foi feita a cirurgia de “cortar o nervo”(Denervação capsular percutânea), e ele me informou que, como não sentiria mais dor, ela voltaria a andar normalmente. Após a cirurgia ela ficou 15 dias em repouso, e ainda não está andando normalmente, muitas vezes anda “mancando”. A cirurgia foi realizada há mais ou menos 40 dias. Esse sintoma indica que ela ainda sente dor ou que a cirurgia não teve sucesso? o que deveria ser feito agora? obrigada!

      • Boa tarde Ana Luisa.
        Com a cirurgia de denervação o animal pode voltar a sentir dor, as cirurgias que resolvem definitivamente a displasia são a prótese total de quadril e a colocefalectomia.
        Att.
        Dr. André Carneiro

  2. A propósito, o senhor fez essa cirurgia nesse labrador aí do raio-x, foi? Como ele ficou?

    A cirurgia do meu cãozinho foi hoje pela manhã, correu tudo bem até agora. Mas só daqui a algum tempo é que saberemos se deu resultado.

    O senhor tem muita experiência com essa cirurgia? Quais resultados tem obtido?

    Obrigada!

  3. Oi!
    Olha, desculpe mas vc não deixou seu nome então vou chamar de você.
    A avaliação dos resultados é mais demorada, pois é necessário fazer acompanhamento periódico com exames radiográficos para avaliar a cobertura do acetábulo, que é uma parte do osso do quadril onde encaixa o fêmur. A cirurgia de sinfisiodese púbica tem o intuito de cauterizar a placa de crescimento do púbis, fazendo com que o acetábulo recubra de forma mais uniforme a cabeça femoral. Mas certamente a veterinária do seu animal fará uma boa avaliação.
    Em relação ao cão do artigo acima não foi realizada nenhuma cirurgia pois o proprietário não quis fazê – la, mas ele está bem, sem dor e sem apresentar sintomas, está fazendo acupuntura e usando condroprotetores, mas o proprietário está ciente dos riscos futuros.
    Se você for do RJ, existe o Dr. Rubens Bittencourt que inclusive fez uma tese de mestrado justamente em sinfisiodese.
    Depois me diz de onde você é, e manda notícias do seu cão.
    Obrigado pela visita e continue nos visitando!
    Dr. André Carneiro

    • Boa tarde, meu nome é Julliana Sadde, tenho um yorkshire de 8 meses, e a 1 mes ele sofreu uma fratura na cabeça do fêmur, e o osso necrosou. A veterinária indicou a cirurgia e colocar uma prótese, queria saber quanto mais ou menos é o preço e quais são as chances para que tudo de certo !

      obrigada !

      • Boa Noite Juliana.
        Fraturou e depois necrosou? Ou fraturou pois estava com necrose?
        Nos cães de pequeno porte pode ocorrer um problema chamado Necrose Asséptica de Cabeça e Colo Femoral, ocorre uma diminuição da densidade óssea no local e pode levar a fratura. Para animais pequenos como o seu não sei se existe prótese, mas a cirurgia de colocefalectomia é bastante eficiente para esses animais.
        Att.
        Dr. André Carneiro

    • Boa noite Dr. André Carneiro.

      Tenho uma Rottweiler de aproximadamente 8 anos e pesa uns 40kg.

      Ela está com displasia coxofemural.

      O Sr. Indicaria a cirurgia neste caso? Se não, em que casos o Sr. indicaria a

      cirurgia, ou qual o melhor tratamento para amenizar o caso dela?

      Obrigado Dr. boa noite.

  4. Olá! Parabéns pelo site e pelo conteúdo.

    Tenho uma lab chocolate de 9 meses e na radiografia feita no último sábado (15/01), o laudo acusou displasia moderada. Após análise feita pelo meu veterinário, ele observou que existe uma elevação na cabeça do fêmur que está roçando, causando esse incômodo nela. Embora eu more em casa, levo todos os dias para caminhar, visando drenar energia e manter o peso e ela num determinado momento, sempre no final da caminhada, começa a “travar”, anda mais devagar e observo pelo rabo dela que a animação não é a mesma que no inicio da caminhada. Presumo que seja pela dor. Pela idade, ele achou que não fosse necessário ainda acupuntura nem cirurgia mas passou uma patologia diária durante 2 meses. Segue a fórmula:

    Condroitina – 200mg
    Glucosamina – 300mg
    Colágeno – 50mg
    Vitamina C – 50mg
    Manganês Quelato – 20mg
    60 caps.

    Gostaria se possível que o senhor me desse uma segunda opinião sobre essa fórmula pois nenhuma das substâncias foi citada no artigo acima. Além da fórmula, ele indicou que eu desse a ração Royal Canin para Labradores que já contém condroitina e glucosamina, deixando o organismo eliminar naturalmente o excesso, se preciso for. Atualmente eu dou a Royal Canin Junior para cães até 15 meses.

    Desde já agradeço e mais uma vez parabéns pelo site e iniciativa de transmitir o conhecimento àqueles que o buscam.

    Grande abraço,
    Patrick Cramer
    Niterói – RJ

    • Olá Patrick!

      Obrigado pela visita, se possível divulgue o site para seus amigos.
      Vamos lá, esse “travar” do seu cão após o exercício pode ser realmente dor, pois ele exige muito de uma articulação que está com o “encaixe” prejudicado, causando assim um atrito entre os ossos. Essa associação de suplementos que o veterinário prescreveu é justamente o condroprotetor que cito no artigo, a ração da Royal para labradores tb é um bom negócio.
      Nos meus atendimentos eu sou a favor de fazer o tratamento tanto cirúgico quanto o alternativo o quanto antes, pois assim se minimiza o quadro doloroso do animal. Geralmente recomendo a cirurgia e após a cirurgia encaminho para acupuntura e fisioterapia para um restabelecimento mais rápido do animal.
      Mas siga as recomendações do veterinário responsável pelo seu animal, a avalie a resposta do seu cão, alguns animais respondem muito bem ao tratamento conservador.
      Obrigado mais uma vez pela visita e continue nos visitando sempre.
      Dr. André Carneiro

      • Bom dia

        Estou pedindo ajuda para uma linda cachorra mestiça de Pastor que está em Morretes em um estado lastimável, sem poder andar e com muita dor e a família responsável não tem condições em arcar com as despesas da cirurgia as quais já me informei são caras, peço para as pessoas que amam os animais para que ajudem-nos a amenizar o sofrimento da Lessi este é o nome dela e tem 8 anos é linda, ela não consegue andar e sente muita dor, é muito triste ver um animal sofrendo assim, alguém que tenha conhecimento com alguma clinica ou veterinário que fizesse esta cirurgia sem custos,

        Contatos pelo telefone 41 3462.3776 em Morretes

        Agradeço desde já
        Vera Rigon

      • Olá Vera,
        Infelizmente não conheço no Paraná, mas fica aqui seu pedido, caso algum colega do Paraná possa ajudá-la peço que me dê retorno para que possamos também divulgar o nome do nobre colega.
        Grato desde já André Carneiro

  5. Bom dia…gostaria de saber um pouco mais sobre a sinfisiodese em caso de animais filhotes com indicio de displasia, me disseram que o ideal é que se faça até os 5 meses do cãozinho….animais com 6 ou 7 meses não terão beneficio algum com a técnica?mto obrigada

    • Olá Juli,
      Esta é uma técnica simples que foi desenvolvida em 1996.
      Assim como a osteotomia tripla, a sinfisiodese é indicada em pacientes jovens que não apresentem alterações muito significativas na articulação. O ideal é que o animal esteja entre 16 e 20 semanas de idade. Quanto mais jovem o animal vier a ser operado, melhor será o resultado da cobertura acetabular, pois em pacientes com idade superior a 24 semanas esta técnica tem demostrado não ser capaz de produzir uma rotação acetabular suficiente para evitar a progressão da doença articular à longo prazo.
      O objetivo desta técnica é interromper o processo de alterações articulares que levam futuramente à subluxação ou luxação articular e as lesões degenerativas da articulação coxofemoral características de
      osteoartrose.
      Logo após a cirurgia o paciente poderá ser levado para casa, com cuidados pós-operatórios mínimos e sem restrição de exercícios. Esta técnica tem as vantagens de possuir um curto tempo cirúrgico, reduzidos requerimentos em equipamentos e instrumentação, além de ser a única técnica cirúrgica que permite tratar as duas articulações em um único procedimento.
      Grato e espero poder ter ajudado, mande notícias do seu cãozinho depois da cirurgia.
      Dr. André Carneiro.

  6. olá, tenho um Bulldog ingles de 4 meses com diagnóstico de displasia severa…. gostaria de saber quais as recomendações e qual especialista voce me indicaria para meu caso, estou em São Paulo

    • Olá boa noite!

      Em São Paulo tem o Dr. João Guilherme Padilha Filho.

      Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias de Jaboticabal, Departamento de Clínica e Cirurgia Veterinária.
      DEPARTAMENTO DE CLÍNICA E CIRURGIA VETERINÁRIA – UNESP
      14870 – Jaboticabal, SP – Brasil
      Telefone: (16) 32092626 Fax: (16) 3202427

  7. ola
    tenho um pastor belga que esta muito debilitado.
    resido no rj.
    para levantar-se precisa de ajuda.
    ja usa condroitina e glucosamina.
    iniciou recentemente uma semana de firocoxib; ja fez uso de tramadol com carproflam por longo periodo que culminou com hemorragia gastrointestinal.
    solicito indicação de veterinario especializado e de preferencia que atenda em casa.
    esse dr. ruben é da vet clinic?

    • Olá Andréia,
      Obrigado por sua visita, sim o Dr. Rubens é da Vet Clinic que fica na Gávea, onde vc mora? Eu tb moro no Rio e faço atendimentos em domicílio.
      Querendo fazer contato mande um email para: andrcarneiro@yahoo.com.br e deixe um nº para contato, terei grande prazer em ajudá-la.
      Grato Dr. André Carneiro.

  8. BOM DIA,

    TENHO UM LINDO LABRADOR CHOCOLATE DE 7 MESES. NA SEMANA PASSADA EU E MEU NOIVO FOMOS PEGO DE SURPRESA COM A NOTICIA DE QUE NOSSO ANIMALZINHO ESTA COM DISPLASIA SEVERA COM LUXAÇÃO, ESTOU AGUARDADO O PARECER DO VETERINÁRIO MAIS MEU CORAÇAO NAO ESTA TENDO PAZ. QUERIA SABER QUAIS SAO OS RISCOS QUE O MEU ANIMALZINHO CORRE E SE A CIRURGIA SERA CAPAZ DE DAR UMA VIDA ” NORMAL” PARA O MEU ANIMALZINHO!

    • Olá Raquel, obrigado pela visita!
      Se o seu animal com 7 meses já apresenta displasia severa com luxação, possivelmente ele tem uma displasia congênita, ou seja, ela já nasceu com isso.
      A cirurgia é sim capaz de dar uma vida completamente normal ao seu animal, sem sombra de dúvida. Quanto mais jovem o animal mais rápido ele se adapta a nova situação, é uma cirurgia tranquila.
      Mantenha-me informado.
      Grato Dr. André Carneiro.

  9. ola Dr. Andre

    hoje eu recebi a parecer do medico. ele disse que será necessário o implante de uma protese no fêmur e a cirurgia vai fica em torno de 2.800 reis, isso pela UFMG. queria saber do senhor se você conhece algum meio de fazer a cirurgia com um custo menor? ou tem outro local em minas ( belo horizonte) que o custo seja menor? independente do preço eu vou faze a cirurgia pois amo meu animal como se fosse um filho!

    • Olá Raquel,
      Existem diversos tipos de cirurgias para correção de displasia e a prótese é uma delas, não conheço ninguém em BH. Depois vc da uma olhada no post artroplastia total de quadril, que tem todo o procedimento de colocação de prótese.
      Boa Sorte
      Dr. André Carneiro

  10. Tenho um boxer de 6 anos que está com displasia coxofemoral. Ele recentemente apresentou um crise…andava um pouco e sentava e foi medicado com rimadyl e repouso durante duas semanas. E está bem caminha , pula , corre normal ,mas na medida que se agita muito ele volta a sentar demonstrnado desconforto logo depois de descansar volta a andar normal. Levei ele no veterinário e foi detectado displasia moderada. A minha dúvida é se sigo o tratamento clinico com medicação pra controlar a dor e condroton e espero a doença avançar pra um estágio mais severo ja que é degenerativa e sei que vai se agravando com o tempo ou faço agora a cirurgia. Meu medo é que se ele responder bem a medicação derrepente fique um tempo considerável andando bem …tenho medo de fazer a cirurgia agora porque sei que a movimentação dele não será a mesma de antes.Será que espero avançar pra um estágio mais severo para fazer a cirurgia??? Ou tem problema deixar agravar mais???

    • Olá Elis! Obrigado pela visita!

      Primeiramente, quem disse a você que ele não voltará a andar como antes após a cirurgia? Certamente não foi o seu veterinário, você disse bem: “o seu medo”. Será que o seu medo não vai causar ao seu animal um desconforto por um tempo mais prolongado, dor crônica é bastante debilitante, ele pode controlar bem com AINES e Condroprotetores e daqui a algum tempo ele pode ter uma crise mais severa, como você disse é uma doença degenerativa e a tendência é agravar, será que quando agravar ele terá condições para uma cirurgia, ele poderá ter uma idade bem avançada o que pode ser um impecílio para a realização da cirurgia naquele momento futuro, as condições orgânicas e cardiopulmores podem não ser tão satisfatórias como as de agora que ele ainda tem 6 anos.
      Bom Elis, eu sou adepto de se operar o quanto antes, assim evitamos qualquer tipo piora do quadro, não é bom o seu animal ficar sentindo dor por todo esse tempo.
      O animal pode sim ter uma redução na utilização do membro por um período transitório, mas com o passar do tempo e um bom acompanhamento pósoperatório isso se resolve tranquilamente. Costumo sempre associar no pósoperatório dos meus pacientes fisioterapia e acupuntura, tenho tido um ótimo resultado.
      De onde você é?
      Grato Dr. André Carneiro

      • Boa noite Dr. Andre! Meu nome é Jacqueline, sou de Curitiba, tenho uma maltes com 6 anos de idade, o diagnostico da veterinária mediante raio-x foi de displasia coxofemoral. Estou com dificuldades de encontrar um cirurgia Veterinario em que eu confie, e que tenha boas referencias, pois já ouvi sobre cirurgias que nao tiveram sucesso. No caso da cirurgia/método escolhido ser a retirada da cabeça do fêmur, quanto tempo demora para a recuperação? Moro em um apartamento pequeno com a minha maltes e um shi-tzu ambos dóceis-amigos da mesma idade. Me preocupo com a recuperação da minha cachorrinha, amo demais meus bichinhos e nao quero que sintam dor, mas também nao quero que a cirurgia deixe seqüelas como paralisias ou ficar paraplégica. Obrigada pela atenção e se tiver um profissional em Curitiba para indicar favor enviar via seu blog ou e-mail jacquelinedalcim@gmail.com

      • Bom dia Jacqueline.
        A recuperação da cirurgia é tranquila e demora em torno de 60 dias para uma total recuperação. Infelizmente não conheço ninguém em Curitiba.
        Att.
        Dr. André Carneiro

  11. Olá Dr. André!
    Sou de Santa Maria -RS e foi na UFSM que me deram esse parecer do meu boxer. Lá me indicaram a cirurgia e depois fisioterapia durante um mês três vezes por semana e fazer a cirurgia primeiro em uma perna e depois na outra. Não precisaria mais tempo de fisioterapia?? Dr. com a cirurgia e tomando condroton por toda a via como me indicaram ele pode ficar bem por bastante tempo???

  12. Desculpe , corrigindo minha pergunta: Dr. com a cirurgia e tomando condroton por toda a vida como me indicaram ele pode ficar bem por bastante tempo???

  13. Olá Dr. André,

    Sou de Curitiba e tenho um labrador fêmea de 9 anos e está com displasia coxo femural nos dois lados. No contato com o primeiro ortopedista foi recomendada a cirurgia que apenas “cortaria o nervo” que transfere a dor ao cérebro e ela não sentiria mais dor, mas não mexeria na cabeça do fêmur. Já no segundo contato, com outro ortopedista, me recomendaram “cortar a cabeça do fêmur” para resolver o problema (acredito que essa seria uma cirurgia mais evasiva). Não estou usando uma linguagem médica portanto não sei se consegui ser clara. Mas a dúvida é: O que é mais indicado para ela nesta idade? O que resolveria realmente o problema? O maior problema é a dor? Será que mais tarde na primeira situação não poderia ocorrer luxação ou algo pior??
    Grata pela atenção.
    Scheyla Marques

    • Olá Scheyla,
      Primeiramente devo dizer que meu irmão esteve em sua cidade no último final de semana e disse que é linda! Pretendo conhece-la também.
      Vamos lá, o seu animal ainda caminha bem, tem crises esporádicas e o grau de displasia é de pequeno a moderado, se suas respostas foram sim, eu optaria por realizar a colocefalectomia, que é a retirada da cabeça do fêmur. A sua última pergunta é muito pertinente, e a resposta é sim, ele pode quando mais velho agravar essa luxação, tendo em vista que é uma doença degenerativa. A cirurgia de Denervação capsular percutânea, que é a de “cortar o nervo”, eu recomendo a animais que já estão em fase bem avançada e não possuem condições satisfatórias para uma cirurgia mais longa, uma vez que ela não resolve o problema em 100%, ela apenas bloqueia a passagem de impulsos nervosos que geram a dor no animal mas o problema ainda está lá. Já li alguns artigos que relatam, que animais tratados com denervação podem voltar a ter sensibilidade dolorosa após a cirurgia, fato esse que não ocorre na outra cirurgia.
      Tenho um post antigo no blog que fala sobre essa cirurgia de “cortar o nervo” depois da uma olhada, e tb tem uma de colocefalectomia só que num gato mas o procedimento é o mesmo.
      Grato pela visita e espero poder ter ajudado.
      Dr. André Carneiro
      PS: Mantenha-me informado!

  14. José Ricardo
    Ola Dr. sou de Bauru-SP e tenho um boxer macho branco com 6 meses de idade, e faz umas duas semanas que ele não se alimenta direito e só quer dormir, e algumas vezes quando a gente ia brincar, ele chorava caso pegasse nele de alguma forma principalmente no quadril, tenho medo que seja esse problema de displasia coxofemoral, ainda não levei no vet, mas gostaria de saber se é normal ele não se alimentar e só querer dormir? E se essa dor pode ser de displasia ou pode haver outra causa? E devo cessar as caminhadas com ele? Agradeço e aguardo resposta.

    • Olá José Ricardo, obrigado pela visita!
      A resposta da sua pergunta é positiva, pode sim ser um quadro inicial de displasia mas vc deve levá-lo ao veterinário para que se possa fazer um diagnóstico preciso do seu animal. Antes de tomar qualquer iniciativa procure um veterinário na sua cidade para fazer o dignóstico e ver se realmente é displasia o problema do seu animal.
      Grande abraço Dr. André Carneiro
      Mantenha-me informado!

  15. Olá Dr André.
    Me chamo Tania,tenho uma rottweiler com 10 meses, foi diagnosticada com displasia quando tinha 6 meses. Desde então ela toma Condroitina e faz radiografias a cada 3 meses.
    Ontem foi feita uma radiografia e o quadro se agravou,o veterinário indicou a
    cirurgia de retirada da cabeça do fêmur, gostaria de saber se essa é a melhor opção , se realmente ela não sentirá mais dor e se tem algum risco para ela.
    Muito obrigada!

    • Olá Tânia, obrigado pela visita!
      Sim essa é a melhor opção, tendo em vista o agravamento do quadro do seu animal. Com a cirurgia seu animal não sentirá mais dor, pois não haverá mais o “atrito dos ossos”,o que causa dor no seu animal. O risco da cirurgia é o mesmo de qualquer outra, sendo seu animal um jovem de 10 meses e feitos todos os exames pré-operatórios o risco é o menor possível. Sempre lembrando que qualquer procedimento cirúrgico tem um risco.
      Mantenha-me informado grato Dr. André Carneiro.

    • Olá Tania, tudo bem???
      Como ficou seu animal após a cirurgia? Tambem tenho uma rotweiller na mesma situação. A cirurgia dela será feita no dia 25/08.
      Obrigado.

  16. BOA TARDE!!! TENHO UMA LINDA PASTORA DE 10 ANOS, ELA FOI DIAGNOSTICADA COM DISPLASIA COXOFEMURAL DOS DOIS LADOS E JÁ NÃO ANDA MAIS, NÃO FOI POSSÍVEL UMA CIRURGIA NELA POR CAUSA DA IDADE AVANÇADA, GOSTARIA DE UMA SEGUNDA OPINIÃO, JÁ QUE ELA É UMA CACHORRA SUPER SAUDÁVEL E ESPERTA.
    ESPERO RESPOSTA OBRIGADA!

    • Olá Melissa,
      Vamos ao quadro do seu animal. A cirurgia foi contraindicada devido a idade, ou os exames pré operatórios revelaram algum empecilho para a cirurgia?
      Sendo realizados todos os exames e estando tudo normal, não vejo impedimento algum para a realização da cirurgia. Sendo ela um animal sadio, apesar de ter 10 anos, a cirurgia é plenamente possível.
      Grato e continue nos visitando
      Dr. André Carneiro.
      Mantenha-me informado!

  17. Olá!

    Possuo um Golden Retriever de 6 anos que exibe algum problema nas articulações desde a juventude. Infelizmente não tive dinheiro para fazer radiografias e me mudei da Bahia para São Paulo, onde tudo é mais caro. Nos últimos anos não tive oportunidade de buscar um tratamento adequado pra ele. Todos os veterinários que visitei minimizaram o problema, e mandaram apenas que ele fizesse exercício para fortalecer a musculatura. Moro em um apartamento com chão liso, onde ele não consegue sentar e caminhar adequadamente, o que me levou a crer que era apenas uma questão de má postura.

    Embora ele não demonstre dor (deixa pegar e manipular qualquer parte dos membros ou quadris), com o tempo, o problema foi se agravando, e ele passou a também escorregar na calçada ou em pisos ásperos, o que significa que não posso levá-lo para fazer exercício prolongado, o que dificulta todo o processo de fortalecer a musculatura. Hoje um veterinário de uma Pet Shop ia me cobrar 1000 reais para fazer uma radiografia e uma sessão de acupuntura, porque ele claramente possuia “displasia severa”. Com o pouco conhecimento que tenho da doença – sei que não é possível diagnosticar sem radiografia – impedi o procedimento. Mas estou muito preocupado, porque sei que ele precisa de radiografia e tratamento, mas não possuo esse dinheiro, nem tenho condições financeiras para bancar mais de 500 reais em remédios todo mês.

    Vim então procurar tratamentos alternativos na internet, e acabei caindo no seu blog (que, por sinal, é incrivelmente informativo e está agora nos meus favoritos!). Não sei quem procurar para cuidar do meu cachorro, uma vez que moro com meus pais e não possuímos esse tipo de dinheiro.

    O Doutor saberia informar se existe cirurgia indicada mesmo para casos moderados de displasia? Ou qual o custo em média dos tratamentos disponíveis? Alguma indicação de local onde eu possa fazer uma radiografia de baixo custo? Não gostaria de deixar o animal sem cuidados por falta de dinheiro, e preferia tratar logo, antes que o quadro se agrave. Ficarei eternamente grato se puder me ajudar.

    Peço desculpas pela longa mensagem e agradeço de antemão!
    *Não coloquei o nome por privacidade, mas o e-mail pessoal está disponível!

    • Boa noite, obrigado pela visita!
      A displasia é uma doença degenerativa e a tendência é agravar com o tempo, realmente o diagnóstico definitivo de displasia é baseado em exames radiográficos.
      Geralmente nas universidades é mais em conta, avalie a possibilidade em São Paulo existe a UNESP e a USP.
      Dr. André Carneiro

  18. Olá Dr. André, boa noite!

    Tenho um filhote de pastor alemão com 7 meses que recebeu diagnóstico de displasia de grau grave. Ela sente muita dor e ultimamente quase não anda, fica deitada o dia todo. Ontem levei ela até uma ortopedista veterinária que, no momento, não indica cirurgia. Receitou Artrin, Previcox, Tramal e Dipirona. Estou iniciando esse tratamento, mas como estou vendo o sofrimento dela, não sou veterinária, mas acho que o ideal seria o tratamento cirúrgico. Eu também estou sofrendo muito por vê-la nesse estado. O senhor acha que é possível fazer essa cirurgia? Tem algum cirurgião para indicar aqui em São Paulo (capital)?
    Desde já agradeço sua atenção.
    Elisangela Serra

    • Olá Elisangela, obrigado pela visita!
      Cada profissional tem sua conduta, nos casos de displasia severa, mesmo o animal sendo jovem, eu opto pela cirurgia o quanto antes para aliviar o quadro doloroso do animal.
      Em São Paulo existem vários ortopedistas veterinários, na UNESP tem o Prof. João Guilherme Padilha Filho.
      Espero poder ter ajudado e volte sempre.
      Dr. André Carneiro

      • Quais as sequelas que a cirurgia de remoçado da cabeça do femur deixa no cão ?,pois tenho um labrador de 8 meses e o caso dele é grave, o veterinario orientou a cirurgia , pois nao a tratamento neste caso

        ps. a displasia esta nas 2 patas.

      • Boa noite Bruno,
        Não existe sequela nesse tipo de cirurgia, ocorre um discreto encurtamento do membro mas como o animal se apoia em 4 membros isso se torna imperceptível.
        Att.
        Dr. André Carneiro

  19. Olá meu nome é Gutemberg Santiago, resido em Campina Grande – PB… meu filhote de sete meses acabou de fazer esta cirurgia devido a displasia, aliás é incrível a radiografia dele é quase idêntica a desta página… pergunto se devo me preocupar com seu peso pro resto da vida dele, atualmente ele pesa 19,2 kg. E se devo fazer exercícios com ele? Muito Grato!

    • Olá Gutemberg, obrigado pela visita.
      Em relação ao controle de peso é sempre bom, não sei qual foi a técnica utilizada e se foi feita dos dois lados, portanto é bom manter o controle de peso.
      Em relação aos exercícios converse com o veterinário responsável pela cirurgia, no início não é indicado o exercício muito intenso caminhadas leves são suficientes, a fisioterapia também é uma boa opção.
      Espero ter ajudado
      Dr. André Carneiro

  20. Boa noite, Dr. Andre.
    tenho um cazinho SRD de 4 anos, que estava displasia. Nao sei qual o grau dela mas fizemos a cirurgia dele para a correção ja faz 15 dias e infelizmente ele nao esta recuperando bem… não esta comendo direito, as vezes até se urina ..nao sei é por preguiça de se levantar ou por dor quando levanta. Não sei mais o que fazer, o veterinário nos informou que ele ja deveria estar colocando a patinha no chão mas ele ainda nao consegue.Fica andando o a pata sem encostar no chão…gostaria de saber se esses sintomas são normais e se ainda demora muito para voltar a andar normalmente.
    obs: o veterinário falou que deveriamos movimentar a perna dele para nao “atrofiar” mas ele chora toda vez que tentamos fazer a fisioterapia em casa.
    desde já agradeço sua atenção…

    Jéssica Sant’Anna

    • Olá Jéssica, obrigado pela visita.
      Geralmente em 15 dias os animais já apoiam a pata no chão e caminham apoiando o membro. Não sei qual técnica foi utilizada na cirurgia, mas sempre recomendo no pós operatório sessões de acupuntura e fisioterapia, isso otimiza bastante a recuperação. O peso do animal também influencia na recuperação, quanto mais pesado mais demorada pode ser.
      Grato Dr. André Carneiro
      De qual estado você é, Jessica?

      • Sou de Canoas , Rio Grande do Sul.
        O peso do meu cão agora é 15 kg, esta magro pois antes de decubrirmos a doença pesava 19 kg.
        Obrigada pela atenção…

  21. Olá Dr. André Carneiro,
    Hoje tive a infeliz notícia que a minha Bulldog de 11 meses está com displasia coxofemoral, foi descoberta através de uma radiografia realizada por um veterinário.
    Tenho algumas dúvidas, se você puder me ajudar, ficaria muito agradecido.
    Ela também está com luxação patelar, será que é decorrente da displasia?
    Ela está um pouco manca nas patas da frente, tem alguma relação com a displasia?
    O veterinário receitou OSTEOCART PLUS 1x ao dia, é o recomendável?
    A sinfisiodese púbica juvenil é indicada pra ela (com 11 meses de idade)?
    Moro em Florianópolis/SC, gostaria que você me indica-se um veterinário especialista neste tipo de doença que resida na minha cidade, para que minha Bulldog receba o tratamento mais adequado possível.

    Muito obrigado pela atenção,

    Alexandre Caruso.

    • Olá Alexandre, obrigado pela visita!
      Vamos as dúvidas!
      A luxação patelar pode existir independente da displasia.
      A claudicação dos membros anteriores pode ser sobrecarga devido a displasia. Mas vale a pena investigar outras possibilidades.
      Sim o Osteocart é indicado nesses casos.
      A sinfisiodese púbica juvenil é recomendada até os 6 meses no máximo.
      O procedimento vai depender do profissional que o avaliar, nesses casos eu faço a Artroplastia de cabeça e colo femoral.
      Infelizmente não conheço ninguém em Florianópolis para te indicar. Procure no conselho regional de veterinária da sua região profissionais cadastrados.
      Espero poder ter ajudado.
      Dr. André Carneiro.

      • Olá Dr. André,
        Obrigado pelas informações.
        Quero aproveitar o espaço para dizer que pessoas como você enaltecem a profissão de Veterinário, ajudar as pessoas e não somente visar dinheiro como muitos veterinários fazem é muito legal.
        Parabéns pelo seu blog!
        Obrigado,
        Alexandre Caruso.

  22. Olá, Doutor.

    Tenho um cachorro sem raça definida, prestes a completar dois anos. Há aproximadamente um mês começou a marcar com a pata esquerda, sem apoiar o peso do corpo nela, apesar de não parecer sentir dor nenhuma ao toque ou ao esticar a perna – andando a todo tempo, pulando para subir na cama, correndo (neste caso com esta pata um pouco levantada). A veterinária que o acompanha desde pequeno fez o exame clínico, não observou nada anormal e receitou 10 dias de anti-inflamatório. Após esse período, sem melhoras, indicou a radiografia coxofemural, que, segundo o laudo, detectou displasia bilateral, mais acentuada no antímero esquerdo, com luxação coxofemural e discreta subluxação no direito, com leve rasamento e pouca cobertura da cabeça femural. O veterinário que bateu o raio-x ao entregar o laudo fez indicação cirúrgica para extração da cabeça do fêmur na pata esquerda e uso de medicamentos (Condroton 1000) e ração Proplan Senior para que não seja necessário o tratamento cirúrgico na pata direita. Quero saber se a cirurgia é realmente necessária, quais os riscos e se só o uso dos medicamentos e ração adequada já não daria a ele qualidade de vida, ou seja, não sentir mais dor, que hoje já consigo notar levemente. No caso de fazermos a cirurgia, como é o pós-operatório, geralmente? Ele voltaria a andar normalmente ou só não sentiria mais dor? A cirurgia é um procedimento definitivo, ou seja, a displasia na pata operada não apareceria mais? E o medicamento preventivo para a pata direita, é usado temporalmente ou por toda a vida do cão?

    Outra informação que, creio, pode ser importante para sua avaliação, já que não tem como ver o cachorro: ele tem 13kg, considerado de pequeno-médio porte, sem nenhum problema de obesidade.

    Grata,

    Suéllen Rodrigues

    • Olá Suelen, obrigado pela visita.
      O tratamento cirúrgico é o mais indicado na grande maioria dos casos, o tratamento com base em antinflamatórios e condroprotetores é uma opção mas não trata em definitivo.
      O pós operatório é bem tranquilo e geralmente o animal volta a apoiar o membro normalmente sem nenhum problema.
      A medicação a base de condroprotetores é por toda vida.
      Espero poder ter ajudado.
      Dr. André Carneiro

      • Obrigada pelo retorno Dr. André.

        Como é preciso ter alguém com ele durante os primeiros dias de pós-operatório, provavelmente só terei como fazer a cirurgia nas últimas semanas de dezembro, devido a compromissos de trabalho. Já iniciei o uso do condroprotetor e da ração para cães com mais de 7 anos que, segundo o veterinário responsável pela realização do raio-x e diagnóstico, são na verdade medidas para evitar que a pata direita também seja comprometida a ponto de ser necessário também cirurgia-la. Tenho ainda algumas questões que, se puder, peço que me responda:

        1) Em casos de diagnósticos como o do meu cão, displasia bilateral, de fato podemos “proteger” a pata menos comprometida apenas com os medicamentos ou o comum é que, com o passar do tempo, seja necessário uma cirurgia também nesta outra pata?

        2) O fato de só ser possível realizar a cirurgia daqui a aproximadamente 40 dias pode agravar seriamente o quadro dele ou prejudicar muita a displasia da perna direita, que hoje não tem indicação cirúrgica? Pergunto porque com um período mínimo de 10 dias de pós-operatório até a retirada dos pontos, não tenho como antecipar o procedimento cirúrgico, mas me preocupa saber que ao mancar ele acaba sobrecarregando a pata que ainda tem apoio no chão

        3)Há alguma recomendação, seja sobre hábitos, espaço, alimentação para que eu observe ou mude na rotina dele nesse período anterior à cirurgia?

        Grata,

        Suéllen Rodrigues

      • Olá Suéllen,
        Vamos as respostas:
        1) A displasia é uma doença degenerativa, portanto, o tratamento medicamentoso não impede a progressão da doença ele apenas retarda. A probabilidade de uma cirurgia no outro membro é bastante possível.
        2) Sim, mas se não existe outra possibilidade aguarde, melhor um pós-operatório bem acompanhado para uma boa recuperação.
        3) Siga todas as recomendações do veterinário responsável pelo caso do seu animal.

        Grato Dr. André Carneiro.

  23. Ok, Dr. André.

    Fiquei ainda mais preocupada, mas sei que preciso das informações de forma honesta. Agradeço por isso. Seu blog tem sido uma das fontes mais importantes para eu me informar sobre a displasia.

    Hoje ele tem apenas dois anos, sente dor leve, levanta-se, deita, correr, sobe nas coisas como se o problema na pata esquerda fosse irrelevante. Vou fazer a operação de retirada da cabeça do fêmur por já ter ouvido dos veterinários que consultei ser este o caminho apropriado, mas deve entender que para mim é difícil “fazê-lo sentir mais dor do que sente hoje” (pois a cirurgia é bastante invasiva e creio que o pós-operatório não muito fácil para o animal) pensando nisso como uma forma de prevenção do agravamento do problema.

    A cirurgia será no dia 23 de dezembro e optei por deixar para dar-lhe anti-inflamatórios apenas quando perceber que a dor realmente o incomoda, já que não posso administrar por mais de 15 dias por causar outros problemas.

    Ainda estou definindo se farei a cirurgia com um cirurgião veterinário numa clínica (com a presença da veterinária que sempre o acompanhou) ou no hospital veterinário, com o profissional responsável pelo raio-x e pelo diagnóstico, local mais caro, porém com mais estrutura. Não sei ao certo o quanto complicada é a cirurgia, ou seja, se numa clínica comum, sem estrutura de hospital, o procedimento seria seguro.

    Tem alguma indicação de profissional que faça o procedimento aqui em João Pessoa, Paraíba?

    Obrigada por tudo.

    Suéllen Rodrigues

    • Converse com a veterinária que sempre o acompanhou que ela certamente irá lhe indicar o melhor lugar para ser realizada a cirurgia.
      Grato e mande notícias após a cirurgia. Boa sorte
      Dr. André Carneiro

  24. Boa noite Dr. André,

    Esta semana minha Rottweiler de 8 meses foi diagnosticada com displasia coxofemural e de antemão já deixei a cirurgia marcada para a próxima semana. Gostaria de saber se é possível a cirurgia ser feita nos dois lados ao mesmo tempo ou é necessário fazer a cirurgia em um lado e após 2 meses fazer o outro lado! Parabéns pelo blog!!

    Atenciosamente,

    Rubem Monte
    RECIFE-PE

    • Olá Rubem, obrigado pela visita.
      A cirurgia pode sim ser realizada do dois lados, mas a recuperação é bem mais demorada. Na minha rotina dou preferência por fazer uma de cada vez. O pós operatório é muito importante nessa cirurgia, sempre recomendo fisioterapia e acupuntura, tenho obtido ótimos resultados.
      Grato Dr. André Carneiro.
      Mande notícias após a cirurgia!

  25. Boa noite.

    Queria saber sobre a progressão da doença: é muito rápida, semanas, meses ou anos? Também tenho outra dúvida – depois de uma colocefalectomia o cão volta a correr, saltar normalmente ou fica limitado pra vida toda? Acompanhei o blog de uma jornalista com dois cães irmãos e ela disse que teve que fazer 6 cirurgias: das duas patas traseiras de cada cão e a castração não só pela doença ser hereditária, mas porque o movimento na cobertura da fêmea era ruim para as articulações do cão, mesmo depois de operado. Quer dizer que o cão não consegue mais ter uma vida normal?

    Marcela Andrade

    • Olá Marcela, Obrigado pela visita.
      A displasia é uma doença degenerativa, a progressão da doença vai depender dos cuidados que você tem com seu cão, uma série de fatores podem acelerar o processo tais como: ambiente, predisposição genética, traumas etc. A colocefalectomia é a técnica mais utilizada na correção da displasia, na grande maioria dos casos os animais voltam a ter uma vida normal, correm,saltam e brincam. Pode-se ter alguma limitação de movimentos em alguns casos, mas isso é perfeitamente contornado com a fisioterapia no pós-operatório.
      Grato Dr. André Carneiro.

      • Olá.

        E essa vida normal, como o senhor disse, com um pós-operatório certinho, acompanhamento do veterinário, fisioterapia, na maioria dos casos que o senhor trata e conhece se dá em quanto tempo depois da cirurgia? Depois de quantos meses, semanas… no geral, quanto tempo?

        Marcela

      • Marcela,

        A princípio 30 dias para uma boa recuperação, mas a avaliação periódica do veterinário responsável pelo animal e indispensável. Em relação a fisioterapia quem vai determinar o tempo é o próprio veterinário fisioterapeuta.

        Grato Dr. André Carneiro.

  26. Olá Dr André,
    Tenho uma rottweiler comidade entre 9 a 11 anos, não sabemos, pois adotamos ela já na fase adulta. Ela pesa 37 kilos, e tem diagnostico de displasia grave nos dois lados. Ela entorta o quaril quando se movimenta e até cai quando faz movimentos bruscos, pois é muito agitada.Esse peso é devido seu porte, e ela é muito alegre. mesmo com essa doença, ela tenta brincar e correr, e sai se batendo e trombando em tudo. O que quero saber, é se convém uma cirurgia desse porte devido sua idade. O hemograma está normal, com excessão de uma verminose. Me incomodei em realizar a cirurgia, pois o veterinário recusou realizá-la devido sua idade. Ela já está tomando condroproterores e anti-inflamatórios.
    Gostaria de uma resposta realista, sacrifício ou cirurgia?

    • Olá Cris, obrigado pela visita!
      Não vejo nenhum motivo para eutanasiar um animal devido a displasia.
      Já realizei cirurgias de animais mais velhos que o seu e não tive problemas. Se todos os exames pré-operatórios estiverem normais não existe empecilho para a realização da cirurgia, mas esses exames não se resumem a um simples hemograma. Para uma animal com essa idade costumo solicitar além do hemograma completo, perfil renal e hepático, Rx de tórax e eletrocardiograma, tendo isto pronto encaminho ao meu anestesista para avaliação e posterior liberação da cirurgia.
      Grato Dr. André Carneiro
      De onde você é?

  27. Dr. Andre,

    para um animal de aproximadamente dois anos, quais os exames pré-operários necessários para uma cirurgia de retirada da cabeça do fêmur? Ia fazer a cirurgia com um veterinário que me pediu 12 exames diferentes, entre eles o eletro, pressão arterial, mas não deu certo, por questão de agenda. O segundo veterinário, disse que pela idade do meu animal só o hemograma completo e o exame bioquímico eram suficientes. Como o senhor procede? E no pós-operatório, falou em acupuntura. Já teve experiência com a TENS (eletroterapia)? Tem bons resultados?

    Marcela

    • Marcela!
      Quanto mais exames fizer melhor, mais segurança o profissional vai ter na avaliação pré-operatória. Para animais até 5 anos geralmente solicito Hemograma completo, perfil renal, perfil hepático e eletrocardiograma, mas isso depende de cada profissional. Em relação a acupuntura sempre encaminho para uma colega veterinária especializada, ela é quem avalia a prescreve o procedimento, mas já tive sim boas respostas com eletroestimulação.
      Grato Dr. André Carneiro.

      • Muito obrigada, Dr. Andre.

        Já estava inclinada para fazer os exames pré-operatórios mais completos para me sentir mais tranquila. Entre as opções apresentadas pelo veterinário, escolhemos o uso da anestesia inalatória também por parecer ser a mais segura. O senhor é bastante didático, atencioso e mostra ser muito preparado. Pelo que vi no histórico de comentários, são tantas dúvidas dos proprietários que com certeza daria um novo post esclarecedor para o seu blog sistematizando tantas respostas.

        Grata, Marcela

      • É verdade Marcela,
        sem sombra de dúvida a displasia é o tópico mais comentado. Vou procurar colocar mais algumas coisas relativas a displasia para tentar ajudar mais.
        E em relação a anestesia, certamente a inalatória é bem segura.
        Obrigado pelos comentários, são vocês que fazem o blog funcionar.
        Dr. André Carneiro.

  28. Oi Dr,
    Sou do interior de Mato Grosso do Sul, 360 km da capital Campo Grande, Sonora. Foram feitos nela exames de Rx e Hemograma completo em Rondonópolis, cidade mais próxima. E hoje, descobri que minha cachorra tem na verdade, cerca de 11 anos. E andei pesquizando, esses animais vivem de 10 a 12 anos.Tenho medo dela vir a sofrer mais ainda, se bem que ela é muito forte, não reclama de dor, só quando cai, acho que a fase aguda já passou. Sobre a cirurgia, só fizemos esses exames, e o vet. recuou. Então uma colega me recomendou um profissional especialista em ortopedia em Campo Grande que já foi professor Universitário dela, mas, não falei com eles ainda, resolvi pesquizar primeiro.
    Eu é que agradeço sua atenção.

    Cris.

  29. Boa tarde Dr Andre,
    meu nome é Mariana e primeiramente gostaria de parabenizar pelo site e por ajudar nós donos e amantes dos animais nos momentos de grandes preocupações. Tenho um bulldog ingles de 4 anos e ha 4 meses foi diagnosticado displasia coxofemural bilateral, sendo grave do lado direito e branda do esquerdo. desde entao ele faz uso de sulfato de condroitina e glicosamina diariamente. atualmente ele já nao apoia a pata direita, que já é possivel notar atrofia muscular, e anda somente com as outras 3 patas. gostaria de saber, se a cirurgia é indicada para o caso dele e se com essa atrofia muscular ele vai voltar a andar. terá que ser realizada na perna esquerda também? é possivel haver recidiva com o passar dos anos? a porcentagem de sucesso da cirurgia é grande ou tem casos de que o cao nao volte a andar?
    sou de niteroi- rj
    aguardo retorno,
    obrigada

    • Olá Mariana!
      No caso do seu animal não sei lhe responder com clareza pois não vi os exames mas vamos ao geral.
      Sim a cirurgia é indicada nesse caso, como já existe uma atrofia muscular grande será necessário um trabalho de fisioterapia bastante intenso nesse membro após a cirurgia, mas ele pode sim voltar a usar o membro, tendo em vista que é um animal jovem. O lado esquerdo dependendo do grau de displasia pode-se aguardar um pouco mais. Após a realização da retirada de cabeça femoral não existe possibilidade de recidiva, visto que, ele não mais terá a cabeça femoral. O percentual de sucesso da cirurgia é bastante alto, mas existem casos em que o cão não retorna com total função do membro.
      Obrigado pela visita e continue nos visitando!
      Dr. André Carneiro
      Cel: (21)8075-2244

  30. Dr. André,

    os custos de pós-operatório de uma cirurgia de retirada da cabeça do fêmur são realmente muito altos considerando os medicamentos para controle da dor? Visitei um blog em que uma proprietária conta o cuidado com seu cão e afirma ter gasto cerca de R$ 700 apenas com 15 dias de medicação, curativos e pequenas coisas, sem incluir aí nada de fisioterapia. Não existem remédios eficazes que sejam mais acessíveis? Não quero que receite nada pelo blog, apenas que fale de forma geral pelo que conhece sobre o que se usa normalmente.

    Marcela

    • Bom dia Marcela,
      O custo do pós-operatório vai variar de acordo com o tamanho do seu animal, quanto maior o animal maior será esse custo. Os medicamentos utilizados no pós-operatório são: antibiótico + anti-inflamatório + analgésicos e curativo local com antissépticos. O custo de R$ 700,00 acho muito alto, mas isso depende como já falei do tamanho do animal e de onde são comprados os medicamentos. Para um animal de 10 Kg fiz uma pesquisa rápida pela internet e cheguei ao preço de aproximadamente R$ 172,00, com todos os medicamentos, como disse anteriormente se você for proprietária de um Fila Brasileiro de 70 Kg, poderá gastar os R$ 700,00.
      Grato Dr. André Carneiro

  31. Bom Dia Dr. André.

    Temos um cão da raça rottweiler, com 9 anos de idade, e agora está dando começo de Displasia Coxofemoral e ele está tomando o medicamento “Condroton”.
    Gostariamos de saber o que fazer para retardar a doença (Quais os tipos de alimentos exceto carnes cruas pois ele só come ração e legumes)

    Agradeço sua atenção

    Lidiane Barbato e Tayna Barbato

    • Boa tarde Lidiane e Tayna, obrigado pela visita.
      Primeiramente o animal de vocês deve ser avaliado por um veterinário e realizado um Rx para avaliar o grau dessa displasia. A displasia é uma doença degenerativa e portanto não tem cura, mas alguns manejos de ambiente como evitar pisos muito lisos e controle de peso, já são um bom começo. Alimentação o ideal é manter só a ração.
      Grato Dr. André Carneiro.

  32. Boa noite, Dr. André.

    Data da cirurgia bastante próxima: exames pré-operatórios marcados para este final de semana e cirurgia pré-agendada para o dia 22. O uso do condroprotetor parece ter ajudado muito. Meu cão tem caminhado muito melhor do que há um mês e meio atrás e aparentemente não tem sentido dor relevante, apesar de não apoiar o peso do corpo por muito tempo na pata esquerda (o que é mais perceptível quando está parado). Creio que ter deixado a tigela de comida mais alta também tem o ajudado também.

    O procedimento terá o acompanhamento da veterinária dele e será feito por um cirurgião por ela indicado. Tenho me preocupado com duas coisas neste momento. Primeiramente, que ele será cirurgiado no início da tarde (com anestesia inalatória) e no final do dia já terei que o trazer para casa – por não ser um hospital ele poderia até ficar internado no local, mas não teria ninguém para acompanhá-lo durante a noite, o que não considero ser bom.

    A segunda coisa é a fisioterapia: na minha cidade apenas uma profissional realiza este trabalho, em um bairro distante do meu e que só aceita pagamento em espécie e não faz pacotes nem atende a domicílio. Isso irá inviabilizar a realização de grande número de sessões após somar valor do atendimento + transporte via taxi. Creio que só será possível fazer uma sessão por semana e temo que isso dificulte a recuperação do meu cão, mas, farei o possível.

    Queria que explicasse melhor como o corpo do animal se comporta após a retirada da cabeça do fêmur. Olhando pelo RAIO-X parece até que retirando esse elemento o osso ficaria “solto”, sem encaixe. Queria compreender melhor o que de fato acontece. O que me foi passado é que se cria uma articulação falsa, mas não consigo visualizar bem isso.

    Manterei contato.

    Atenciosamente,

    Suéllen Rodrigues

    • Olá Suéllen lembro do caso do seu animal!
      Você só poderia operar agora no final do ano por causa do trabalho, não e isso?
      Que bom que vai fazer a cirurgia. Vamos a sua dúvida.
      Realmente é isso que acontece, o osso fica solto mesmo. O que causa dor ao animal na displasia é o contato entre as superfícies ósseas do fêmur com o acetábulo, que é o osso do quadril. Retirando a cabeça do fêmur esse impacto entre os ossos não existe mais, fazendo assim com que o animal não sinta mais dor, nesse espaço colocamos um pouco de gordura retirada do próprio animal para preencher aquele espaço. A musculatura se encarrega de manter os ossos no seu lugar anatômico, aquela articulação não existe mais, ali se formará uma pesudoartrose que é uma formação de tecido cartilaginoso no local da articulação, fazendo assim a sustentação dessa articulação daí para frente.
      Espero ter sido claro, se não estiver entendendo ainda reclama que tento explicar de outra forma.
      Ah em relação a fisioterapia, a veterinária deve prescrever alguns exercícios para você fazer em casa.
      Grato e boa cirurgia.
      Dr. André Carneiro

  33. Dando notícias…
    A cirurgia vai ficar para fevereiro. No pre-operatório o exame ALT acusou infecção hepática.
    Já iniciamos a medicação para refação do exame daqui a 15 dias.

    Obrigada pela atenção.

    Suéllen Rodrigues

  34. Olá Dr André,
    Minha veterinária pediu a remoção da cabeça do femur nas duas patas de meu animal, porém ela disse que seria feita as duas de uma só vez gostaria de saber se é realmente seguro fazer nas duas patas ao mesmo tempo?

  35. Dando notícias, mais uma vez…

    O cirurgião que ia operar meu cão ainda não o conhecia. Tinha dado o diagnóstico para cirurgia com base na avaliação da veterinária que sempre o acompanhou e de acordo com o exame Raio-X. Aproveitei a necessidade de coleta de sangue para o exame que irá detectar se a infecção no fígado já foi curada para levá-lo e apresentá-lo.

    O veterinário fez um exame físico, o viu caminhar, relatei que, até este momento, ele não apresenta sinais de dor ou dificuldades para caminhar, levantar, apoia-se vez por outras nas patas de trás… No último domingo o levei para nadar pela primeira vez. O veterinário me aconselhou a não fazer a cirurgia por agora. Continuar com o Megaton 1000, levá-lo para nadar sempre que possível e fazer novo raio-x daqui a dois ou três meses para acompanhar o caso. Na opinião dele a cirurgia deve ser feita quando for iminente, quando o cão estiver de fato sentindo dor, no sentido de dar-lhe qualidade de vida, considerando que há um pós-operatório um tanto doloroso levando-se em conta um cão que antes dela não sente dor alguma.

    Pois bem, fiquei confusa com a nova posição, apesar de achar ótimo não ter que operá-lo por agora já que o vejo bem, apenas mancando um pouquinho da perna esquerda. Até agora tinha ouvido de vários profissionais ser o ideal que a cirurgia (que seria invitável em algum momento da vida dele) fosse feita o quanto antes, pela idade do cão e consequente a melhor recuperação enquanto jovem, etc.

    Quero saber o que pensa a respeito, pois sempre foi bastante esclarecedor

    Att.,

    Suéllen Rodrigues

    • Olá Suellen!
      Dentro da ortopedia existem várias correntes para o tratamento da displasia, eu também sou adepto de fazer a cirurgia o quanto antes. O seu animal não sente mais dor ou ele já se acostumou com a dor? Você me diz que o vê mancando um pouquinho da perna esquerda, não será isso reflexo de dor crônica onde o animal se adapta as condições da dor? O problema está lá, ele existe, então porque protelar para se realizar o procedimento quando o animal entrar num quadro agudo? O pós operatório só é doloroso quando não se faz a analgesia de forma correta, hoje existem diversas formas e medicamentos para se controlar a dor em um pós operatório ortopédico de forma bastante satisfatória. Mas cada profissional tem a sua conduta e sua forma de avaliar o caso, eu não vi ou examinei o seu animal, estou apenas dando a você um parecer teórico.
      Espero poder ter ajudado.
      Grato Dr. André Carneiro.

      • Tem ajudado sim, Dr. André.

        Se o fato dele mancar é reflexo de dor crônica eu não sei. Sei que este “mancar” diminuiu consideravelmente depois do uso do condroprotetor. Percebe-se apenas observando com muita atenção. De qualquer forma, de imediato não teria como fazer a operação: apesar do uso da medicação específica por duas semanas, o novo exame que recebi ontem detectou que a infecção do fígado não melhorou – a taxa subiu – e estamos investigando a causa. Retirou-se o remédio e a orientação foi mudar a alimentação e repetir o exame em 30 dias.

        Sobre a cirurgia vou me programar para fazê-la ainda este ano, independente do aumento ou não da dor. Apesar de não ter conhecimento técnico, pela sua orientação e de outros profissionais com os quais conversei desde que descobrimos a displasia, creio que já que a cirurgia é inevitável, melhor fazê-la enquanto meu animal é jovem. Mas, como a avaliação do cirurgião foi de que podemos aguardar, então ficarei no meio-termo: aguardar mais um pouco para fazer reserva financeira que me permita garantir um pós-operatório com tudo o que ele precisa, inclusive as sessões de fisioterapia que, como relatei anteriormente, considerando sessão e deslocamento, resultam num valor mensal muito alto, maior que o do procedimento cirúrgico.

        Grata,

        Suéllen Rodrigues

  36. estou com meu chow chow de quase 11 meses com aparente luxação de quadril esquerdo; o veterin. local diz que é displasia e indica a cirurgia de excisão do colo do fêmur.Amanhã vou levá-lo a Porto Alegre para fazer um rx para esclarecer o caso.
    O sr. teria uma indicação a respeito do hospital veterinário : tenho como opções a faculdade da ufrgs e da ulbra-canoas.

    • Bom dia Marcelo, obrigado pela visita!
      Realmente será necessário a realização do Rx para avaliar o caso do seu animal.
      Em relação aos Hospitais, Hospital Universitário é referência, então em qualquer um dos dois que levar terá certamente um atendimento de excelência.
      Grato Dr. André Carneiro.

  37. Boa noite eu tenho um labrador de 7 meses e a tres mases atras apresentou a displasia a veterinaria que eu levei ele me disse que a displasia dele e muito agravada mais pela idade teria que esperar para operar por ele ser muto novo e receitou maxicam durante dez dias por trinta dias e dorleis por sete dias depois desse tempo ela mandou que ele continuasse com o condrotom1000 continuamos ele estava otimamente bem voltamos ao veterinario para mais uma avaliacao e perguntamos se podiamos trocar o horario do remedio e o veterinario disse que podia desde que dessemos todos os dias trocamos e ele comecou a apresentar sinal de dor sentando a toda hora e mancando e com dificuldades para ficar de pe pode ser por conta da troca de horario do remedio?ele tem idade para operar agora?quanto custa?

    • Boa Noite Bruna! Obrigado pela visita.
      Não vejo muita ligação entre a mudança de horário do medicamento e o retorno aos sinais de dor. Quanto a idade recomendo fazer a cirurgia o quanto antes, tendo em vista que existem técnicas que são indicadas apenas em filhotes com até 6 meses de vida como a sinfisiodese púbica juvenil. Demais informações podem ser passadas pelo email: drandrecarneiro@gmail.com entre em contato.
      Grato Dr. André Carneiro

  38. Meu cão fez a cirurgia por displasia coxo femural com aquele método de tirar(ou serrar) a cabeça do femur. Ficou na clínica por 08 dias sendo medicado, pois é um cão difícil de lidar para tomar medicamento. Segundo o veterinário é normal ele mancar e só voltará a andar normalmente em 20 ou 30 dias. Só que ele falou que quando ele andava devagar apoiava a pata cirurgiada, mas isso não está acontecendo. ele anda só com as 3 patas e a operada fica pendurada, sem tocar o chão. Gostaria de saber sua opinião, se é normal o cão andar assim sem tocar com a pata no chão. Tenho muito medo de meu cão não voltar a usar a pata e ficar andando assim só com as 3 patas.

    • Boa Noite Genivalda!
      Recomendaria a você retornar ao veterinário que realizou a cirurgia para uma reavaliação. Sempre recomendo a realização de fisioterapia e/ou acupuntura na recuperação dos meus pacientes e o resultado é muito satisfatório, pode ser que isso melhore a recuperação do seu animal. Mas consulte novamente o veterinário responsável pela cirurgia e relate o acontecido.
      Grato Dr. André Carneiro.

  39. Olá Dr André,
    Primeiro gostaria de agardecer pois seu blog foi muito útil para mim. Meu cachorro fez a cirurgia á dois dias, e hoje já conseguiu apoiar a pata para urinar, entretanto ainda não evacuou. A veterinária disse que poderia acontecer e que seria normal, que ele conseguiria na hora. Minha duvida é se isto é normal ou se ele pode apresentar algum tipo de problema.

    • Boa Noite Daniela, obrigado pela visita!
      Sim é normal ele demorar um pouco para evacuar, tendo em vista, o jejum antes da cirurgia. Após o retorno a alimentação o animal precisa formar bolo fecal para evacuar, e esse pode ser o motivo.
      Grato Dr. André Carneiro

  40. Dr. André,

    desculpe escrever através desse tópico, que tem tema específico, mas não encontrei algum que se adequasse ao assunto. Preciso de uma opinião sua sobre um caso aparentemente complicado de um cãozinho que está com tumor no focinho e sob cuidados de protetoras de uma associação aqui de João Pessoa. Envio detalhes do caso e algumas fotos para os e-mails (andrcarneiro@yahoo.com.br e drandrecarneiro@gmail.com). Por favor, se possível, nos dê orientação a respeito.

    Grata.

    Suéllen Rodrigues

  41. ola b noite parabens pelo blog… minha Rot tem cerca de 10 anos e não apoia a pata traseira mais no chão…fica como pata de coelho, pendurada…nessa semana meu outro rot ao pular caiu sobre ela e apartir desse dia notei que a pata dela esta inchada e parece mais solta do que antes…gostaria de saber se pode me indicar alguem em Florianópolis que possa me ajudar com ela…pelo que tenho lido a unica ipção para ela seria a cirurgia….e gostaria de uma luz para ajuda-la..obrigado

  42. Olá, dr. André!
    Estou muito apreensiva com a situação da minha Luka, uma golden de 2 anos.
    Ela veio de um canil muito conceituado e recomendado aqui de Portugal, e com todas as garantias de controle da displasia das ancas. E ela até que estava se portando muito bem, e eu achava que era preguiçosa quando não queria fazer mais de meia hora de exercício por dia.

    Essa noite uma fatalidade aconteceu. Ela dorme ao meu lado da cama, nas almofadas no chão, e estava em sono profundo, quando meu marido levantou da cama de madrugada e o barulho dele levantar assustou a Luka. Ela é extremamente medrosa (não sei a origem, mas desde que a recebemos em casa ela tem medo até de saco de mercado vazio caindo no chão) e tomou um susto tamanho, acordou aos pulos e saiu batendo em tudo o que via pela frente. Ficou mancando da patinha traseira direita e sem conseguir deitar das 3 às 6 da manhã (e eu sem conseguir dormir). Apalpei a pata, os dedinhos da pata, o abdômen e não consegui descobrir a razão. Decidimos levá-la às urgências mesmo antes de amanhecer o dia e lá foi feito um Rx das ancas e identificaram que o fêmur estava deslocado. Depois a sedaram, fizeram com mais detalhe o Rx, confirmaram que não havia fissura ou fratura óssea, mas identificaram também uma displasia leve no lado esquerdo da anca, e que provavelmente o lado direito também estava com algum desvio do posicionamento do fêmur na bacia.
    Não recomendaram a recolocação do osso por causa da displasia, pois poderia voltar a deslocar sozinho no futuro.
    Recomendaram fortemente a cirurgia para remoção da cabeça do fêmur, explicaram que ela teria vida normal depois da cirurgia, e que o próprio organismo iria “simular” com os músculos uma “nova” articulação pra Luka. Falei com o clínico geral, e essa informação foi dada a ele pelo vet. ortopedista que avaliou as radiografias da minha filhota.

    Pelo que li nos seus replies dos comments acima, é uma cirurgia tranquila, mas ainda assim estou extremamente preocupada e assustada com o que aconteceu.

    Não é que eu esteja insegura com a decisão de prosseguir com a cirurgia, ou com a avaliação da equipe médica que vai cuidar dela, mas é a minha cachorra amada que está sofrendo com isso, e o fato de não nunca ter passado por isso com nenhum cão que já tive me deixa insana, e eu não sei se fiz bem em autorizar a cirurgia, se seria melhor arriscar o reposicionamento do fêmur (já que não houve fratura óssea); se fiz mal em esperar 3 a 4 horas até recorrer a auxílio médico e se isso vai trazer alguma sequela pra recuperação dela (porque dor a coitadinha tem demais e está a base de morfina e anti-inflamatório).

    E será que vale a pena reportar essa situação pro canil que nos vendeu a Luka? Não sei se o controle de displasia deles é furado, ou se mesmo sem histórico genético é possível um cão ter a displasia.

    Desculpe o testamento, mas a cirurgia é amanhã (06/02) e deu pra perceber meu stress… :)

    Obrigada,
    Carol.

    • Bom dia Carol, obrigado pela visita!
      Você teve o comportamento perfeito para o seu animal, o quanto antes se fizer o diagnóstico mais cedo ele é tratado. Em relação ao reposicionamento da articulação, eu também não recomendo pois daqui a pouco tempo irá sair do lugar novamente, tendo em vista, que já deve existir um ruptura parcial ou total do ligamento e também da cápsula articular. Em relação a o canil acho sim que você deve reportar a eles o problema, a displasia é uma doença genética, portanto, mesmo que o animal não apresente a doença ele pode passar o gen da doença. A fisioterapia no pós operatório é bastante importante e otimiza bastante a recuperação.
      Mantenha-me informado sobre a recuperação da Luka!
      Grato Dr. André Carneiro
      Tenho um amigo ( Dr. Marcos Falcão ) que possui uma clínica em Portugal, Veterinária da Bicuda fica em Cascais http://site.cvbicuda.pt/

  43. Dr André
    Tenho um dog alemão de 8 anos e ela começou a mancar repentinamente .Foi diagnosticado o desgaste articular do quadril do lado direito .
    Gostaria de saber se o Sr acha o procedimento de colocação de prótese o mais adequado para ela ou tento outras terapias antes do procedimento cirúrgico ?Abraços e Obrigado,
    Milton

    • Bom dia Milton, obrigado pela visita!

      Pelo seu animal ser um Dog Alemão acho a prótese uma boa escolha, tendo em vista o peso do animal. Eu sou adepto da realização da cirurgia o quanto antes, a displasia é uma doença degenerativa e a tendência é piorar com o tempo.
      Grato Dr. André Carneiro.

  44. Olá, primeiro Parabéns pelo Blog é muito legal!!!!Meu nome é Claudia e como todos peço uma ajuda, estou com meu Bebezão Rottweiler de 6 meses com DCF bilateral severa, ele anda se balançando para um lado e outro, está tomando condroitia manipulada e glucosamina junto com rhimadil 1 comprimido por dia, ele chora as vezs de dor e está ficando com a bundinha pouco desenvolvida, quando fica de pé a perna fica tremendo, a Veterinária dele dra. Flávia (um Anjo de pessoa) não quer operá-lo antes de completar 1 ano e meio, mas me pergunto, ele não consegue fazer exercicio e está ficando com a perna trazeira sem desenvolver, o senhor concorda em só fazer a cirurgia nesta idade? ele não está gordo vc até vê um pouquinho das costelas dele mas pesa 34kg. estou em Itaipuaçú-Maricá e não disponho de grandes condições financeiras, mas amo meu menino como um filho e sofro muito por ele. fiz o raio-x e o pobrezinho tem a chapa como a do seu blog – Hoje coloquei ele para nadar um pouquinho, será que pode piorar? preciso que ele ganhe massa muscular no bumbum para segurar um pouco mais a patinha.
    Obrigada, muita saúde e paz.

    • Boa Noite Cláudia, obrigado pela visita!
      Cada profissional tem uma conduta,sou da corrente que quanto antes se fizer a cirurgia melhor para o animal, inclusive seu animal por ter apenas 6 meses é um ótimo candidato ao procedimento de sinfisiodese púbica juvenil, que é indicada apenas em cães até 6 meses de idade. Aqui no Blog existe um post falando sobre sinfisiodese da uma olhada na parte de ortopedia. Aqui no RJ tem o Dr. Ruben Bittencourt que realizada esse tipo de cirurgia, que inclusive foi sua tese de mestrado.
      Grato Dr. André Carneiro

  45. boa tarde doutor.
    meu labrador de dois anos operou ontem as duas patinhas.gostaria de saber quanto tempo demora para que ele ande novamente.ele ainda não fez suas necessidades fisiológicas estou preocupada.também queria saber se o senhor pode me indicar um local no Rio De Janeiro ou Duque De Caxias que faça fisioterapia.desde já sou grata.

    • Olá Aline, obrigado pela visita!
      Seu animal operou as duas patinhas de que? Se foi displasia qual técnica foi utilizada?
      A recuperação vai depender e tudo isso.
      Não conheço nenhum local em Caxias que realize fisioterapia. No Rio indico a Dr. Tatiana Bergamine, uma excelente profissional.
      Att
      Dr. André Carneiro

  46. Olá Doutor, boa noite
    Meu nome é Anayta e tenho um pastor alemão com 7 meses de idade. Ele sofreu um atropelamento que acabou rompendo o ligamento cruzado do joelho e deu luxação coxofemoral. Ele fez a cirurgia, e na luxação cortou a cabeça do fêmur e no joelho utilizou-se uma linha que se usa para fazer o ligamento do joelho. Ele operou na quinta feira e foi liberado pra casa no sábado. Trocamos o curativo dele 2x ao dia e ele sempre fica nervoso nessa hora. Hoje, quase 4 dias depois da cirurgia ele estava muito incomodado que acabou deitando do lado operado, e chorou de dor, e na mesma hora mudamos ele de posição colocando deitado sobre a perna boa, sendo que ele não conseguiu se levantar sozinho. O problema é que se ele fizer isso de madrugada não sei se vamos conseguir ouvir o choro e ajudar ele virando de lado de novo. Isso pode trazer problemas pra cirurgia? E que tipo de complicação pode surgir no pós operatório? Obrigada pela atenção!

    • Bom dia Anayta, obrigado pela visita!
      O fato dele deitar sobre o lado operado não vejo maiores problemas, se deita sobre ele é porque se sente confortável e não está sentindo dor.
      Complicações que podem ocorrer são edema no local e o animal evitar o uso do membro, o que não é bom pois pode levar a atrofia do membro por desuso, converse com o veterinário responsável sobre a realização de fisioterapia no pós-operatório.
      Grato Dr. André Carneiro

      • Olá Doutor
        Realmente já apareceu um edema pequeno na perna operada pois ela ainda está um pouco inchada e fica apoiada na perna boa. Conversei com o veterinário e ele disse que em poucas semanas vai encaminhar o cachorro pra fisioterapia!
        Muito obrigada pela atenção e parabéns pelo blog! Normalmente nós temos muitas dúvidas e é ótimo poder solucioná-las!

  47. Olá Doutor
    Meu nome é Rose e tenho uma pastor alemão de sete anos que esta sendo operada hoje para retirada de cancer de mama.
    ela é muito agitada e gostaria de saber se poderia dar a ela algum medicamento que ela ficasse mais calma depois da cirurgia.
    ela esta sendo operado no hospital veterinario da Universidade Federal de Lavras/UFLA e o medico residente que fez os exzmes pre cirurgico disse que não ha nada que ela possa usar para ficar mais calma.
    Gostaria da sua opinião, e se ha algum medicamento qual seria?
    obrigada e parabens pelo site.

    • Boa tarde Rose, obrigado pela visita!
      Realmente não existe nenhum medicamento que se possa usar para esse caso.
      Alguns veterinários prescrevem florais mas isso é uma terapia alternativa e deve ser iniciada antes, pois esse tipo de terapia só tem bom efeito a longo prazo.
      Grato
      Dr. André Carneiro.

  48. Bom dia Dr Andre
    minha cadela ja operou, ja esta em casa, o problema é que ela não para quieta, ela fica andando e vai pro fundo da horta da minha casa que é bem grande.
    andar muito pode arrebentar os pontos ?

  49. boa noite Dr Andre, nao estou conseguindo fazer os curativos na minha cachorra ela é muito agitada.ouvi falar que maracugina ajuda, isso é verdade? se for como devo dar a ela?
    Obrigada

  50. Boa noite Dr.
    nao consegui fazer os curativos na minha cachorra,fui em um petshop e o vet receitou Acepran, falou pra dar 3 gotas pra cada kg dela. ela pesa 26 kg demos 70 gotas, ela ficou dormindo o dia inteiro.li varios comentarios na internet e fiquei com muito medo de dar pra ela, mas sem isso é impossivel de curar a cirurgia, ela e muito agitada.o que o Dr acha, devo continuar dando o remedio em doses menores?Obrigada!

  51. Boa noite Dr.

    Minha cachorra boxer de 1 ano e 8 meses realizou cirurgia de colocefalectomia a 1 dia, em outra cidades pois na minha nao há especialista em ortopedia… Na minha cidade tbem nao tem fisioterapeuta veterinario…e levar para a cidade que realizou a cirurgia, fica lonnge, custo altissimo e trabalho… Vc tem algum exercicio para me indicar para realizar em casa????

    Att

    Vera

    • Olá Vera, boa noite e obrigado pela visita!
      Todos os meus pacientes encaminho para uma fisioterapeuta veterinária que trabalho em conjunto, não prescrevo ou recomendo nenhum tipo de exercício. Mas se não tem a possibilidade siga o que seu animal lhe demonstra, ela pode fazer caminhadas leves sem muito esforço, ela própria mostrará o limite.
      Desculpe não poder ajudar mais.
      Grato Dr. André Carneiro.

  52. Boa noite Dr. André Carneiro,

    Tenho um Labrador preto com 7 meses e ele apresenta os sintomas de Displasia, por acaso tem conhecimento de algum médico veterinário que faça esta cirurgia em BH?
    Isso é hereditário?
    Qual a chance da minha cadela melhorar fazemdo esta cirurgia?

    Muito obrigado

    Max

    • Bom dia Max, obrigado pela visita!
      A displasia é uma doença hereditária sim, as chances de melhora com a cirurgia são enormes e o bem estar do seu animal também. Infelizmente não conheço ninguém em BH para indicar a você.
      Grato Dr. André Carneiro

  53. Tenho um Rottweiler com 11 anos, ele está com as duas patas traseiras bem arriadas,
    este mesmo cão com 2 anos fez 2 cirurgias( do lado esquerdo e depois do lado direito),
    nos diad de hoje o veterinário que me atende falou que seu quadro é critico,
    Dr., é indicado uma cirurgia com este quadro e está idade?
    E a recuperação pode levar quanto tempo, de cada cirurgia(se precisar de duas)?
    Qual remedio posso dar para aliviar a dor?

    Obrigado.

    • Boa noite Alessandro, obrigado pela visita.
      Qual cirurgia foi feita nesse animal aos 2 anos? Se não soubermos qual procedimento foi realizado não tenho como ajudar a você.
      Grato Dr. André Carneiro.

  54. Boa tarde doutor,

    Sou de Salvador, tenho uma pastor alemão de quase 6 anos que está acima do peso (está de dieta, já emagreceu um pouco). De uns tempos pra cá, notei que ela apresentava dificuldade pra se levantar (isso ocorreu antes dela começar a emagrecer), agora ela manca do lado direito, mas não é sempre). O veterinário dela está viajando e disse que pode ser hernia de disco, artrite ou displasia e que ela teria q fazer o raio x (mas so qdo ele retornar), mas receitou de ante-mão: ração pra senior e condrotron de 1000 mg, 2 comprimidos 1 x ao dia. Hoje de manha ela mancava e depois que dei o comprimido ela parou de mancar (coincidência ou não?).
    A minha dúvida é: essas 3 doenças se parecem? O remédio realmente serve pras 3 doenças? Acho q ela sente dor (apesar de comer normalmente e não “chorar” e não ter notado nenhuma diferença no seu comportamento), O medicamento receitado diminui a dor?

    • Boa Noite Maria, obrigado pela visita.
      Sim as 3 doenças podem ter sintomas bem parecidos. O uso da ração e o Condroton pode ser indicado para todos eles, esse medicamento não trata especificamente a dor mas tem um pequeno poder anti-inflamatório. Faça os exames solicitados pelo veterinário responsável e tudo se resolverá da melhor forma.
      Acho sua cidade maravilhosa e terei o prazer de conhece-la em breve.
      Att

      Dr. André Carneiro

  55. Ola Dr André Carneiro..

    Meu nome é NatáliaTenho uma Pastora Alemão com exatos 10 meses, desde dos 4 meses reparei que ela corria que nem coelho, e quando ela começou a passar pelo adestramento ela tinha uma certa dificuldade ao sentar e deitar, ha 2 semanas atras ela começou a mancar a pata direita, levei ela na vet que cuida dela desde quando a comprei, e de acordo com o laudo do rx deu displasia coxo femural grave HD+++, ela no dia 02 de maio passou pela cirurgia para recolocar no lugar com o fio de naylon , so que no dia 3 ela conseguiu arrancar a bandagem e acabou apoiando a para no chão, e toda vez que eu fazia a bandagem de ehmer ela soltava, quando foi ontem dia 7 levei ela na vet de novo, e ela disse que deve ter saído fora do lugar de novo, pois esta muito inchado e sera necessário fazer outra cirurgia a que vai tirar a cabeça do fémur “acho que é isso”. Doutor isso realmente pode acontecer da sair do lugar novamente? quanto tempo ela tem q ficar com a bandagem sem encostar a pata no chão? Preciso de uma segunda opinião, o acetábulo dela é muito raso o que seria mais indicado? ela pesa 28 quilos e é muito arteira e brava, ela não deixa ninguém chegar perto dela alem de mim, e nem internada ela nao pode ficar, pois ninguém consegue alimenta-la… Me ajude Doutor.. Obrigada

    • Bom dia Natália, obrigado pela visita.
      Sim é possível, nenhuma cirurgia tem 100% de possíbilidade de sucesso, isso depende de vários fatores inclusive o repouso do animal. A cirurgia de retirada de cabeça do fêmur é a mais amplamente utilizada para correção de displasia.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  56. Boa tarde Dr. André,

    Moro no Rio de Janeiro, e meu Basset Hound de 10 meses, pesando 21 kg foi diagnosticado através de rx com displasia coxofemoral e o veterinário indicou um tratamento de 3 meses com 1 comp. de osteocart plus ao dia, 1/2 comp. de Rimadyl 100 mg 2 x ao dia durante 7 dias, e de 15 em 15 dias a aplicação de Disco Condruitin 1,2ml via sc totalizando 4 doses, além da ração Golden Mega. Tudo isso para ver se haverá alguma melhora, para que ele não precise de cirurgia. Daqui 3 meses o veterinario disse que fará um novo rx para reavaliar. A minha dúvida é se essas medicações são para regenerar / formar cartilagem na cabeça do femur do animal, e se realmente é possivel que esse tratamento medicamentoso possa ser o suficiente para “estacionar ” a doença.

    Muito obrigada.
    Alessandra.

    • Boa noite Alessandra, obrigado pela visita.
      A displasia é uma doença degenerativa e como toda doença degenerativa não tem cura, ela pode ter sua progressão diminuída mas não curada. O tratamento definitivo da displasia é a cirurgia.
      Att.

      Dr. André Carneiro.

  57. Olá Dr. André.
    No ano passado minha cachorra fez cirugia devido a luxação na patela do joelho esquerdo, ela se recuperou super bem, em apenas 5 dias ela já estava colocando a pata no chão. No mês de abril deste ano ela começou a mancar novamente, levei para fazer um raio x e ela estava com o mesmo problema no outro joelho. há 14 dias foi feita a 2ª cirugia, ela já tirou os pontos mas não coloca a pata no chão, ela estica a perninha mas não apoia, é normal? o que devo fazer? fiquei preocupada porque a recuperação da 1ª cirurgia foi rápida. Agora estou fazendo aplicação de cordotron, uma vez por semana durante 10 semanas, aplicação subcutanea.
    Obrigada.
    Ana.

  58. Boa noite Dr.
    Temos um labrador macho branco com 6 anos que está apresentando um quadro de dor insuportável tanto para ele como para nós. Ele se alimenta bem, brinca bem porém quando fica muito tempo deitado, começa a choromingar e ao levantar-se berra desesperadamente, anda na ponta das patas traseiras e curva a coluna de tanta dor. Passando uns 40 segundos ele para de gritar e volta ao normal, mas tem medo de deitar-se. Aplicamos um spray Ibasa seguido de massagens para aliviar e tratamos durante 10 dias com Meloxican, mas quase nada aliviou. Notamos que o halito dele ficou desagradável, talvez por causa do medicamento. Agora com o frio das noites o quadro se agrava e para evitar maior sofrimento estamos o deixando dormir dentro de casa. Acreditamos ser a displasia, porém este mesmo macho com uma fêmea chocolate, já tiveram 28 filhotes e nenhum deles apresentou essa anomalia.

    • Bom dia Cléber.
      Você deve levar seu animal para ser avaliado por um veterinário, se possível um especializado em ortopedia, pode ser displasia como também coluna.
      Leve-o ao veterinário para uma avaliação.
      Att.
      Dr. André Carneiro.

  59. Boa Tarde
    Dr. André!
    Meu nome é Priscila, tenho uma labrador amarela, minha Meg, tem apenas 5 meses, e por fatalidade teve uma lesão aonde ocorreu a quebra da cabeça do coxofemural, segundo o ortopedista não a como colocar pinos e terá que ser semovido a parte quebrada, seria como uma cirurgia de displasia de coxo femural, tenho muito medi que ela não volte a apoiar a pata, pois pelo que entendi a mesma fica solta. Optei mesmo assim pela cirurgia pois ela sente muita dor tadinha.Gostaria da sua opinião.
    Muito Obrigada.

    • Boa noite Priscila, obrigado pela visita.
      Se ela teve fratura de colo femoral realmente é necessário a retirada da cabeça femoral. É uma cirurgia bastante comum e tem bom resultado sem sequelas para o animal, a articulação é substituída por tecido fibroso que dará sustentação a articulação.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  60. Boa Noite Dr.
    Tenho um pastor Alemão com 15meses, ao qual a cerca de 3 meses reparei que ele mancava nas patas da frente, e quando estava parado levantava essa mesma pata. Mandei fazer um Raio X ao qual foi detetado Displasia da Anca , a veterinaria disse para ele tomar uns comprimidos diariamente ate repararmos que o cao ja nao aguenta mais e irmos para a cirurgia.. A minha questao é se é natural ter displasia da anca e ele mancar mas das patas da frente? Já agora aproveito para questionar se a operação, normalmente dá uma qualidade de vida ao cão e se a esperanca media de vida é igual a um cao que nao tenha esta doenca?
    Obrigado

    • Boa tarde Pedro,
      O animal que possui displasia pode compensar o peso do corpo apoiando mais nos membros anteriores, levando assim a uma claudicação dos anteriores. Sem dúvida a cirurgia dará uma excelente qualidade de vida para seu cão, mas a expectativa média de vida é igual para todos os cães da raça independente da displasia.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  61. Olá Dr. Meu nome é Michele, Tenho uma cachorrinha de 10 meses, é uma mistura de Yorkshire com outra raça, pequena, tem apenas 6kg, ela fraturou o femur e fez uma cirurgia dia 13/6. Gostaria de saber em quanto tempo ela deve começar apoiar a perna no chão, pois até hoje tem andado apenas com as três patas (apesar de ser recente, apenas 14 dias fico preocupada). O veterinário recomendou repouso absoluto por 50 dias, estou fazendo o possível, mas às vezes ela grita de dor sem motivo aparente… não entendo. Será que tem algo errado… Obrigada!

    • Boa tarde Michele,
      Não sei qual técnica foi utilizada na cirurgia do seu animal, algumas demoram um pouco mais para a recuperação, e ainda tem o agravante dela ter sido operada a pouco tempo. Retorne ao veterinário responsável pela cirurgia e converse com ele.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  62. ola dr andre eu sou de recife e tenho um labrador black de 8 meses com displasia severa bi optei por retirada da da kbça do femur fiz um lado ja, mais falta o outro ele esta muito deblitado com muitas dores tenho medo dele nao voltar a andar denovo o medico que esta acompanhando ele disse q ele iria andar denovo e q era tranquilom, mais tenho muito medo doutor me responda por favor ele vai ser normal denovo? ass: Roger

    • Boa Tarde Roger,
      A cirurgia de colocefalectomia geralmente é bem tranquila e o animal volta a andar sem problemas. Sempre recomendo no pós operatório dos meus pacientes fisioterapia e acupuntura, isso melhora bastante o controle da dor e a recuperação do animal.
      Att.
      Dr. André Carneiro.

      • Dr. estou preocupado com outro acontecimento, durante suas necessidades fisiológicas ele sentiu dor e depois o ultimo ponto da cirurgia ficou sangrando, o veterinário disse que não tinha quebrado nenhum ponto mas, já trocamos o curativo 3 vezes hoje sempre com uma secreção sanguinolenta. Obrigada Dr. pela atenção!

  63. Boa noite.
    Tenho uma chow chow de 7 meses com displasia, a cirurgia dela foi marcada para proxima segunda dia 02-07-2012…
    O Dr vai fazer os dois lados de uma vez, como ela vai fazer as necessidade com as 2 pernas imóveis, essa raça ja nao é todo lugar que faz, será que vai dar certo?
    A recuperaçao dos dois lados é mais complicado?
    Estou com medo de nao saber cuidar direito dela..
    Muito obrigado.
    Parabens pelo seu trabalho…

    • Boa tarde Ana Paula.
      Desculpe a demora mas estava um pouco enrolado com o final do período letivo na faculdade, cada profissional tem sua conduta cirúrgica, eu não realizo os dois lados simultaneamente, não tenho experiência com essa cirurgia bilateral.
      Att.

      Dr. André Carneiro

  64. Dr. André, meu nome é Deise Cristina, temos um Labrador fêmea de 8 anos que em setembro do ano passado precisou fazer uma cirurgia de cancer na mama, após o procedimento fez sessões de quimioterapia e a cada três meses faz vários exames para acompanhamento, sendo que o pulmão e o coração estão em bom funcionamento. Na semana passada notamos que ela estava com a pata traseira trêmula e na quarta feira estava com dificuldade pra levantar, então a levamos ao veterinário que após raio x verificou que havia algo na cabeça do fêmur e solicitou que ela ficasse internada para uma cirurgia de retirada material para exame de laboratório (biópsia), não havendo, ainda, um diagnóstico preciso, está tomando várias medicações,mas nos informaram que ela já consegue apoiar um pouco a pata no chão. O veterinário nos disse (ele é oncologista) que não gostou do que viu no raio x, pois, o local estava muito “negro”. O que o Sr. acha?Será metástase? qual seria o procedimento caso seja algum tumor? Novamente a quimioterapia?Obrigada pela atenção.

    • Boa tarde Deise, desculpe a demora.

      Essa imagem na parte óssea do seu animal pode sim ser uma metástase do outro tumor, não relatou se foi feita biópsia ou o tipo de tumor da primeira cirurgia, ou então outro tipo de tumor ósseo. Dependendo do tipo de tumor a indicação de tratamento é diferente.
      Att.
      Dr. André Carneiro

      • Dr.Andre, no sábado passado consegui conversar, pessoalmente com o veterinário que fez a cirurgia em nossa Labrador, ele me explicou que diante da imagem vista pelo raio x, foi feita uma cirurgia para retirada da cabeça do fêmur e mais uma parte que seria a sustentação do osso (não me recordo o nome) e esse material foi enviado para exame histopatológico. A imagem preocupante estava em parte da cabeça do fêmur, mas pela experiência dele não se trata de displasia e sim de um novo tumor, então, estamos aguardando o resultado do exame, para iniciarmos o tratamento e me explicou, ainda, que na pior das hipóteses, caso o tratamento não surta resultado, que o procedimento é a amputação do membro, o que nos chocou muito, mas me foi explicado que pro animal isso é indiferente, eles não raciocinam como o ser humano, o importante é a qualidade de vida e não sentir dor, mas ficamos, extremamente, chocados com essa possibilidade. Desde já agradeço muito a sua atenção.

  65. Ola meu nome é Alessandra estou querendo obter infomaçoes sobre o tratamento da displasia pois a são bernardo de 2 anos da minha prima foi diagnosticada com esse problema, o veterinario que a atendeu só deu a opçao da cirurgia e ja deixou inrternada ate o dia de realiza-la, não entendo basicamente nada sobre isso, mas li muitas materias a respeito e vi que existem medicaçoes e tratamentos para isso, gostaria de saber se a girurgia é necessaria ou podemos optar por outro tipo de tratamento, pois a mais ou menos 1 mes atras ela ja passou por um procedimento cirurgico e creio que ainda não esta totalmente recuperada pra ja encarar outra cirurgia. Ela emagreceu muito e faz tempo que nao se alimenta direito tenho receio q isso a deixa mais vulneravel a complicaçoes na hora da cirurgia…. Grata

    • Boa tarde Alessandra.
      O tratamento definitivo da displasia é a cirurgia, existem tratamentos medicamentosos mas são paliativos. A displasia é uma doença degenerativa e com o passar do tempo piora.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  66. Olá Dr André,

    Tenho uma Chow de 3 anos, diagnosticada ha 6 meses com displasia coxofemural moderada. Apesar de moderada ela apresenta dificuldades para andar e levantar. Procedemos ao uso de antiinflamatórios injetáveis sempre que o quadro se agrava, e administramos cosequin como condroprotetor.
    Há algumas semanas, percebi que ao levantar e espreguiçar, a Leona tem um certo “travamento” nas patas traseiras que a faz cair. E há 2 dias, ao levantar e espreguiçar ela teve um “travamento” tão forte, que ela perdeu o controle e ficou por uns 3 ou 4 minutos com o corpo todo rígido e contorcido, olhos virados, respiração fraca, salivando, pescoço erguido e urinou. Ligamos para o veterinário e ele disse que ela estaria tendo um ataque epiléptico. Ele receitou gardenal infantil. Estou desesperada e preocupada porque em 48 horas ela teve 4 ataques e todos da mesma forma, sempre ao levantar após um tempo deitada. Fico com a impressão de que os ataques estão ligados a dor e dificuldade que ela tem ao levantar… Seria possível?
    Att.
    Sofia Deodoro

  67. Dr.Andre, no sábado passado consegui conversar, pessoalmente com o veterinário que fez a cirurgia em nossa Labrador, ele me explicou que diante da imagem vista pelo raio x, foi feita uma cirurgia para retirada da cabeça do fêmur e mais uma parte que seria a sustentação do osso (não me recordo o nome) e esse material foi enviado para exame histopatológico. A imagem preocupante estava em parte da cabeça do fêmur, mas pela experiência dele não se trata de displasia e sim de um novo tumor, então, estamos aguardando o resultado do exame, para iniciarmos o tratamento e me explicou, ainda, que na pior das hipóteses, caso o tratamento não surta resultado, que o procedimento é a amputação do membro, o que nos chocou muito, mas me foi explicado que pro animal isso é indiferente, eles não raciocinam como o ser humano, o importante é a qualidade de vida e não sentir dor, mas ficamos, extremamente, chocados com essa possibilidade. Desde já agradeço muito a sua atenção.Deise Cristina

  68. Olá Dr. André,
    meu nome é Roberto e tenho um filhote da raça Samoieda com 3 meses de idade, que após notar seu andar um pouco aberto realizei um exame de Raio X e foi detectado uma irregularidade na patela esquerda, tipo uma luxação, e também indícios de Displasia Coxofemural na mesma pata. O laudo da displasia não pode ser conclusivo devido a idade dele. Mas fico preocupado com sua saude, e lendo sobre a sinfisiodese púbica juvenil que impede o avanço da doença e dá uma qualidade de vida melhor para um cão displasico fiquei preocupado e querendo saber se é uma boa realizar a cirurgia. Moro em Recife-PE e não conheco um cirurgião ortopédico veterinário competente para essa operação, o senhor teria alguem conhecido em PE ou regiões próximas que possa indicar? pode ser na PB, RN também. Obrigado. tenho em imagem o exame do raio X dele, mas n consegui postar no seu blog.

    • Olá Roberto, Obrigado pela vista!
      Certamente a cirurgia é uma boa opção, quanto antes se corrige o problema menor a progressão dele. Infelizmente não conheço ninguém próximo a você para indicar, procure ajuda nas Universidades elas sempre são uma boa opção.
      Att.
      Dr. André Carneiro.

  69. Boa noite…
    Meu nome é Lucia, moro no RJ
    Tenho labrador com 7 meses, com diagnósticado displasia coxofemural grave.
    Ele já esta fazendo uso do regenerador de cartilagem, e p dor,tramadol 50 mg de12-12hs, e continuacom dores mt fortes, não esta conseguindo alimentar-se, ele esta com cirurgia. aquela da retiradado nervinho que leva a sentir dor, na faculdade unigranrio em cxias (rj), estou extremamente em duvida…. seria melhor pra ele a retirada da cabeça do femur, sera que ele voltara a andar. Preciso ajudar o meu cãozinho, com orientação de ciriugias e parcelamento das mesmas em cartões de credito.
    Sei queesta td muito confuso aqui, mas me ajude ….

    • Boa noite Lúcia.
      Seu animal vai operar na Unigranrio, quem deve operá-lo é o Dr. Vinícius que é um excelente profissional, faça a cirurgia e retorne nas datas recomendadas que certamente tudo ficará bem.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  70. Olá Dr.André.

    Primeiro, gostaria de agradecer por você ajudar as pessoas atraves do site, isso é um gesto muito nobre..
    Bom o caso do meu cachorro é muito complicado, pois ele é um labrador de 7 anos e ja fez uma cirurgia na pata de tras esquerda quando tinha doi anos e colocou pino, agora ele fez um cirurgia de displasia nas duas patas de trás e uma cirurgia na pata de tras direita por que rompeu o ligamento, e no mês que vem vai fazer novamente uma cirurgia na pata de tras esquerda para tirar os pinos, pois o veterinario que fez, não fez certo.
    A minha preocupação é que ele operou faz 2 dias e não esta querendo levantar para andar e evacuar, ele está com a barriga inchada e não esta comendo a mesma quantidade de antes, gostaria de saber como eu faço para ele evacuar, tem algum remedio para isso?

    Obrigada.

    Larissa L.

    • Boa noite Larissa, obrigado pela visita!
      O ideal é você retornar ao veterinário responsável para avaliar seu animal, o óleo mineral é uma boa opção para constipação mas retorne ao veterinário responsável.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  71. Boa noite, Dr. André
    Moro em Curitiba. Há cerca de 2 meses percebi que meu filhinho, o Napoleão, um bulldog inglês de 5 anos, começou a mancar e poupar o movimento da patinha esquerda trazeira. Levamos ao veterinário e fizemos os exames de radiografia de joelho e de pelve. Estou angustiada, assustada e desesperada com os resultados:
    Joelhos (projeções Mediolateral e craniocaudal):
    “-Não há perda do alinhamento e continuidade do eixo ósseo.
    – Observa-se irregularidade e esclerose subcondrais em côndilos femorais, fossa intercondilar e crista tibial – mais evidentes em joelho esquerdo.
    – Osteofitose e formação de pequenos cistos subcondrais em superfícies articulares.
    – Fabelas com contornos irregulares.
    – Desvio angular tibial com rotação lateral da epífase proximal da tíbia, bilateralmente.
    – Em joelho esquerdo nota-se opacificação da gordura infrapatelar – efusão articular.
    Impressão Radiográfica:
    – Imagens radiográficas de doença articular degenerativa em ambos os joelhos – mais avançada em joelho esquerdo.
    – Sinais radiográficos de efusão articular em joelho esquerdo.
    – Desvio angular tibial bilateral.”
    Pelve (projeções ventrodorsal e lateral):
    “-Não há perda do alinhamento e continuidade do eixo ósseo.
    – Observa-se incongruência da articulação coxofemural bilateralmente, mais severa em articulação coxofemural esquerda.
    – Arrasamento e esclerose acetabular, associados a irregularidade e achatamento das cabeças femorais, além de espessamento e osteofitose de colos femorais. Achados mais avançados em articulação coxofemoral esquerda.
    – Em projeção lateral, observa-se a formação de osteófitos ventrais a L7-S1, além de esclerose das faces articulares das mesmas.
    Impressão Radiográfica:
    – Imagens radiográficas de displasia coxofemural bilateral, associada a doença articular degenerativa – mais avançada em articulação coxofemural esquerda.”
    – Sinais radiográficos sugestivos de instabilidade lonbossacra.”
    Após exame clínico com ortopedista e analise de resultados das radiografias, a recomendação é: cirurgia -> neurectomia de bordo acetabular e ainda ligamento cruzado (joelho esquerdo).
    Por favor, Dr. André, gostaria de saber sua opinião, principalmente dado o fato de que qualquer procedimento cirúrgico (por conta da anestesia) envolvendo caezinhos braquicefalicos é de alto risco.
    No que se refere a custo, não me incomodo absolutamente em investiver o que for necessário pela melhor opção de procedimento, com menor risco, menos dolorosa e que dê melhor resultado para o meu bebezinho. Gostaria de saber sua opinião e também se conhece a Clínica Clinivet daqui de Curitiba.
    Desde já muitíssimo obrigada pela atenção,
    Angela Banzato Sugamosto

    • Boa noite Angela, obrigado pela visita!
      Os Bulldogs além de serem braquicefálicos também são condrodistróficos, por isso possuem tantos problemas articulares. Se seu animal passou por todos os exames pré-operatórios sem problemas não vejo motivo para preocupação, certamente ele será acompanhado por um anestesista veterinário capacitado para tal intervenção.
      Att.
      Dr. André Carneiro

      • Obrigada, dr André. Vou conversar com meu marido e agendar a cirurgia… Ainda com receio… Mas, penso na qualidade de vida do meu bulldoguinho.
        Gostaria de saber sua opinião sobre “condroprotetores”.
        Abraços e muito obrigada pela atenção.

      • A osteoartrose, doença que em virtude do envelhecimento e das sobrecargas é cada vez mais prevalente, tem sido alvo de estudos frequentes em virtude do seu potencial em causar incapacidade, quando da sua evolução.
        A indústria farmacêutica tem se esforçado em pesquisar novos fármacos que possam atuar bloqueando ou, mudando o curso da doença.
        Atualmente, já estão disponíveis no mercado inúmeras substâncias que se propõem a exercer este efeito sendo estas denominadas substâncias CONDROPROTETORAS.
        Dentre todas as substâncias propagadas pela mídia e pela indústria farmacêutica, são incluídas nesta categoria o Sulfato de Glicosamina e o “Sulfato de Condroitina”, que são as mais comercializadas. Ambas as substâncias são Carbohidratos (açucares), produtos estes que podem ser considerados naturais; daí a sua inclusão pelas normas do FDA, (órgão que fiscaliza medicamentos e suplementos alimentares nos Estados Unidos) como Nutracells.
        Enquanto o Sulfato de Glicosamina é um monossacarídeo absorvido pelo organismo na sua quase totalidade, o Sulfato de Condroitina é um polissacarídeo de cadeia longa que, para ser absorvido pelo organismo deve ser quebrado em unidades menores.
        Para o composto, Sulfato de Condroitina, inúmeros trabalhos da literatura apontam uma absorção máxima para humanos, em cerca de apenas 15% da dose administrada por via oral, uma vez que sua quebra só inicia-se na porção final do duodeno. São as Bactérias Intestinais, presentes nesta porção do intestino, as responsáveis por este processo de quebra destes açúcares de cadeia longa em unidades menores, o que permite, segundo a literatura científica, a absorção desta substância.
        Trabalhos recentes publicados em 2009 constataram que o uso simultâneo de ambas as substâncias (Sulfato de Glicosamina + Sulfato de Condroitina) em uma mesma tomada provoca uma diminuição da absorção do Sulfato de Glicosamina, uma vez que o transito intestinal se torna mais rápido pela presença do Sulfato de Condroitina (polissacarídeo) no tubo digestivo. Tal fato explica casos indesejáveis de diarréia e gases efeitos colaterais previsíveis pela ingestão do Sulfato de Condroitina.
        A tomada destes dois produtos de maneira simultânea deve ser feita sempre com cautela e por indicação médica, devendo-se sempre usar as substâncias certificadas pela ANVISA e que possuem teste de qualidade.
        Ao fazer uso de qualquer medicação para o tratamento da Osteoartrose, use sempre aquelas prescritas por seu especialista.
        Att.
        Dr. André Carneiro

      • Olá novamente Dr André,
        Gostaria de expressar minha gratidão por suas dicas. Meu bulldoguinho inglês foi operado pelo Dr André Jair, da Clinivet Curitiba. Optamos por operá-lo em duas etapas, por conta do pos operatório . A 1a cirurgia – neurectomia de bordo acetabular ocorreu em agosto/2012 e foi um sucesso. Tudo correu bem, apesar dos meus temores, o Napoleão se recuperou muito bem. Fez 1 mês de fisioterapia, logo após a cirurgia e visivelmente teve uma melhora (redução de dores da displasia coxofemural) pois começou a ficar mais tempo em pé e se movimentar, parou de claudicar e ficou mais brincalhão.
        Entretanto, após o réveillon (provavelmente em função do barulho dos malditos fogos de artificio), fez algum movimento, escorregou… E voltou a mancar da patinha esquerda traseira. O dr André Jair já havia nos avisado que a 2a cirurgia (ligamento cruzado) seria necessária, mesmo após a neurectomia.
        A cirurgia de ligamento cruzado do joelhinho esq dele está agendada para 24 de janeiro.
        Gostaria de ouvir sua opinião sobre esse procedimento cirúrgico – ligamento cruzado de joelho – quais os riscos e benefícios, se é mais complexo e demorado do que a neurectomia e ainda, pela sua experiência, quantos dias em média, os cafezinhos voltar a andar após a cirurgia?
        Desde já agradeço sua atenção.
        Ângela Banzato Sugamosto

  72. Olá, meu nome é Tamíris, sou do RS, tenho um Pequinês de 7 meses. Estou muito preocupada sem saber o que fazer. Levei meu cãozinho ao veterinário, após fazer o exame raio-x, foi diagnosticado que ele deve fazer a cirurgia de remoção da cabeça do fêmur, pois está com o fêmur luxado (na bacia), além disso ele tem nas duas patinhas traseiras Luxação patelar lateral de grau 4. A recomendação foi cirúrgica, mas tenho medo que não traga resultados e que ele sofra muito, qual é o tempo de recuperação. O que devo fazer? Se ele fosse seu faria o tratamento?
    Aguardo retorno.
    Agradeço desde já…

    Abraço

  73. Boa Noite Dr.
    Tenho uma Lhasa apso que com 5 meses andei com ela na rua e quando voltei percebi que ela estava mancando e não ficava muito tempo em pé, levei, a uma veterinaria e após Raiox, veio o laudo de displasia coxo femural. Tratei durante 6 meses com condroton um comprimido por dia. Após o início do tratamento ela não aprentou mais nenhum sinal de dor e nem mancava mais, corre muito, pula no sofá, na cama, dá cada salto que as vezes penso que ela vai se machucar e nem por isso manca ou apresenta sinal de dor. Agora depois de seis meses veio o laudo do raio x que ela tem uma displasia severa, sou totalmente leigo no assunto, porém acho estranho ela ter esta doença, que venho pesquisado, e não ter nehum sintomas, continua pulano,, correndoo (e muito). O que acontece? O Sr. poderia me tirar essas dúvidas? Fico com medo dos meus pensamentos, mas as vezes acho que isso não está acontecendo, infelizmente acabo duvidando de tudo isso.
    Aguardo seu contato Obrigado.

    • Boa noite Luiz, obrigado pela visita!
      Isso pode acontecer sim, a sintomatologia varia muito de um animal para outro. Existem animais com displasia severa mas sem apresentar sintoma algum de dor, e isso não tem explicação.
      Att
      Dr. André Carneiro

  74. Boa noite Doutor André!

    Meu nome é Gabriel e estou escrevendo de Alfenas/MG.

    Pois bem, tenho uma fêmea Labrador, com quase 7 meses de vida e 28 Kg.

    Já há algum tempo venho verificando que ela possui o andar bamboleante, um pouco de manqueira, bem como deposita quase a totalidade de seu peso e esforço nos movimentos nas patas dianteiras. Sendo certo que quando está parada ela fica sempre sentada.

    Diante disso, levei a ao veterinário que diagnosticou a existência de displasia coxofemural gravíssima com luxação.

    Quando perguntei do tratamento, ele me disse que deveria aguardar ela completar 1,5 anos de idade, com intuito de não interromper o crescimento do animal, para realizar uma cirurgia que, segundo ele, consiste na amputação da cabeça do fêmur. O que de certa forma foi um alívio, pois confesso que fiquei um pouco assustado com essa questão.

    Seguindo, me recomendou o uso de alguns medicamentos (condroton, carproflam, tramal e citoneurin), principalmente os dois primeiros.

    Ainda, me indicou a realização de atividades físicas moderadas com o cachorro, principalmente caminhar na areia e fisioterapia na piscina.

    Contudo, após conversar com outro veterinário, este me disse que o uso do carproflam sim é indicado, mas que o condroton em nada ajudaria.

    Igualmente, disse que a intervenção cirúrgica não pode esperar, pois o quanto antes for operada, a cadela apresentará melhores resultado, tendo ressaltado que a cirurgia em nada interfere no crescimento da minha cachorrinha.

    Não bastasse isso, disse que acaso o quadro se agrave, e a cachorra pare de andar, a cirurgia não mais surtirá efeito. Daí meu alívio e meu sossego foram p/ espaço.

    Acredito que diante desse impasse o Doutor possa entender minha aflição.

    Então, minhas perguntas são as seguintes:

    O tratamento, com a medicação prescrita está correto? O condroton ajuda a diminuir ou mesmo reduzir o impacto da displasia?

    Com relação a cirurgia, devo aguardar ou realizá-la? Ainda, acaso o quadro se agrave, com a cachorra parando de andar, a cirurgia tem o condão de devolver os movimentos?

    Muito obrigado pela atenção dispensada.

    Gabriel

    • Bom dia Gabriel, desculpe a demora mas não consegui responder antes.

      Vamos as suas perguntas: O condroton ajuda sim aos animais com displasia, tendo em vista que ele é um precursor de cartilagem, portanto, ajuda a regenerar a cartilagem articular e ainda tem um pequeno efeito anti-inflamatório. Quanto a cirurgia existem duas correntes, a que espera o animal crescer e a segunda é a que sugere a cirurgia o quanto antes, eu faço parte da segunda, tendo em vista que a cirurgia realmente não afeta em nada o crescimento do animal. A displasia é uma doença articular degenerativa e portanto, deve ser realizada o quanto antes, o tratamento medicamentoso é apenas paliativo o tratamento definitivo é a cirurgia. Quanto mais tempo passar maiores serão as alterações e pior o prognóstico da cirurgia.
      Espero poder ter ajudado.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  75. Olá! Meu nome é Ana. Adotei duas bulldogs inglês em fevereiro. As duas já tem sete anos. Uma delas já veio mancando um pouco. Agora foi diagnosticada de displasia coxo-femural congênita. É difícil entender por quê pessoas tem cachorros e deixam isso acontecer! Sete anos! Lendo o seu blog vi que se ela tivesse operado antes, não estaria com essa dor intensa agora. Tenho muito medo de operá-la mas já decidi que o farei. Mas o medo não pode nos impedir de tomar a decisão correta. Afinal, o veterinário afirmou que o restante de sua vida será com mais qualidade. Como o senhor tem muita experiência, pergunto como é o pós-operatório? É só repouso e medicamentos? Se tudo correr muito bem, em quantos dias ela voltará a andar? Ela não poderá se levantar sozinha? Terei que a ajudar para tudo, segurando-a? Porque se assim o for, preciso desde já tomar umas vitaminas e uns analgésicos pra minha coluna! hehe Abraços Dr e a todos! Muito, muito, muito bom e esclarecedor o seu blog. Parabéns!

    • Boa noite Ana, Obrigado pela visita!
      A recuperação é tranquila, certamente ela vai precisar fazer repouso mas você não vai precisar ficar segurando todo o tempo. Ela vai precisar de analgésicos e antiinflamatórios e sempre recomendo a realização de fisioterapia no pós operatório, otimiza bastante a recuperação. Os animais se adaptam muito bem a esse tipo de cirurgia.
      Att.
      Dr. André Carneiro.

  76. Boa tarde dr. André,
    Tenho um labrador de quase 13 anos de idade. Há algum tempo, ele foi diagnosticado com displasia pelo veterinário pela posição de como ele ficava sentado. Ná epoca não nos indicou nenhum procedimento cirurgico, apenas remédios ( condroton ) para reduzir a evolução da displasia. Ele nunca apresentou problemas relacionados a esta doença, apenas de 1 ano para cá que percebemos uma certa dificuldade para se levantar ou pular no sofá. Pois bem, na ultima quinta-feira, minha mãe relatou que o cachorro começou a chorar durante a madrugada e desde então não se levanta mais. Levamos ao veterinário e tirarmos o RX para verificar se havia alguma fratura, mas nada, apenas a displasia com luxação. O tratamento indicado foi antinflamatorio Meloxicam e analgesico Tramal. O veterinário nos disse que ele deveria sair da crise em 3 a 4 dias.
    Minhas perguntas:

    1 – Existe a possibilidade de meu cachorro não voltar a andar ?
    2 – Uma crise deste tipo pode ser desencadeada por um escorregão que ele talvez tenha tido durante a madrugada?
    3 – Vi pelos seus posts antigos que você é defensor da cirurgia. Se os pré-operatórios forem satisfatórios, você indica uma cirurgia num Labrador de 13 anos?
    4 – Aproveitando a pergunta, existe algum tipo de risco em sedar o cachorro nesta idade para realizar os exames? Pergunto isto pois devido à dor, ele está muito agressivo quando se tenta mexer em suas patas traseiras.

    Moro em SP capital e meus pais ( onde está o Labrador) em Santo André/SP. Você tem algum profissional para nos indicar para este caso aqui na capital ou grande ABC?

    Desde já obrigado e parabens pelo blog.

    José

    • Boa noite José,
      Se o seu animal apresenta uma luxação completa da articulação pode sim ter sido desencadeada por um trauma, um escorregão pode desencadear uma crise dessas e até ser o responsável pela luxação. Defendo sim a cirurgia num animal de 13 anos, pois se o animal apresenta todos os exames normais é sinal que seu organismo está trabalhando de forma normal. Claro que existem alterações relativas a idade do animal, mas se o animal for acompanhado e monitorado por um anestesista não vejo problema.
      Procure ajuda nas universidades como a USP ou a UNESP, eles possuem setor de ortopedia com excelentes profissionais.
      Att.
      Dr. André Carneiro

      • Obrigado dr. André pela resposta.
        Apenas mais uma duvida:
        Dado uma luxação num animal com displasia coxofemural grave, existe a possibilidade que ele não volte a caminhar? Ou com o antiflamatório (Meloxicam) a tendência da luxação é ceder e o meu cachorro voltar a caminhar?

        Obrigado,

        José

  77. Dr. Andre, nossa Labrador de 7 anos fez a cirurgia de retirada da cabeça do fêmur e veja o resultado do exame histopatológico dela.
    Laudo Histopatológico

    Nome: Lua Proprietário: Deise
    Espécie: Canina Data: 30/07/12
    Raça: Labrador Idade: 8 anos
    Sexo: Fêmea

    Macroscopia: Recebido para exame anatomopatológico cabeça do fêmur seccionada no colo medindo 2,2 cm de diâmetro apresentando superfície articular lisa com áreas rugosas, coloração pardacenta e consistência pétrea.

    Microscopia: Os cortes revelam degeneração da cartilagem hialina articular e esclerose óssea subjacente. É notada presença de osso esponjoso, medula óssea vermelha e periósteo íntegros e sem lesões dignas de nota, exceto por pequena área de substituição de medula óssea vermelha por tecido conjuntivo fibroso. Ausência de sinais de malignidade.

    Diagnóstico: Degeneração articular e áreas de Distrofia fibrosa. Qual sua opinião a respeito . Desde já agradeço sua atenção.

    • Boa noite, sou de Recife, tenho um labrador de 8 meses e foi diagnosticado displasia coxo femural severa. O ortopedista dele indicou fazer uma cirurgia de desnervação, essa seria a melhor solução? Após a cirurgia ele vai poder correr normalmente? estou pensando em tirar férias pra poder cuidar dele no pós operatório, quantos dias ele fica sem andar apos a cirurgia? desculpa a quantidade de perguntas, mas to cheia de dúvidas. Você teria algum veterinário pra indicar aqui em Recife-PE?

      • Boa noite Fanny.
        A cirurgia de denervação é muito simples e rápida, o animal já sai andando da clínica. É uma cirurgia minimamente invasiva e não possui pós-operatório doloroso.
        Att.
        Dr.
        André Carneiro

  78. Dr. Andre, boa noite! Ja percebeu que nao consigo dormir, tenho uma rott de 10 anos, sempre esteve fora do peso, gordinha, percebi que a algum tempo ela so dorme ou fica deitada, deixou de pular e correr atras das bolinhas que tanto gosta, achei que fosse da idade, a mais ou menos 1 mes notei uma elevaçao no quadril, levei no hosp veterinario da Unip que fica aqui perto de casa, a Dra disse que poderia ser um tumor femural, quase desmaiei, ela vai fazer os exames agora pois precisa ser sedada, estou com muito medo, se for mesmo um tumor ela tem chances de vida? Li quase tudo o que esta postado, fiquei mais otimista, mas pelo jeito deve ser mais grave do que uma displasia, por favor me explique quais sao as complicaçoes desse tumor, estou desesperada, meu nome e Marcia, muito obrigado!!!!

    • Boa noite Márcia.
      Só teremos idéia do que realmente é depois de realizados os exames, existem diversos tipos de tumores. Com o exames radiográficos pode-se ter uma indicação, mas o laudo definitivo só é feito com uma biópsia.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  79. Bom dia Dr.

    Tenho uma pastor alemão branca de 3 anos e meio. Que a 4 meses começou a andar de forma estranha… e foi evoluindo de forma dela “mancar” fui no veterinário e recomendaram fzr o raixo X. Fiz e diagnosticou Displasia moderada… a minha veterinária receitou que ela tomasse Osteocart para que a situação se estabilizasse. Mas não está estavel… vem piorando, agora minha cachorriha se arrasta… não tem forças nas patas trazeiras…

    queria sua opinião, tento fzr acupuntura, troco de veterinário… troco o medicamento… ou vou pra cirurgia?

    • Boa noite Junior.
      Nos casos de displasia o único tratamento realmente efetivo é a cirurgia, a displasia é uma doença degenerativa e a tendência é piorar. Converse com o veterinário responsável.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  80. Dr. Andre, nossa Labrador de 7 anos fez a cirurgia de retirada da cabeça do fêmur e veja o resultado do exame histopatológico dela.
    Laudo Histopatológico

    Nome: Lua Proprietário: Deise
    Espécie: Canina Data: 30/07/12
    Raça: Labrador Idade: 8 anos
    Sexo: Fêmea

    Macroscopia: Recebido para exame anatomopatológico cabeça do fêmur seccionada no colo medindo 2,2 cm de diâmetro apresentando superfície articular lisa com áreas rugosas, coloração pardacenta e consistência pétrea.

    Microscopia: Os cortes revelam degeneração da cartilagem hialina articular e esclerose óssea subjacente. É notada presença de osso esponjoso, medula óssea vermelha e periósteo íntegros e sem lesões dignas de nota, exceto por pequena área de substituição de medula óssea vermelha por tecido conjuntivo fibroso. Ausência de sinais de malignidade.

    Diagnóstico: Degeneração articular e áreas de Distrofia fibrosa. Qual sua opinião a respeito . Desde já agradeço sua atenção.

  81. Deise Cristina em 19 de agosto de 2012 às 10:17 disse:
    Dr. Andre, nossa Labrador de 7 anos fez a cirurgia de retirada da cabeça do fêmur e veja o resultado do exame histopatológico dela.
    Laudo Histopatológico

    Nome: Lua Proprietário: Deise
    Espécie: Canina Data: 30/07/12
    Raça: Labrador Idade: 8 anos
    Sexo: Fêmea

    Macroscopia: Recebido para exame anatomopatológico cabeça do fêmur seccionada no colo medindo 2,2 cm de diâmetro apresentando superfície articular lisa com áreas rugosas, coloração pardacenta e consistência pétrea.

    Microscopia: Os cortes revelam degeneração da cartilagem hialina articular e esclerose óssea subjacente. É notada presença de osso esponjoso, medula óssea vermelha e periósteo íntegros e sem lesões dignas de nota, exceto por pequena área de substituição de medula óssea vermelha por tecido conjuntivo fibroso. Ausência de sinais de malignidade.

    Diagnóstico: Degeneração articular e áreas de Distrofia fibrosa. Qual sua opinião a respeito . Desde já agradeço sua atenção.

  82. Boa tarde! Gostaría de um ainformação. Minha família paterna possuem um labrador que hoje se encontra em uma situação lamentável! O cachorro foi abandonado na rua e então foi pego pela minha família, com uns meses notaram que o bicho não estava bom de saúde… Mesmo sem saber o que era e sem leva-lo ao um veterinário contiaram tratando do animal da forma deles. (Uma basta) … Eu notei que algumas vezes o Labrador que já me aparenta já ser adulto, aparecia com a anca meia caida e tendo dificuldade pra andar, algumas vezes nem conseguia se levantar, dias depois ele voltava ao normal, depois novamente a situação ai voltava ao normal. Só que hoje, ou melhor essa semana o bicho parou de vez… está deitado não meche o corpo e muito menos consegue comer… ainda está vivo só que em um estado lamentável! Essa minha família disse q n tem mais o q fazer pelo animal, mas como que não se eles nem sabem o que o animal tem? Eu tenho muita pena, mas n tenho condiçoes algumas de cuidar dele, diferente da família caso realmente quisessem que o animal sobreviva. Agora me responda: Esse tipo de doença displasia da anca poderia ser a causa do bicho hoje está assim? Quando deixaram ele, tb estava forte e nao tinha aparencias de maus tratos, mas acho q o abandonaram pq ele estava doente. Minha família o pegou, mas antes estivesse na rua pq to vendo que de nada adiantou

    • Bom dia Karina.
      Certamente o que seu animal precisa é de uma avaliação veterinária o mais rápido possível. Pode sim ser displasia mas também podem ser muitos outros fatores a influenciar na saúde do seu animal.
      Att.
      Dr. André Carneiro.

  83. Boa tarde ! Tenho uma cocker Spaniel de 10anos que de alguns meses pra ca começou a ter problemas em ficar em pé. Não estava conseguindo sustentar o peso … e ficava sempre escorregando. Levei no vet e fez um raio-x diagnosticando Displasia Coxofemoral. A veterinaria falou que nada pode ser feito e receitou apenas Condroton 500. Existe alguma cirurgia ou algum tipo de tratamento pra isso //? Desde ja muito obrigada. Aline

  84. Olá Dr André. Meu nome é Vanessa e tenho um labrador de 9 anos. Há 2 anos e meio ele faz quimioterapia intermitente para linfoma e tem uma boa qualidade de vida, vida normal, caminha diariamente, come bem, super ativo. Sempre nos propormos a manter seu tratamento enquanto ele ainda tiver uma vida digna e de boa qualidade, já que ao contrario do que em humanos, ele fica bem quando faz a quimeo.
    Já há 2 semanas vem com dor no quadril e já esta em uso de condroitina, tramal e AINEs e esta sem dor, mas há 2 dias não caminha mais, esta arrastando as patinhas de trás. Sabemos que ele tem displasia severa de quadril desde o inicio do ano. Não havia sido diagnosticada antes pois quando ele começou a demonstrar sintomas, tb foi diagnosticado o linfoma e ele melhorou com a prednisona do tratamento do câncer. Ele esta em remissão no momento do linfoma, mas qq cirurgia para o quadril foi contra-indicada por causa do câncer.
    Depois de tanto lutar pelo nosso cãozinho, desistir dele pq ele nao caminha parece até desumano. Existe algo que podemos fazer?
    Moro em Porto Alegre/RS e ele faz todo seu tratamento na UFRGS (tanto oncológico quanto agora as poucas consultas que fez com o ortopedista).
    O labrador tem 35kg e já esta de dieta.
    Obrigado pela atenção.

    • Boa noite Vanessa.

      Uma boa opção para controle de dor na displasia é a acupuntura, converse com o ortopedista responsável pelo caso e peça indicação de algum profissional.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  85. Olá, meu nome é Hugo César. Tenho um fila brasileiro com 3 anos e meio e pesando entre 60 e 70 kg. A estimativa é minha. Ele tem uma patinha defeituosa, e suspeito eu, apresenta um quadro de displasia. Dificuldade para levantar e sentar, um quadro de dor, e hoje à noite a pata traseira ficou paralisada. Queria saber se confirmado o quadro de displasia, a cirurgia seria indicada diante do seu peso. Pior de tudo é que ele não é necessariamente obeso. A estrutura é que é grande. Portanto, esta é minha pergunta: seria recomendável, no caso de confirmada a displasia, administrar o quadro, ou partir para a cirurgia?

  86. Olá Dr André, primeiramente parabéns pela sua iniciativa e disposição em ajudar. Meu nome é Alexandre e tenho uma fêmea de Rottweiler de 7 meses com 26kg.

    Ela sempre foi bem ativa e nunca apresentou caudicação ou dores nos membros traseiros. Há aproximadamente 15 dias, na hora do banho, ela escorregou e literalmente “abriu” as patas traseiras chegando a colar a barriga no chão. Ela gritou bastante e a partir daí passou a mancar e apresentar dores sensíveis ao toque na pata traseira direita. Pensei que pudesse ter sido um “estiramento” muscular e fiquei somente na avaliação. Ela ficou um pouco mal por uns 3 dias, mas logo em seguida voltou a ser bem ativa.

    Passados estes 15 dias, como a caudicação não parou, resolvi levá-la ao médico veterinário que tirou uma radiografia. O Dr informou que ela não apresenta quadro de displasia (já que o acetábulo estaria bem formado), mas que possivelmente devido a queda houve uma luxação coxofemoral no membro direito ( o esquerdo está bem formado e encaixado). Eu mesmo vi a radiografia e realmente o fêmur está “fora” do lugar. Ele me indicou fazer a cirurgia, tendo como opções a remoção da cabeça do fêmur ou a utilização de fio com cavilha.

    Escrevo aqui, para tentar ajuda no sentido de obter mais informação sobre a técnica de fios, haja vista a recuperação mais rápida. Estou aberto a qualquer ajuda possível, o que o Sr acha?

    Abraços,
    Alexandre .´.

      • Obrigado pela ajuda Dr. André,
        Li o artigo e me ajudou bastante. Hj mesmo falei com o Vet. e marcamos o procedimento por cavilhas e fios. Como a cadela só tem 7 meses e a lesão 15 dias, acho que a recuperação será bem rápida. Sem contar que ela não apresenta sinal de displasia e o acetábulo está em perfeito estado.

        Mesmo assim ainda fico com receio devido ao peso que ela vai atingir quando adulta (+- 40 kg). Pela sua experiência, existe chance de ocorrer outra luxação pela questão do peso adulto?

        Mais uma vez obrigado.
        Alexandre

  87. Olá Dr. André. Já conversamos, o senhor já me respondeu mas ainda tenho dúvidas, sinto-me indecisa… Minha bulldog inglês, Balu, completará 8 anos dia 25/03/2013. Eu a adotei há sete meses. Sou sua terceira mamãe. Fiquei muito triste quando descobri há menos de um mês que ela sofre de displasia coxo-femural congênita e não teve tratamento apropriado até agora. Se ela tivesse feito a operação quando era bebê, não estaria sofrendo agora… Quando a adotei em fevereiro deste ano, ela mancava um pouquinho mas tinha uma vida muito normal. A dor apareceu no mês de julho. E aí começou a correria. Desde que foi diagnosticada, ela toma maxicam, tramal, dipirona e etc… E sinto que fica feliz na hidromassagem. Já peguei a opinião de 3 veterinários e as opiniões se dividem sobre a operação. Eu sei que o senhor é a favor. Ainda estou insegura, pois todos os posts que leio aqui, a maioria são de cachorros novinhos… Não li aqui nenhum caso de cachorro idoso como a minha (porque bulldog inglês de quase 8 anos, é idosa, né?) e que se deu bem na operação. Queria tanto saber de algum caso pelo menos. Igual outra pessoa que escreveu acima que TEM MEDO que seu cachorro não ande mais depois da operação, eu tb tenho! Tenho medo que ela n consiga mais levantar sozinha… Nesse mês de tratamento fui eu quem ficou lesada da coluna de carregá-la pra cima e pra baixo, efvitando que ela ande e suba degraus. Tenho medo que após a operação ela fique ainda mais dependente de mim e minha força pra carregá-la… Mas por outro lado, percebo que nem o tramal e nem a dipirona estão evitando que ela sinta dor… Sinto que devo confiar e entregá-la na mão do veterinário que a deseja operar… Suas respostas, Dr. André, sua alegria e sua energia, sua doçura em responder são tão contagiantes, que resolvi escrever de novo e dividir meus medos… Afinal, qualquer dia destes outra mamãe de bulldog inglês velhinha poderá estar no mesmo dilema que me encontro… snif

  88. Olá Dr.
    Tenho um Rottweiler 2 a 3 anos de 45 a 50 kilos, acredito que ele tenha Displasia coxofemoral, tenho um RX, porém o mesmo não fala de DCF. Meu cão esta mancando muito apesar de trata-lo com condruitina, ração também com condruitina, mas não estou vendo resultado, gostaria de passar para uma situação mais positiva (cirurgia). Pode me ajudar?

  89. Ola Dr. André. Meu nome é Bianca moro em Itajaí-SC e tenho um Chow-Chow de 5 anos que menos de 1 mes foi diagnosticado com displasia severa nas duas patas traseiras. A primeira veterinária recomendou fazer a cirurgia da remoção da cabeça do fêmur das duas pernas de uma vez só e disse que voltaria a andar normal. Levamos num segundo especialista que não recomendou a cirurgia pois seriam nas duas pernas e ele uma boa reabilitação, não teria uma vida normal, mas se fosse necessário recomendaria colocar uma prótese. Ele receitou anti-flamatórios. Os remédios não estão fazendo efeito. Ele deixou de movimentar as pernas. Está se arrastando. É muito doloroso de ver e já estamos pensando em sacrificá-lo. Eu não sou a favor. Além do mais a cirurgia para colocar a prótese é cara. Cobraram R$ 6,000 em cada perna.
    Te peço um conselho como em último caso. Ele é Chow-Chow totalmente diferente da maioria. Muito dócil.
    Se fizer a remoção da cabeça do fêmur das duas patas ele voltará a andar?

    • Boa Noite Bianca.
      Se ele voltará a andar vai depender do organismo responder de forma satisfatória. A acupuntura é um bom meio de controle da dor em animais com displasia severa, pode-se fazer o tratamento para diminuir a dor e depois realizar a cirurgia.
      Att.
      Dr. André Carneiro

    • Dr. André, perdão pela intromissão, mas achei que a indagação de Bianca justificava uma contribuição de minha parte. Tenho um fila brasileiro que, com apenas sete meses de idade teve diagnosticada displasia coxo-femoral severa nas duas patas. O primeiro veterinário ficou desconfiado e não falou claramente, mas deixou implícito o sacrifício. Levei a outro que sugeriu a extração da cabeça do fêmur na pata que estava pior e observação na outra. Fizemos assim, e o cão vive até hoje, sem dor, com alegria e saúde. Já tem dois anos e meio, come uma ração medicamentosa e é um amor. Busque sempre uma segunda opinião e sacrício, minha amiga, só se o cão estiver em agonia e não houver qualquer alternativa de aplacar esta agonia.

      • Boa noite Hugo.
        Sem problemas, é bom ter a participação de um proprietário que passou pelo mesmo problema. Grato pela sua contribuição.
        Att.
        Dr. André Carneiro

  90. Boa tarde!
    Minha Akita de 11 anos sentiu muitas dores ao se levantar neste final de semana e ao levar ao veterinário, pediu um RX mas há quase uma certeza de ela ter displasia. Ainda estou no começo das pesquisas, mas gostaria de saber se é mesmo necessária a radiografia…não seria mais arriscado a sedação e anestesia? Vale o esforço? Ela toma gardenal, isso interfere em algo? Quais são as possíveis consequências dessa doença? Muito obrigada pela atenção

    • Boa noite Renata.
      O exame radiográfico é o que realmente vai diagnosticar a displasia, se seu animal precisar ser sedado para realização do exame é só você informar ao anestesista que seu animal faz uso do medicamento. A displasia é uma doença degenerativa e a tendência é agravar com o passar do tempo.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  91. Olá Dr. André! Continuo aguardando que alguém que tenha operado tardiamente (oito anos) seu animalzinho vítima de displasia coxo-femural, coloque aqui seu comentário e compartilhe o resultado da operação. Aguardo e desde já agradeço!

  92. Bom dia Doutor, Moro em uma cidade com poucos recursos veterinários, por isso peço a sua ajuda, meu cão é poodle, tem 7 anos, porte médio, ao tentar subir no carro ele bateu o fêmur, na rediografia mostra que houve deslocamento (cabeça), o veterinário sugeriu cirurgia para retirada da cabeça do fêmur, disse que ele ficará normal. Gostaria muito de ter seu parecer antes. Muito obrigado, aguardo resposta por email, se possível.

  93. Boa noite Dr.
    Estou desesperada….
    Eu tenho uma rottweiler com cinco anos de idade que esta apresentando problemas para andar. Tudo começou há uns três meses atrás e agora estou dando condroitina e clucosamina, amanhã ela vai fazer a radiografia pra ter certeza da doença, mas a vet falou que provavelmente é displasia.
    Eu moro no interior e não existem muitos veterinários aqui, nenhum da minha cidade é especialista. (Bandeirantes-PR)
    Gostaria de saber se existem clínicas para operar aqui no Paraná ou mesmo um veterinário indicado para me ajudar. Eu quero começar a tratar agora para, pelo menos, estagnar a doença e não doer até eu achar tempo (e grana) para cirurgia.

      • Entrei em contato com o Dr. Kodama, vou levar minha cachorra para fazer mais alguns exames…. Ele é de confiança? Como ficou sua cachorra???

  94. Olá, Boa Tarde!
    tenho uma gata SRD de 02 anos que sofreu uma luxação Coxofemural traumática. ela foi operada a uma semana. A cirurgia realizada foi a amputação da cabeça só fêmur. O ortopedista que operou disse que ela deveria realizar repouso total e não poderia colocar a pata no chão nem dobrar o joelho, pois dessa forma estaria forçando a pata operada.
    Porém hoje em conversa com uma colega Veterinaria, ela me disse que o animal deveria realizar exercícios como caminhar para que se recuperasse mais rapidamente.

    Gostaria de mais uma opinião de um especialista. pois fiquei sem saber o que fazer.
    Poderia me indicar qual seria a melhor opção para uma melhor recuperação??

    Grata.

    Natália

  95. Boa Noite Doutor,

    me chamo Nathalia e tenho um poodle com 8 anos, que acabou de fazer a cirugia da retirada da cabeça do femur e a colocação de um pino no calcanhar após um acidente.
    Não entendo nada, e as vzs fico apreensiva, por mais recomendação que tenha.
    Ele operou ontem e veio para casa, esta se alimentando bem, porém parece estar com medo de ficar em pé, hj ele começou a sentar, até fica em pé porém cai, pois a pata de trás que esta boa ele nao mexe, acredito que por medo.
    Gostaria de saber se é normal esse processo? Quanto tempo ele demora para se segurar em pé confiante?

    Obrigada,

    • Boa noite Nathália,
      Isso é absolutamente normal vamos fazer um comparativo, se fosse um de nós o ortopedista iria mandar ficar com o pé para o alto por pelo menos 2 meses…
      Acredito que em mais alguns poucos dias ele já estará adaptado.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  96. Olá, boa noite!

    Meu nome é Joyce e tenho um boxer (tigrado) de 9 anos. Todavia, pelos sintomas dele, ele deve estar com displasia coxofemural, pois o quadril dele a cada dia que passa tem “caído” mais. Tipo, ele esta em pé comos 4 apoios, e do nada o quadril e as patas traseiras começam a “arriar”. Tm dias como hj, ele tem dificuldades p/ fazer simples atividades, como caminhar e levantar! Ele é muito grande. Creio que ele seja maior do a média de mtos boxers q ja vi por aí… Entao, a perna direta dele é a que está pior, não dobra mto, ai ele manca um pouco as vezes… Andando, as patas traseiras escorregam, desse modo, ele faz mto esforço para manter-se em pé. Ai, a uns 5 meses, ele ficou internado, fez alguns exames, tomou umas injeções (não sei quais medicamentos, pq meus pais q o levaram ao veterinário), as quais fizeram efeito, mas, teriam que ser dadas 2x por semana, mas são muito invasivas. Recomendaram que ele tomasse 2 comprimidos de CONDROTON 1000 mg por dia. como é um medicamento de alto custo, eles acabaram e ainda não deu para compramos. Em suma, gostaria de saber qual o tratamento para fortalecimento mais indicado para o caso dele.

    Att.

    • Boa noite Joyce,
      Seu animal realizou exames radiográficos para diagnóstico de displasia? se não realizou é necessário que se faça. O tratamento para displasia é cirúrgico.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  97. Boa tarde Dr. Andre,

    Tenho uma bulldog inglesa de 4 anos .Ela está com desgaste na cartilagem do osso do femur quando se une a bacia. Foi indicada para fazer denervaçao acetabular. Gostaria de saber sua
    opiniao. Quais os riscos, o pos operatorio, como será a vida dela apos a cirurgia. Vai andar normalmente?
    Aguardo seu retorno,

    Obrigada,

    Ana

    • Boa noite Ana Carolina,
      A cirurgia é bem rápida, o pós-operatório é muito tranquilo e o animal retorna a andar normalmente sim. O animal já sai andando da clínica, é uma cirurgia minimamente invasiva. No Blog existe um post sobre Denervação Capsular Percutânea da uma olhada.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  98. Dr Boa noite, Minha mãe tem um labrador de 8 anos, que segundo o veterinário esta com desgaste na articulação dos dois joelhos e artrose, mais cronico em uma das patas, ele esta sofrendo muito, não consegue ficar de pé e quando fica tem dificuldade para deitar novamente, o médico esta tratando com anti flamatórios e outro medicamentos, mas esta piorando, esta muito magro e esta sempre gemendo e chorando de dor, será que a cirurgia pode sanar este problema? Não tenho todos os detalhes dos medicamentos, mas posso pegar os detalhes e repassar para o Sr. Minha mãe esta arrasada, o Scub era um cão muito alegre e ativo, agora esta triste e sofrendo, por favor oque podemos fazer? Meu nome é Rafael Carvalho, meu e-mail é rafadesigner@globomail.com, muito obrigado e parabéns !

    • Boa noite Rafael,
      Seu animal já realizou exames radiográficos para diagnosticar o problema? Realmente é o joelho, pode ser o quadril? Nos labradores é mais comum a displasia coxofemoral.
      Att.
      Dr. André Carneiro

      • Bom dia Dr. o vet fez a radiografia e disse que a cartilagem do joelho desgastou, agora ele esta com a pata muito inchada e não consegue mais andar, esta internado a 2 dias tomando soro e injeções, tem vomitos e diarreias, e o vet disse que não preciso mais operar que ele ficará bom, não entendo, no inicio ele disse que o único jeito seria operar mas poderia afetar a outra pata que também estava com desgaste, agora não precisa mais, será que o vet esta nos enrolando? devemos levar o scub em outro vet.? Obrigado pela atenção.

      • Boa noite Rafael,
        Realmente não tenho como opinar nesse caso pois não avaliei seu animal, mas a segunda opinião é um direito de todo paciente.
        Att.
        Dr. André Carneiro.

  99. Boa noite, meu nome é Cristina e tenho uma labradora de 13 anos com displasia,ela toma carpoflan e condroton continuamente, e dexador e tramal nos momentos de crise.Tem dia que ela praticamente não anda,gostaria de saber se a cirurgia é recomendada nesta fase e quais os riscos.Desde já agradeço pela atenção!

    • Boa noite Cristina,
      Sim a cirurgia é recomendada em qualquer idade, se seu animal realizar os exames pré-operatórios e tudo estiver normal não vejo problema em realizar a cirurgia.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  100. Olá, boa noite.

    Primeiro queria cumprimentar pelo blog, que foi de extrema utilidade na minha situação. Aprecio sua atenção com leitores e verdadeira vontade de ajudar.

    Tenho uma labradora de 1 ano e meio. Reparei que era “desajeitada” desde muito pequena. Quando completou 1 ano, apesar de comer pouco e se exercitar, começou a engordar e logo se tornou obesa. Há pouco tempo começou a ter dificuldades para andar, parou de subir escadas e um dia não conseguiu mais andar.

    O veterinário diagnosticou artrite, sem fazer nenhum exame, e disse que era decorrente do excesso de peso. Ela está tomando o remédio Artri há pouco mais de um mes, apresentou melhoras e perdeu um pouco de peso. Ele não recomendou nenhuma ração, apenas falou para diminuir a quantidade, o que me parecia muito pouco para ela.

    Fiquei insatisfeita por esse diagnóstico, ele não foi capaz de me informar bem qual era seu problema. Basicamente ele disse que ela precisava perder peso, então melhoraria. Ela melhorou pouco e continua obesa, pois, apesar de comer pouquíssimo, não tem condições de se exercitar o suficiente. Como moramos no interior de MG, não encontramos um outro veterinário para um segundo diagnóstico.

    Fiquei feliz por encontrar muita informação na internet sobre displasia coxofemural, possibilidade que o veterinário nem citou, e como total leiga no assunto, me parece muito mais ser o caso da minha cadela do que a artrite diagnosticada.

    Pelo que entendi preciso urgentemente fazer um exame para ter um diagnóstico mais preciso. Está sendo muito difícil ver minha cadela sofrendo e com pouca melhora… cheguei a pensar que algum distúbio fosse a razão do problema com o peso.

    Desculpe o texto enorme! Mas ficaria muito feliz em ter sua opinião sobre diagnóstico de artrite, que tem me deixado com muitas dúvidas sobre sua precisão.

    Abraços e mais uma vez, obrigada por compartilhar informações tão valiosas nesse blog.

    • Boa noite Marina,
      Certamente seu animal precisa de um exame radiográfico para um diagnóstico mais preciso. O sobrepeso é um fator bastante importante no controle da dor na displasia mas não é o único. A displasia é uma doença degenerativa e requer uso de analgésicos e antinflamatórios e se possível intervenção cirúrgica.
      Att.
      Dr. André Carneiro.

  101. Boa tarde dr André.
    Meu nome é Josué e tenho uma golden retriver que completará 4 meses no próximo dia 3, se chama Tequila.
    Comprei-a com a garantia de que não tinha histórico familiar de displasia coxomoral, estou seguindo todas as orientações para evitar a doença adquirida porém noto que ela anda “quebrando o quadril”.
    Esta pode ser uma característica da idade?Devo fazer o raio-x ou algum exame para diagnosticar?Caso possua algum problema, quero tratá-lá o quanto antes. Pratico corrida e um dos motivos da compra da Tequila foi a companhia nos meus treinos, por enquanto faço apenas caminhadas bem leves com ela.

    • Bom dia Josué,
      O diagnóstico definitivo da displasia só pode ser feito após 24 meses de idade. Mas pode-se ter uma boa idéia fazendo um Rx aos 6 meses e acompanhamento com 1 ano de idade.
      Att.
      Dr. André Carneiro

    • Bom dia Josué,
      O diagnóstico definitivo da displasia só pode ser feito após 24 meses de idade. Mas pode-se ter uma boa idéia fazendo um Rx aos 6 meses e acompanhamento com 1 ano de idade.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  102. Olá, Boa tarde

    Tenho uma linda lhasa apso de 3 anos. Após voltar do seu banho e tosa, a Lika voltou meio tristinha. Achei normal porque ela tem alergia a lamina, mas mesmo assim estava com sua rotina normal. Horas depois, ela começou a ficar quietinha na sua caminha e não queria mais levantar, quando decidi levá-la ao veterinário. Após exames e Rx da coluna e quadril ela foi diagnosticada com displasia coxo femural e bico de papagaio na coluna. Meu chão caiu. Não estou conseguindo acreditar que uma cachorrinha totalmente saudável em algumas horas não consiga mais andar. Ele receitou um antiflamatorio e um remédio para faze-la andar, não me recordo mas acho que é para corrigir a coluna, para depois ver se fará uma cirurgia. Isso pode acontecer? De uma hora pra outra ela correndo, totalmente normal, não conseguir mais levantar a parte de trás? Ela está sem reflexos nas suas patinhas traseiras. Estou desesperado!!!

    • Bom dia Maicon,
      Sim, pode acontecer. Já atendi pacientes que o proprietário relata que o animal estava brincando, e após um movimento parou de mover os membros postariores. Se ela já possui alteração na coluna, essa dificuldade em andar pode ser devido a protusão do disco intervertebral, a famosa “Hérnia de disco”. A cirurgia de descompressão é uma opção, e os tratamentos alternativos como a acupuntura também possuem bons resultados.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  103. Tenho uma Mastiff ela esta com 8 meses esta com displasia grave,ela as vezes manca muito,estou morando na Bahia sera que aqui encontro algum especialista ,para ter mais informações o vetérinario que levei fez o RX E DEU UMA MEDICAÇão para aliviar a dor mais não poderei viver dando remédios né

    • Boa noite Eliane,
      O único tratamento definitivo da displasia é a cirurgia, certamente não se pode medicar o animal a vida toda. Procure indicações com amigos que possuam cães, geralmente é uma boa opção.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  104. Olá Dr. André. Tenho uma golden retrivier de 10 meses com displasia severa e uxações nas patas posteriores. Recentemente optei pela cirurgia que retira a cabeça e parte do fêmur. A recuperação foi tensa, mas hoje após 2 meses ela está bem, não digo 100 %, mas anda, e até simula uma corrida. A próxima cirurgia está marcada para fevereiro, 5 meses após a primeira. Seria bom esperar um período de intervalo maior?
    Outra questão: alguns especialistas criticaram essa cirurgia, falando que minha cachorra terá problemas nos joelhos devido ao “encurtamento” da perna, e por ela ainda não ter adquirido o tamanho adulto. Esse problema pode existir? Percebo hoje, que a parte da frente dela é mais alta que a trazeira, que é mais magra e mais baixa.
    O que devo fazer para vê-la saudável?

    Obrigada
    Natali Ramos

  105. Olá Boa noite

    Eu tenho uma sobrinha que é uma husky já idosa, tem 10 anos e ela está com displasia da anca , mas também tem uma hérnia discal e bicos de papagaio. Já tomou cortisona , mas como o figado também não está famoso e não pode estar sempre a tomar, agora está a tomar anti inflamatório e algo para proteger o estomago também. Também nos disseram que havia a hipótese de a operar , mas devido á idade isso está fora de ideia . Ela não se consegue praticamente levantar , nem ir á rua , porque não tem força nas pernas . O que podemos fazer para a ajudar ??????

    • Boa noite Luisa,
      Como seu animal possui também hérnia de disco e bico de papagaio, tem que se levar em consideração se o procedimento cirúrgico aliviará realmente a dor do seu animal. A acupuntura é uma boa opção para o controle da dor.
      Att.
      Dr. André Carneiro

      • Obrigada doutor, essa cirurgia da displasia funciona como??? Ela resolve o problema ou apenas ameniza a dor?? Ele tem nas 4 patas, a cirurgia seria feita em todas juntas?? Uma vez um vet disse que a cirurgia só tira a dor mas que o problema continuaria…vou procurar a acupuntura como um paliativo por enquanto mas quero fazer a cirurgia sim!! Obrigada

  106. Bom dia, Dr.

    Primeiramente, parabéns pelo Blog. É muito útil para aqueles que, como eu, preocupam-se tanto com seus bichinhos.

    Tenho uma Cocker de 8 anos super saudável e ativa. Há algumas semanas, literalmente da noite para o dia, percebi que ela começou a mancar de uma das patas.

    Levei-a ao veterinário e fiz uma radiografia. Ela disse que ela tem Displasia Coxofemural e que o caso já está super evoluído, que a cabeça do fêmur praticamente nem existe mais. Segundo ela, não sabe nem como a cachorra ainda está andando.

    O caso é que ela não só está andando, como corre, brinca e faz levadezas até. Ela manca relativamente pouco, só quando acelera um pouco o passo.

    A veterinária não entrou muito em detalhes porque disse que eu preciso procurar um ortopedista. Mas indicou a cirurgia, devido ao avanço do quadro, mas a cachorrinha parece tão feliz. Fico com medo de a cirurgia fazer ela ficar debilitada e piorar sua situação.

    Além disso, como fui pega de surpresa com esse imprevisto, nem tenho condições financeiras de pagar essa cirurgia, por isso, queria algumas sugestões do senhor: é realmente necessária? o que pode acontecer de pior? pode ficar paralítica? dá para esperar uns 3 meses para fazer essa cirurgia? como é sua recuperação? é certo que será bem sucedida?

    Sei que meu texto ficou enorme, mas peço que o senhor me responda, pois estou bastante preocupada.

    Grazielle

    • Boa noite Grazielle,
      Isso é relativamente comum, alguns animais mesmo com imagem radiográfica muito alterada não apresenta sintomatologia clínica. Não se tem como dizer se a cirurgia será bem sucedida ou não, a recuperação é bem rápida e como o seu animal não apresenta sintomatologia não é uma emergência.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  107. Bom Dia Dr. André, tenho um Rottweiler de 6 meses e está com Displasia Leve, a Veterinária dele passou um Anti-inflamatório de 12 em 12 hrs durante 10 dias, Condroprotetor uma vez por dia durante 30 dias e Tramadol 50mg de 12 em 12 hrs durante 10 dias, minha preocupação e com a administração do Tramadol, por ser um medicamento forte tenho dúvidas se devo ou não dar para o meu cachorro e se a necessidade de fazer cirurgia e qual me indicaria?

    Obrigado
    Vanessa Gomes.

    • Boa tarde Thayrine,
      Infelizmente não tenho como ceder um caso para você, mas você pode utilizar algumas fotos do blog desde que cite a fonte. Você é aluna de qual universidade?
      Att.
      Dr. André Carneiro

      • Faciplac-Brasília,muito obrigada pela ajuda já consegui um caso,gostei muito do Blog.Parabéns pelo trabalho.

  108. Boa noite DR. Meu labrador tem 1 meses e fez a cirurgia de remoção da cabeça do fêmur dia 22/11. Gostaria de saber se ele pode ficar andando, pois ele é muito agitado e fica andando com a pata pendurada pela casa. Tem algum remédio que eu possa dar pra ele ficar mais calmo?

  109. Ola dr
    acabei de ganhar um macho de shih tzu de 2 meses de idade. Ele apresenta uma fraqueza nas patas traseiras, tenho a impresão que a articulação se desloca quando ele anda ou enquanto está comendo. Não sente dor, mas percebi que tem muito medo de cair quando pegamos no colo, parece que já caiu alguma vez. Vou leva.lo na vet essa semana, mas já queria ir tendo uma noção do que pode ser.
    Por favor, se puder me dar alguma orientação, desde já agradeço.
    Edvania Pinheiro

  110. Bom dia, tenho uma red hiller, ela é muito ativa, pula e corre o dia todo. Ontem ela amanheceu com um incomodo muito grande no rabo. Ela ficava mordendo e chorando.. Ela não tem problemas de estresse porque é uma cachorra muito ativa mesmo; Mas hoje ela amanheceu mancando na perna esquerda, e o xixi dela está vermelho.. =( Ela continua alegre, mas está com dificuldade de levantar.. Pelo que observamos ela sente dor quando encostamos nos rins dela.. Doutor me ajuda.. Moro em uma cidade onde os veterinários são péssimos!! Você acha que a perna mancando e o rabo incomodando é algum tipo de torção, ou são reflexos de uma suposta infecção nos rins? Me ajuuuuuda estou desesperada. Obrigada

    • Boa noite Mariana, desculpe a demora.
      Infelizmente não poderei ajudar a vocês, são sintomas muito inespecíficos mas acho que a cauda não tem relação com o restante.
      Procure indicação de um veterinário com algum amigo que tenha animal também, é uma boa solução.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  111. É sensacional saber que ainda há nesse Mundo cheio de ambições, aonde o dinheiro fala mais alto e as pessoas conhecedores e detentoras de alguns assuntos importantes ao nosso convívio entre os seres, possa existir um anjo como o Sr. Tenho um filhão (boxer), de 12 anos, que apresentou a tão famigerada displasia coxofemoral. A veterinária recomendou que eu desse Artrin e nada mais. Esta correto essa receita, ou teho que dar algo mais pra ele? O mesmo continua caminhando, mas vem mostrando sinais de dor. pois vem arrastando a pata esquerda traseira (a que esta com o problema)

    • Boa noite Carlos, obrigado pela visita ao blog e continue nos visitando, sempre que puder ajudarei.
      Seu animal é um boxer de 12 anos, a expectativa de vida desses animais gira em torno de 14 anos em média. Nos animais mais idosos quando a sintomatologia não é muito grave, recomendo o uso de condroprotetores como o Artrin e associação de terapias alternativas como acupuntura.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  112. Dr. muito bom seu blog. Tenho um pastor (7anos) e há um ano atras ele começou apresentar sintomas de displasia, ( nao conseguia andar, só queria ficar sentado) levei em um veterinario e ele receitou Cefalexina + Carproflan, (15dias) mas o cachorro nao melhorava. Assim uma outra veterinaria disse que eu poderia usar Meloxican 20mg uma vez ao dia + prednisona 20mg 12 em 12 horas administrados juntos durante 10 dias ( todos esses de uso humano e bem mais barato que os anteriores) usei esses. Enfim o cachorro voltou a andar normalmente e até hoje nao apresentou os sintomas novamente. hoje tenho outro problema. Para um tratamento de bicheira no “saco” novamente o veterinario receitou Cefalexina + carpoflan, mas eu usei Meloxican + prednisona,(10 dias) porem dessa vez o cachorro esta apresentando uma diarreia muito forte com muito sangue e vomito constante. Voltei hoje ao veterinario e ele me disse que nunca eu poderia ter usado prednisona junto com meloxican. O saco ja esta ok, assim ele retirou as medicaçoes anteriores e receitou Metronidazol mas continua com vomito intenso e parou de comer. Estou confuso pois há um ano atras Meloxican+prednisona foi muito bom. enfim posso ou nao usar esses dois medicamentos juntos? essa diarreia pode ser causa dessa medicação ( meloxican+prednisona)? devo continuar com o Metronidazol? o que vc me aconselha neste momento? muito obrigado.

  113. Olá, tenho uma yorkshire de 7 anos, ela soltou a articulaçao do joelho e da coxa,já levei ela no veterinario e disseram que tem que fazer uma cirurgia, mas me preocupo de ela nao resistir.Tem como tratar isso so com os medicamentos?

  114. Boa tarde, tenho uma poddle de 11 anos, ha mais ou menos 10 dias ela vem demonstrando um comportamento estranho, ela sentiu algo , gemeu se esticou toda e os olhos ficaram brancos depois disso apresentou tremores nas patas traseiras e arriando os membros , levei a dois veterinarios, o primeiro entrou com sulfa e nimesulida fez exames laboratoriais e de fezes, nao deu nada, levei ao segundo fez ultrassom e outros exames de sangue e nada, ele suspendeu a medicacao e passou asno se naum me engano 1x ao dia ele apresentou breve melhora porem ainda se treme muito esta muito tristonha e naum sei mais oq fazer, ha naum ser chorar, peco ajuda encarecidamente, atualmente ela esta tomando maxicam 0,2mg. ajude-me.

    • Boa tarde Renata,
      Não examinei seu animal e não sei qual o resultado dos exames, mas pela manifestação clínica já se cogitou a hipótese de uma crise convulsiva ou alguma lesão isquêmica no cérebro? Se possível procure indicação com o veterinário responsável de um neurologista veterinário.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  115. Boa tarde,

    tenho um bulldog inglês que completará dois anos em maio de 2013. com seis meses ele foi diagnosticado com displasia coxofemoral. Ele sempre foi muito hiperativo e brincalhão. hoje, com dois anos, está bem acima do peso, mas mesmo assim continua agitado e pula muito. No inicio, quando novo e com pouco peso, sequer demonstrava sinais de dores, parecia um cão normal, como ganhou muito peso e sofreu alguns escorregões acho que o quadro de displasia piorou. Hoje em dia ele manca da perna esquerda, e recentemente escorregou de novo e machucou a dianteira esquerda também. Desde os seis meses de idade ele vem tomando condroton. Ele vive na casa dos meus pais, que são do interior de Mato Grosso, eu moro na capital e quando vou vistia-los costumo passear bastante com ele. Ele nao é acostumado a passear, logo acho que andei forçando um pouco, talvez seja por que ele anda mancando tanto. O Que eu gostaria de saber, é se alguém pode me indicar algum especialista em displasia para avaliar a possibilidade de uma cirurgia. Como o Bull vive no interior de MT não contamos com profissionais capacitados. Portanto, se alguém puder indicar algum especialista nas Cidades de Goiânia ou Cuiabá eu ficaria grato. Gostaria de saber como é feito essa cirurgia também, e quanto tempo em média leva para recuperação do animal. Como disse ele é hiperativo e muito agitado, tenho medo que se machuque de novo ou que não colabore na pós cirurgia. Grato. Leonardo Fernandes – Mato Grosso

    • Boa tarde Leonardo,
      Tenho um amigo de inteira confiança que estudou comigo aqui no RJ e hoje tem uma clínica em Cuiabá, o nome dele é Guilherme Santos, não tenho o endereço no momento mas vou procurar e mando para você.
      Feliz 2013!
      Att.
      Dr. André Carneiro

      • Boa noite Leonardo!
        Segue o endereço da clínica do Dr. Guilherme em Cuiabá. Rua 2 nº 192. Boa esperança. Atrás da sorveteria Alaska. Telefone: 65 30522466.
        Att.
        Dr. André Carneiro.

  116. Olá. Meu nome é Marcio, sou de Florianopolis-SC.
    Tenho um lindo filhote de labrador(na verdade são 4, rs) chamado Júnior que tem 7 meses. Ele era o alfa da matilha de 8 que nasceram, mas com aproximadamente 3 meses notei dificuldades e dor nas suas patas traseiras que afetavam muito sua movimentação. Minha vet disse para esperar um pouco pra fazer o raio-x, mas ele piorou muito a locomoção em um prazo muito curto… Fiz o exame e a displasia foi constatada dos 2 lados, que já causava uma atrofia na musculatura. Entrei com condroton 1000mg e antiinflamatorio e dorflex, o que ajudou muito na diminuição da dor.Levei no Dr. Marcelo Puls aqui em Florianopolis que não indicou a osteotomia pélvica devido a gravidade da situação, mas a denervaçao acetabular (cortar o “nervo”). Hoje foi a cirurgia, vou busca-lo daqui a pouco, espero que tenha dado tudo certo.
    Sei que esse procedimento vai apenas cortar a consequencia (dor) e não eliminar a causa.
    Gostaria de saber se o procedimento de retirada da cabeça do femur é a única hipotese possivel para o caso dele, pela idade.
    Quero parabenizar pelo blog, que nas minhas pesquisas pela net, foi de grande importancia para entender o problema da displasia.
    Grato.

    • Boa tarde Márcio,
      Obrigado pela visita!
      Existe também a prótese de cabeça e colo femoral, mas para a prótese o animal precisa terminar o crescimento. Em filhotes a retirada de cabeça e colo femoral é uma ótima opção e não prejudica o crescimento do animal em nada.
      Feliz 2013!
      Att.
      Dr. André Carneiro

  117. olá Dr. André tenho uma buldog ingles de 5 anos que fez a cirurgia de remoção de cabeça de femur na quarta feira dia 28/12 qdo fui vusca-la a veterinaria falou que não precisava fazer repouso absoluto, podia deixar caminhar pela casa sem pensar em caminhadas longas, na quinta feira ela ja estava disposta e andou pela casa até apoiando um pouco a pata, então estou na duvida ela ficar andando pela casa pode? ou pode comprometer a cirurgia? ela vai iniciar a fisio e acupuntura daqui uma semana por outro lado se tranca-la no cantinho dela ela não vai exercitar e pode prejudicar? obrigada pela atenção dr.

    • Boa tarde Juliana,
      Caminhadas leves fazem parte da boa recuperação cirúrgica, as vezes alguns animais quando restritos fazem mais esforço do que soltos, se ela já apoia a pata operada no chão isso é um bom sinal de pronta recuperação. Evite apenas caminhadas longas e esforço excessivo.
      Feliz 2013!
      Att.
      Dr.André Carneiro

      • obrigada dr andré pela atenção fico mais sossegada, na próxima semana ela vai iniciar a fisioterapia, parabéns pelo blog é muito informativo e sua atenção nem se fala, ótimo 2013
        att. juliana

      • dr. andré esqueci de comentar ela não colocou prótese isso tem algum problema futuro pra ela? ela pesa hoje 23,5 come só ração obesity mas não estou conseguindo com que emagreça mais, ela vai precisar ter algum acompanhamento desta perna? o veterinario não me passou nada obrigada

      • dr andré minha cachorra fez a a cirurgia de remoção da cabeça do femur em 27 de dezembro ela se recuperou bem rápido logo estava andando apoiando a pata no chão , mancando mas apoiando, após retirar os pontos começou a fisio, dia 10 de janeiro ai então parece que ela cansa mais , as vezes após andar mais ela passa a mancar mais a fisio falou que vai trabalhar com os “choquinhos” pois ela esta perdendo massa hoje ela trabalha com massagem, laser e um apareho que vibra e tentou fazer exercicios, qdo ela corre ela coloca a pata só as vezes qdo parece que ela força bastante ela evita até andar, outra duvida tenho que fazer algum tipo de acompanhamento desta pata co algum tipo de exame? minha cachorra é uma bulldog inglês e hoje pesa 22 kilos, eu iniciei a fsio por conta pois o veterinario não me recomendou nada ele só disse que depois de 40 dias ela estaria apoiando a pata

      • Bom dia Juliana,
        A fisioterapia é muito importante, é interessante acompanhar com exames radográficos para avaliar a outra articulação.
        Att.
        Dr. André Carneiro

  118. Olá DR. André,
    Tenho um poodle de 1 ano e 5 meses, que fez a cirurgia de remoção de cabeça de fêmur em novembro de 2012 ele está bem se recuperou rápido da cirurgia, porém percebe-se que a pata onde ocorreu a cirurgia esta um pouco mais fina que as outras, ele brinca, corre apoiando no chao e ao mesmo tempo manca um pouco. Em Belém não consegui local para fazer fisioterapia. Gostaria de saber quais os cuidados necessários? e como proceder a questao da pata que esta mais fina que as outras? e se com tempo ele vai correr normalmente encostando a pata no chao sempre?

    Agradeço desde já e parabéns pelo Blog.

    • Bom dia Elayne,
      A fisioterapia é importante para uma boa recuperação, se seu animal já apoia o membro no chão é um bom sinal, possivelmente ele retornará as funções normais mas vai demorar um pouco mais.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  119. Bom dia Dr André Carneiro
    Estou com um filhote de Pastor alemão de 3 meses o mesmo quando esta andando percebo que as vezes não consegue firma as patas traseiras ( dando tipo de uma cambaleada tipo uma puxada na pata raramente ).
    Queria sabe se e sintomas de displasia ou não.
    Desde de já agradeça pela atenção.
    Att.
    Fábio Hespanha

  120. Boa noite Drº Andre,
    Tenho uma filhote de Golden Retriever de 8 meses de idade, a mesma foi diagnosticada com displasia coxofemoral bilateral, levei ao veterinário que cuida de meus outros cães e infelizmente ele não realiza este tipo de cirurgia. Através de pesquisas na internet, amigos e indicação do veterinário, a levei hoje ao hospital veterinário da Universidade Rural Federal Fluminense do Rio de Janeiro (UFFRJ). A cirurgia foi marcada para a próxima terça feira, dia 15/01/2013. Gostei muito do atendimento e das orientações passadas pela equipe que me atendeu. Mas algumas destas me deixaram preocupado, a equipe me informou que após a cirurgia é impreterível que para a recuperação do meu cão eu faça exercícios regulares com o mesmo, em terrenos com grama, areia fofa e na água. Devido ao fato de eu morar sozinho e não ter essa disponibilidade, devido ao horário que chego do trabalho. Gostaria de saber se existe algum outro tipo de terreno que eu possa realizar atividades com minha filhota e quais as periodicidades. Sei que isso será explicado após a cirurgia, mas estou muito preocupado com esta minha falta de tempo, e como venho acompanhando seus respostas gostaria de saber a sua opinião, se devo mesmo estar tão preocupado, já serão as duas patas, ou se posso me acalmar. Enfim preciso de uma luz em como proceder no pós cirúrgico.

    Espero ter conseguido explicar as minhas dúvidas e desde já agradeço a atenção.

    Att,
    Jorge

    • Boa tarde Jorge,
      Seu animal deve ser operado pelo Professor Ricardo Siqueira, um excelente cirurgião. Recomendaria que você procurasse a ajuda de um fisioterapeuta veterinário, ele poderá ajudá-lo muito mais do eu.
      Att.
      Dr. André Carneiro

      • Boa noite Drº André,
        Hoje, 21/01/13, foi a revisão da minha filhota, para a minha surpresa a danada já estava de pé, sem ajuda, após 48h de cirurgia. A recuperação dela está sendo um verdadeiro sucesso, hoje, 6 dias após a cirurgia ela já anda e até tenta correr, mas estou tomando conta por causa dos pontos. Na próxima semana já começo com os exercícios de fortalecimento muscular.
        Quem realizou a cirurgia foi a Drª Maria Clara M. Valladares, recomendo a todos que lerem este post e tiverem o mesmo problema que eu tive com meu cão.

        Quanto a fisioterapia, vou ter que fazer os exercícios sugeridos pela Drª, como moro sozinho, quando chego do trabalho as clinicas de fisioterapia na minha cidade já estão fechadas, mesmo assim, obrigado pela sugestão e atenção.

        Fiz té um video após as 48h da cirurgia, se for do seu interesse ver o mesmo é só me enviar um e-mail que eu envio p/ você.

        Att,
        Jorge Oliveira

  121. Dr. André,
    Tenho um pastor de 8 anos com displasia bilateral e a 1 mês colocou uma protese (Argentina) do lado direito. Ocorre que ele esta pior do que antes da operação. Agora ele esta com a pata suspensa e mancando. Já teve momento dele não conseguir levantar. Ele tirou raio x e a protese esta no local correto. No momento da colocação da protese o fêmo sofreu uma pequena rachadura em um dos lados e por esse motivo teve que ser colocado dois fios para amarrar o osso e assim evitar que o mesmo rachasse até embaixo.
    No momento ele esta fazendo fisiotapia.
    O veterinário não sabe o que esta acontecendo e eu estou muito arrependida de ter feito a cirurgia, pois ao invés de trazer melhoras para meu cão eu acabei trazendo mais dor. Estou preocupada também com a piora que ele terá na pata esquerda, uma vez, que ele também tem displasia deste lado e esta colocando todo peso do corpo nesse lado.
    Comecei a procurar na internet alguém que pudesse ajudar o meu cão. Assim achei o senhor e espero que com sua experiência possa me ajudar, ou pelo menos me dar uma “luz” de como ajudar o meu cão.
    Muito obrigada,
    Adriana (DF)

    • Boa tarde Adriana,
      Infelizmente não conseguirei te ajudar, não tenho experiência com colocação de prótese.
      Procure ajuda no hospitais universitários, eles sempre são uma boa referência.
      Att.
      Dr. André Carneiro

    • Será que a dor não é precisamente por essa complicação? A fissura no osso não poderia estar causando isso? Na hora que li pensei imediatamente na fratura por stress em humanos. Dependendo da lesão dói demais. Desculpem pela intromissão. Persevere e lute pelo seu cão. Deus te proteja.

  122. Dr. Preciso de sua ajuda!
    Seguinte a 1 mês atras meu border collie de 6 meses foi atropelado, levei ao veterinário e através de um raio x , constatou que o fêmor se soutou, saiu completamente da bacia, ele ficou 25 dias com tala. Hoje faz 7 dias que tirou a tala. do lado que soltou esta uma PELOTA firme, não sei oque é ! as vezes ele anda com ela firme, as vezes ele anda com ela levantada , estou achando estranho, ele estica ela pra trás espreguiçando estou com medo, é normal mesmo? se tivesse soltado denovo o femor ele conseguia fazer isso ? me da uma luz ! agora ele esta com 7 meses !

  123. Olá Dr.André,
    Antes de tudo gostaria de parabenizar pelo Blog..é show…rápido e objetivo, com explicações de fácil entendimento. Muitas das dúvidas consegui sanar lendo outras respostas.
    Tenho uma Labradora de 3,5 anos e, a cerca de 3 meses percebemos um andar diferente. Acabamos de realizar uma radiografia e foi diagnosticado a DCF. Em estado um pouco adiante de moderado.
    Pela avaliação do veterinário, tem a opção de cirurgia, ou então um tratamento inovador(ainda sem eficácia comprovada) que seria injeção de células tronco.
    Peço ajuda:
    – Pelo fato de ser uma doença degenerativa, a cirurgia não corre o risco de ser apenas temporal? O Veterinário não falou de prótese. Apenas a cirurgia.
    – Sobre a injeção de células tronco, poderia aclarar?
    Estou e Araras/SP e tem algum colega aqui ou na região que o Sr. indicaria para uma avaliação mais precisa e uma ação eficaz?
    Desde a minha família agradece…sabe como é…estamos falando de “uma das filhas”…rsrsrs.
    Grande abraço
    João Eduardo

    • Boa Noite João, obrigado pela visita!
      As cirurgias de colocefalectomia e prótese são definitivas, a denervação percutânea pode ser temporária principalmente em animais jovens. Em relação as células tronco já li algo sobre mas não tenho experiência, não posso ajudá-lo nesse caso.
      Não conheço ninguém em Araras que possa indicá-lo.
      Att. Dr. André Carneiro

  124. Boa tarde.
    Eu tenho uma cachorra de raça pudle e ta com doença de hepática, sera que vocês me podem dizer uma dieta especifica pra esse tipo de doenças, é que ela não come peixe de jeito nenhum e frango já enchei e não ta comendo mais, já não sei o que lhe dar mais.
    Sera que vocês me podem ajudar?

  125. Olá Dr. André,
    Primeiramente parabéns pelo blog, excelente fonte de informações!

    Tenho um pastor branco suiço com 4 meses, ele vinha apresentando sintomas da displasia ao andar e correr. Fiz o raio x e a veterinária me explicou que a situação dele não chega a ser displasia, mas pode evoluir para tal, ela me indicou um cirurgião em Belo Horizonte para realizar a cirurgia de sinfisiodese púbica, pelo que ela me disse mesmo ao realizar essa cirurgia existe a chance do meu cão poder desenvolver uma displasia mais severa no futuro, isso está correto? a cirurgia de sinfisiodese púbica não cura definitivamente? Ela não me passou nenhum remédio pra ele tomar, você me indicaria algum?

    Como disse anteriormente, a veterinaria me indicou um cirurgião em Belo Horizonte, pois ela não faz esse tipo de cirurgia, mas eu resido em Juiz de Fora – MG, meio complicado de levar ele pra Belo Horizonte fazer a cirurgia, existe algum bom cirurgião que você me indicaria em Juiz de Fora – MG ou região?

    Agradeço desde já.

    Grande Abraço
    Frederico Figueiredo

    • Bom dia Frederico,
      A cirurgia de sifisiodese púbica só pode ser realizada até os 6 meses de idade, então seu animal se enquadra no perfil. A sinfisiodese pode curar em definitivo ou não, isso só será sabido após seu animal terminar toda a fase de crescimento. Infelizmente não conheço ninguém em JF, sempre recomendo que se busque ajuda nos hospitais universitários, eles são uma boa referência.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  126. Doutor, ando muito angustiada com a situação do meu dog. Tenho um Bulldog inglês de 2 anos e meio, ele é esbelto não obeso, e bem ativo , o que não é muito comum. De um ano pra cá começou a mancar a ponto de tirar a pata do chão. Ele tem displasia severa nas patas traseiras e displasia de cotovelo nas dianteiras. Caminhamos com ele todos os dias em um ritmo calmo em solo plano porém ele chega em casa e fica pulando do sofá pro chão, do chão pra cama e depois fica mancando. Damos a ele artrim todos os dias e rymadil quando ele manca. Eu tenho muito medo de um dia ele ficar invalido por causa disso, as vezes choro sozinha de medo que ele sofra. Digo que ele é um labrador no corpo de um Bulldog, ele não entende as limitações dele e acho q isso piora um pouco as coisas. Me disseram que acupuntura ajuda, verdade??? O senhor sabe de algum tratamento, remédio e dicas pra me ajudar??? Tenho medo de cirurgia por causa da anestesia que é perigosa pro Bulldog. Ele não é castrado. Moro na barra da tijuca e já estive em alguns vets e me senti negligenciada. Ele é a coisa mais maravilhosa que Deus me deu de presente e gostaria de proporcionar uma vida feliz e sem dor no pouco tempo que infelizmente nossos peludos ficam conosco. Obrigada

    • Bom dia Paula,
      Seu animal é bem jovem e a displasia é uma doença degenerativa, a tendência é agravar com o passar do tempo. A acupuntura é um excelente aliado no tratamento da displasia mas o tratamento definitivo é a cirurgia. Em relação a parte anestésica, o seu animal precisa realizar uma série de exames pré-operatórios, exames de sangue e Rx de tórax, ele é um animal jovem e isso é um grande aliado na avaliação pré-operatória. Dizem que nos animais braquicefálicos, como é o caso dos buldogs, existe um risco maior devido a conformação das vias aéreas. Quem anestesia as minhas cirurgias é o Prof. José Vinícius, da Universidade Estácio de Sá, que tem ampla experiência na área e nunca tivemos problemas com cães braquicefálicos. Precisando de alguma informação mande email para drandrecarneiro@gmail.com que passo meus contatos e podemos esclarecer melhor o caso do seu peludinho.
      Att.
      Dr. André Carneiro

    • olá paula, meu nome é juliana e sei bem o que vc esta passando, minha buldog de 5 anos no inicio do ano começou a mancar, o vet disse que ela precisava emagrecer comecei com exercicios e ração para obesidade, de outubro em diante ela não passava mais de 15 dias sem luxar a articulação e como é rasa a cavidade ela luxava e qdo ia fazer o rx ela encaixava e não dava nada, então todo vet. diagnosticava como sendo patela, ja estava marcada a cirugia da patela, ela luxou de tal forma, que não voltou mais, ficou uma semana sendo carregada, então neste interva-lo de tempo fiz uma tomografia que mostrou algo na coxo femural, detalhe ela entrou carregada para o exame e saiu andando, era um incognita para todos então como eu estava muito insegura, tb devido a cirurgia e a anestesia, combinamos que se luxasse de novo seria feita a cirurgia dos dois pois não sabia ao certo o que era, patela e coxo femural, no dia 27/12 ela luxou e fez a cirurgia as pressas com outro vet. que mexeu só na coxo e ja esta fazendo quase dois meses de cirurgia e ela esta super bem, fazendo fisio anda normal só qdo para levanta um pouco a pata operada, hoje vejo que foi o melhor que pude fazer pra minha pequena ela esta feliz de novo sem aquele medo de sofrer, pois olha, essa pequena sofreu pacas, então amiga vai dar tudo certo, mas cuidado como dr andré disse é uma doença degenerativa e as vezes muito rápida ai a gente se ve atada, boa sorte para sua pequena vai dar tudo certo, abraços

  127. Boa Noite Dr. André

    A mais ou menos 10 dias minha cachorra de 11 anos estava com dificuldades de levantar e andar, chamei uma veterinária para avalia-la, logo a msm diagnosticou que seria algo no útero dela, foi feitos alguns exames como ultrassom e exame de sangue, como ela já estava la na clinica a veterinaria disse que precisaria fazer uma cirurgia urgente pois estava com quadro de Piometra, assim foi feito a cirurgia, passados dois dias de cirurgia a cachorra se levantou normal, mas logo passado 7 dias ela voltou a ter os mesmos sintomas, liguei para a veterinária e ela disse que poderia ser gases, receitou buscopam, mas nada de melhora, voltou a ve-la e eu disse a ela para dar uma olhada no quadril dela pois estava caido e os musculos da coxa murchos, foi ai que a veterinária disse que pode ser displasia coxo femural, e receitou de inicio os seguintes medicamentos – Cloridrato de Tramadol 100 mg, Carplroflan 100 mg e Citoneurim, minha dúvida é a seguinte, achei a veterinária de um despreparo pois ela ficou chutando o diagnóstico da minha cachorra, e arriscou fazer uma cirurgia de Piometra q hj vejo q não era necessário, pois esse não era a causa clinica do que a cachorra estava sentindo, ela sugeriu uma nova cirurgia, mas acredito que minha cachorra não suportaria mais uma cirurgia, msm pq ela tem 11 anos, o que o Sr. me indicaria hj para a causa dela? Aguardo. Obg…

    • Bom dia Telma,
      A cirurgia de Pìometra sempre é necessária, o que pode ter ocorrido é que seu animal já possuia a displasia e desenvolveu um quadro de piometra. Ela melhorou temporariamente pois deve ter utilizado antinflamatórios no pós-operatório. O diagnóstico da Displasia é feito através de um exame radiográfico, se os exames pré-operatórios estiverem normais não vejo motivo para não operá-la.
      Att
      Dr. André Carneiro

      • Boa Noite Dr. André,

        Obrigada pelos esclarecimentos, os exames dela estão tds ótimos, mas a minha dúvida é o fato dela ser idosa (11 anos), mais uma cirurgia não seria arriscado, contando que ela passou por um processo cirúrgico a 10 dias? Não teria outra forma de tratá-la?

        Att,

        Telma

      • Bom dia Dr. André
        Não sei como usar esse espaço para pedir ajuda., então utilizei esse campo de comentários. Tenho um labrador com 11 anos que, de acordo com exame radiológico, está com DAD (Doença Articular Degenarativa) nas patas traseiras. Ele tem dirofilariose e já teve a doença do carrapato, ambas acarretando pneumonia e anemia. Ficou internado e foi tratado adequadamente e está sendo acompanhado com exames periodicamente. Com relação a DAD pouco está sendo feito (só toma Artrin desde 2010) e temo que daqui a pouco ele não conseguirá nem andar. Pesquisando na internet cheguei ao seu blog e vi que o sr. trata com regeneradores e antiinflamatórios. Posso dar para meu cão ? Qual seria o mais indicado: Condroton 1000 mg ou Condrovet Pet 1200mg ? O sr. acha melhor encaminhar via email exames e fotos da radiografia ? E talvez um vídeo dele caminhando ? Por favor, me ajude, Dr ! Desde já, Obrigada !

      • Bom dia Marise,
        Seu animal precisa ser avaliado por um veterinário especializado em ortopedia para poder prescrever as medicações. Posso ajudar recomendando que você procure ajuda nas terapias alternativas como a acupuntura.
        Att.
        Dr. André Carneiro

  128. oi tenho uma rottweiler de 2 meses e no piso liso ela anda se rastejando com as patas trazeiras e no piso mas grosso ela anda normal sera q ela tem displasia e ela pode tomar condotron para melhorar

    • Bom dia Velton,
      Seu animal pode não ter displasia, mas certamente o piso liso é um fator ambiental importante de stress articular e um grande colaborador para o desenvolvimento da displasia. Evite deixá-lo nesse piso muito liso. Procure um veterinário para avaliar seu animal.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  129. Olá!

    Eu tenho um dalmata de 7 anos e ele é obeso, Já algum tempo, em alguns momentos ele anda entortando o quadril e rabo, quando não aguenta senta coça, morde, mas quando vou olhar aparentemente não é nada. Gostaria de saber se isso é normal??
    Grata,
    Ananda

  130. Ola boa noite, tenho um cao da raça Dogo Canario, onde o mesmo foi diagnosticado displasia coxofemural somente do lado esquerdo, a veterinaria me indicou o medicamento pra dor chamado trocoxil e um condoprotetor cosequin ds, tambem existe a possibilidade cirurgica a colocefalectomia, minhas duvidas são as seguintes: primeiro se lhe enviar as fotos do raio-x dele para o Sr. avaliar o grau que esta e se existe mesmo a necessidade cirurgica? Segundo quais outros medicamentos podem ser utilizados tanto pra dor como um outro condoprotetor ?
    Desde já mto grato.

    Att,

    Julio Valerio.

    • Boa noite Júlio,
      A displasia é uma doença degenerativa, portanto, a tendência é agravar a sintomatologia cada vez mais, o tratamento definitivo da displasia é cirúrgico. Siga as orientações prescritas pelo veterinário responsável.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  131. Boa Noite, tenho 03 amigos caninos em casa, que me acompanham há 12 anos em média, minha basset ( Docinho), apareceu a 01 ano mais ou menos com caroços nas tetas, levei ao veterinário e ele disse que seria perigosa a cirurgia pois ela já estava velhinha. Agora apareceu uma fistula em uma DAS TETAS E A VETERINARIA NOS DISSE QUE seria impraticavel a cirurgia, pois esta seria muito agressiva para a pequena. Nos passou previcox ( 1/47 dia o resto da vida da docinho). Este medicamento é muito caro, não existe outro que eu possa adquirí-lo , dentro dsaa minhas pequena posses? A cirurgia é cara e sem certezade acabar com o sofrimento, o remedio é muito caro para minhas posses, e não gostaria ded sacrifica-la, pois ainda é muito ativa. Me ajude a encontrar outro medicamento.

    • Boa tarde Myma,
      Se os exames pré-operatórios estiverem todos normais não vejo problema algum em fazer a cirurgia, tendo em vista que seu animal está com um tumor de mama ulcerado e este será fonte de infecção constante. O uso de antinflamatórios por tempo prolongado pode acarretar outros problemas secundários a ele. Converse com a veterinária responsável ou procure ajuda nas Universidades onde o custo da cirurgias geralmente é mais barato.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  132. Oi, tenho um Puldo e ele tem 2 anos. Na quinta feira uma pessoa sem querer pisou no meu cachorro. Não sei falar se foi forte e onde foi porque eu não vi. Na sexta demadrugada para sabado meu cachorro nos acordou chorando muito. E quano eu ia pegar ele chorava mais. Ele está caminhando sem mancar, mais uma caminhada lenta e com difilculdade. E tem hora que ele chora do nada. Se encostar na parte trazeira dele, seja onde for quadril pernas, ou pata ele chora muito. Ele tá moado e vive deitado, quando ele vai levantar levanta chorando e com difilculdade, não tenho dinheiro para levá-lo no veterinário e se for um caso de cirurgia piorou. Você acha que pode ser displasia? Ou existe outras doenças que causa esses sintomas? Se for mesmo uma displasia e não podermos pagar sua cirurgia o que acontece?
    Obrigada

    • Boa tarde Lizandra.
      Podem ser diversas coisas desde uma lesão muscular até uma fratura. Infelizmente não poderei ajudar, você precisa levá-lo ao veterinário para uma avaliação precisa do problema.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  133. Bom Dia,

    Acabo de adotar uma cadela boxer de 1 ano.É uma adoção especial pois ela tem sarna dermodescica,mas acabo de notar duas manchinhas brancas em um dos olhos eu vi ela bater o olhos na porta em um movimento brusco enquanto corria.Peço orientação,pois minha veterinária só terá horário para atende-la em alguns dias.
    Obrigada.

    Kelem

  134. Ola Dr meu nome é Márcio e possuo uma labrador de dois anos que temi um quadro de displasia. Minha veterinária indicou um tratamento com Osteorcart, e fiz durante noventa dias em seu primeiro ano e agora depois de uma crise de dor, estou fazendo novamente por 120 dias. Gostaria de saber sua opinião sobre o remédio que estou lhe dando e saber se o Sr conhece algum especialista nesta área em Belém do Para para que eu possa conversar sobre uma possível cirurgia. Obrigado e parabéns por esse espaço.

    • Boa noite Márcio.
      Infelizmente não conheço ninguém em Belém. O osteocart é um protetor articular a condroitina e glicosamina, ajuda na reposição da cartilagem articular e tem pequeno poder antinflamatório.
      Att.
      Dr. André Carneiro.

  135. Olá meu nome é Leandro, sou de Florianópolis. Antes de mais nada gostaria de dizer que após ler seu blog, mudei minha concepção sobre displasia-coxofemural! Você é realmente um médico veterinário sensacional, e acima de tudo achei incrível a sua doação, que conforta e alimenta as esperanças de pessoas desesperadas que lhe procuram. Sou médico e em minha profissão são poucas as pessoas que se doam dessa forma.

    Li seu blog inteiro à procura de informações que possam me orientar sobre meu caso, e muito foi elucidado!

    Tenho um rottweiller macho de 6 meses, com “pedigree”, comprado de um canil “conceituado” da grande Florianópolis. Depois de repararmos a claudicação do animal por duas semanas, levamos o mesmo a fazer um Raio-X ontem dia 08/03/2013. O resultado foi espantoso: para mim: displasia coxo-femural severa, com sub-luxação do fêmur.

    O cão se alimenta bem, anda mancando, e passa a maior parte do tempo deitado se poupando.
    Estou ministrando tramadol, carprofleno e condroitina, glucosamina e colágeno desde ontem.

    Qual cirurgia nesta idade e condições o Sr. me orientaria a fazer:
    – Sinfiodese pubica juvenil,
    – Cefalectomia femural;
    – Ou osteotomia pelvica tripla (OPT)?

    Agradeço novamente pela oportunidade e se puder me ajudar ficarei muito aliviado, pois não conheço referências de veterinários especialistas em Floripa.

    Obrigado.

    • Boa noite Leandro, obrigado pela visita ao blog.
      Agradeço as palavras e fico feliz em ver que a proposta do blog foi alcançada!
      Vamos lá, Sinfisiodese púbica é só até os 6 meses e como ele já completou os 6 meses não acho tão interessante. A colocefalectomia é a cirurgia que faço com maior frequência disparado, a recuperação é bem rápida e o pós-operatório mais simples, tendo em vista, que a cirurgia de OTP precisa colocar uma placa e o pós requer uma atenção mais especial. Essa é uma opinião pessoal e uma experiência profissional minha.
      Espero poder ter ajudado e continue os visitando.
      Att.
      Dr. André Carneiro

    • Olá Leandro.
      Meu nome é Marcio e moro também em Floripa e passei (passo) por um problema parecido com o seu. Tenho um labrador de 10 meses, que aos 6 foi diagnosticado com displasia severa nas 2 patas traseiras. Minha vet me indicou o Dr.Marcelo Puls da Silveira, que atende na clinica Santo chico em jurere e também no Jardim atlântico. Após uma avaliação ele recomendou a Denervação acetabular, para “eliminar” a dor. Fiz a cirurgia no Junior dia 27/12, e hj ele está muito melhor, corre, brinca e até se arrisca a ficar “em pé” nas patas traseiras(que já estavam até atrofiadas pela não movimentação causada pela dor). Essa cirurgia não elimina o problema em si, é só um paliativo, mas a qualidade de vida dele aumentou em 1000%. Sei que lá pelos 24 meses de vida deverei fazer uma “correção” para o problema, sendo indicada a colocação de uma prótese. Espero ter ajudado e boa sorte.

      • Oi Márcio, bem bacana seu comentário! Legal você ter comentado!

        Eu acabei fazendo na quarta-feira passada a denervação bilateral, em meu Rott (Simba), com o Veterinário Alexandre Schmaedecke, especialista em displasia coxo-femural, que veio de Curitiba, fazer a cirurgia aqui em Florianópolis. Hoje passados 5 dias da cirurgia, o Simba, não para quieto, anda corre e está aparentemente sem dor. O Dr. Alexandre me falou que o tratamento definitivo seria realmente a prótese total de quadril, e que seria necessário esperar o cão chegar a idade adulta para o implante.

        Li em vários artigos estrangeiros, que alguns veterinários, especializados em DCF, acreditam que a mesma impede a atrofia dos músculos dos membros traseiros, acolchoando as articulações e estabilizando a cabeça do Fêmur no acetábulo. Claro que teria que fazer radiografias de rotina para ver a situação com o passar do tempo. Assim, mesmo que o cão venha a ter no futuro uma artrose severa, o mesmo não sentirá dor, e poderá viver com a artrose para o resto da vida, mesmo que limite um pouco a amplitude dos movimentos das patas traseiras, sendo facultativo o implante de prótese total. Claro que isso ainda está em estudo.

        Apesar de tudo, eu também penso em fazer o implante da prótese, assim que puder, pois também quero qualidade de vida para o Simba!

        Fico muito feliz que o Junior esteja bem assim como o Simba! Mantenha contato para nos falarmos sobre a evolução dos nossos cães!

        http://www.facebook.com/leandro.floripa.9

        Grande abraço!
        Leandro.

  136. Dr. André, muito interessante ese seu blog.
    Achei quando tentava encontrar informações a respeito do remédio Artrin.

    Tenho um fox paulistinha de 12 anos que vem apresentando artrite no cotovelo da pata dianteira esquerda a algum tempo.Eu venho fazendo raios-x pra acompanhar a doença, mas moro numa cidade pequena, então fica difícil ter informações de confiança.

    Eu vinha dando Artrin pra ele, mas busquei outro veterinário e da última vez foi receitado pra ele Condroton 500, remédio que nem consigo por aqui, e como alternativa ele me deu o Condromax Pet.
    O que me deixou mais confuso foi que ele me disse pra suspender rapidamente o Artrin porque esse rem’dio podia até matar meu cachorro.

    Será que o senhor pode me explicar a diferença entre esses 3 e o porque o Artrin, além de não indicado pro meu fox (por volta dos 11kg) poe até matá-lo?

    Desde já, agradeço

    • Boa noite Bruno.
      Artrin, Condroton e Condromax são exatamente a mesma coisa: Condoprotetor, regenerador da cartilagem articular, diminui a inflamação e a dor, para cães e gatos. Podem variar alguns componentes da fórmula mas a função é a mesma. Não vejo motivo para o Artirn causar problemas para seu animal, tendo em vista que esses medicamentos são de uso contínuo.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  137. Boa noite!
    Tenho um Spitz Anão q esta com luxação nas duas patelas traseiras. Ele fez cirurgia na perninha esquerda há um mês e uma semana atrás e vai fazer a outra cirurgia na próxima terça na perninha direita. Estou preocupada pq ele ainda não fez fisioterapia e o rabinho dele que é enrolado, pra cima, está todo torto. O grau da luxação das duas perninhas é grave e ele está com um pino no joelho esquerdo. Ele vai voltar a andar normalmente? Está certo esperar para fazer a fisioterapia? O rabinho dele vai continuar tortinho?
    Estiu preocupada com a recuperação dele…

    • Boa noite Luciana.
      Não posso ajudar muito a você pois não avaliei seu animal, geralmente as cirurgias de luxação de patela apresentam bom resultado mas cada caso requer uma avaliação específica. Siga as orientações do veterinário responsável pelo caso.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  138. Boa Tarde
    Tenho uma labradora de 1 ano e 3 messes que foi diagnosticada com displasia de quadril moderada nas duas patas traseiras. A veterinária indicou a cirurgia. Gostaria de saber quais são os riscos desta cirurgia. Sei que toda cirurgia é um risco, mas quais os possíveis riscos que ela poderia correr??? Infelizmente nos últimos 2 anos perdi duas cachorras. Uma que comprei com 9 messes e com apenas 1 semana de posse ela foi sacrificada por ter leishimaniose. E a outra com um erro de diagnostico do antigo veterinário que não percebeu que apos 3 messes de consultas semanais que ela estava sendo envenenada aos poucos por água que escorria do terreno do vizinho. Dado tais circunstancia fico com muito medo de operar minha labradora. Sei que seria a melhor opção pois iria corrigir o problema de uma vez. Mas tenho muito medo de quais os riscos ela correria nesta cirurgia. O senhor poderia me ajudar a entender os possíveis riscos por favor.
    Deste de já, muito obrigado
    Iuri

    • Boa noite Iuri,
      Como você mesmo disse toda cirurgia tem risco, esses riscos são minimizados pelos exames pré-operatórios, infelizmente não tenho como enumerar riscos para você.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  139. Bom dia Dr!
    Tenho um Boxer que está com 10 anos e foi diagnosticado displasia coxofemural. Ainda não foi possível fazer a radiografia pois moro em uma cidade pequena que não possui este recurso. A veterinária recomendou a cirurgia. Estamos na fase de procurar uma universidade com hospital escola para fazer os exames e se for possível marcar a cirurgia. Ele aparenta ter boa saúde, há aproximadamente 2 anos atrás ele foi operado para a retirada de um tumor no testículo e se recuperou muito bem, estou com esperanças que ele fique bom novamente!
    Gostaria de saber se você tem alguma indicação de hospitais para fazermos os exames e a cirurgia gratuitos, ou próximo disso, para a região de Campinas/SP. E também gostaria de saber qual o tempo de recuperação, soube que após a cirurgia ele deverá ficar em um local restrito para não fazer esforço, quanto tempo em média costuma ser este tempo de local restrito e depois de fisioterapia?

    Obrigada!

  140. Boa tarde
    meu nome é Gustavo Portela, sou de Porto Velho Rondonia

    tenho um golden retriever disgnosticado com displasia coxofemoral, o tratamento indicado foi a cirurgia, mas gostaria de saber onde eu posso tentar o tratamento de protese de anca, pois acho que seria o tratamento mais eficaz.

    preciso do melhor para o meu cão! em qual cidade encontrarei os melhores especialistas?

  141. Boa noite Dr. André mto legal mesmo vc ajudar e aconselhar pessoas aflitas com seus caes sofrendo. Parabens!!!!me chamo Ricardo e tenhu uma golden linda e mto feliz e amorosa de 5 anos feitos agora ela sempre teve a perna meio caída e o andar meio rebolante mas achava ate normal. ja suspeitei de displasia mas nunca imaginei q fosse .ate um dia perguntei ao dr dela e ele me falou q ela nao tinha nao. faz 2 semanas atras derepente no fim de um passeio nao demorado o traseiro dela caia e ela nao conseguia andar..encurtando a historia..feitoo raio x deu dcf severa na perna esq 89graus e na direita 91graus..ela de repente q passeava feliz hj nao consegue andar 50 mtros q trava as pernas e ela nao anda. mas apos descansar 1 hora mais ou menos ela volta a caminhar ate normal. Tudo virou um grande pesadelo. Gostaria de sua opiniao medica Dr. ja estamos dando condroprotetor e amanha vo comeca a dar antiinflamatorio. o meu dr. falou q tem a cirurgia de denervacao para isso. vc concorda com esse procedimento? qual vc mais me indicaria para ela? vc acredita q com o condro e esse tratamento ela permanecerá estável, melhorará ou cada dia mais piorará? estou mto triste pois ela eh minha fiel companheiras de todas as horas e agora esta assim. dr. ela me segue o dia todo, meu quarto eh no andar de cima da casa tem problema ela subir as vezes essa escada de 18 degraus? ou devo proibir isso, ja faco com q ela suba menos agora atras de mim…eh uma grande duvida minha.o chao da sala eh liso tb vc acredita q foi essa a causa? ela corre o risco de no futuro ser sacrificada? nem preciso dizer o qnto estou triste. moro em indaiatuba na regiao de campinas.agradeco mto antecipadamente..

    • Bom dia Ricardo, desculpe a demora!
      A displasia é uma doença degenerativa e ela pode ser congênita ou adquirida, o meio ambiente pode ser um fator colaborador para o desenvolvimento da displasia. O tratamento definitivo é a cirurgia, a técnica utilizada depende do cirurgião. Eutanásia em animais portadores de displasia não vejo motivo, hoje em dia temos diversos tratamentos, cirúrgicos ou alternativos, para controle.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  142. Bom dia Dr.!
    Tenho um gold retriever, de 10 meses recentemente ele passou a apresentar dores e no momento (uma semana) não movimenta mais as patas traseiras, ele foi tem displasia, e sente muita dor por isso não caminha mais.
    Estamos fazendo o tratamento para dor com medicamento semelhante a morfina, gostaria de saber os riscos de um cirurgia e se ela será eficiente para o problema dele

    • Boa tarde Grasiele,
      A displasia é uma doença degenerativa e a tendência é piorar, se o seu animal com apenas 10 meses já não anda por esse motivo a cirurgia é o melhor caminho. É necessário se descartar outras possibilidades, leve seu animal para uma avaliação com um ortopedista veterinário se ainda não foi feito.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  143. Olá! Por favor preciso de uma opinião sobre um caso urgente!
    Minha cachorra tem displasia e ja operou a perna esquerda duas vezes, as duas deram errado. Querem agora operar pela terceira vez a mesma perna, mas acho que é muito sofrimento para ela, tem apenas 2 anos.
    Acha que vale a pena? E se a tentativa for em vão e a cirurgia der errado denovo? Nao tenho opções a nao ser sacrifica-lá ou opera-lá dessa perna para depois operar a outra, ou seja, ela passara por mais duas cirurgias… O que acha sobre isso?
    Preciso tomar a decisão mas nao sei o que fazer.
    Desde ja, obrigada

  144. Olá, meu nome é kamila.. tenho um labrador preto que completa 9 meses este mês dia 25! Começou a apresentar tremores na perna direita.. não para de tremer em nenhum instante.. vejo q ele não manca, mas as vezes parece que encosta no chão com medo! Mas acho que não sente dores, porque não chora, e fui ”examinar” toquei, dobrei, apertei, mexi no meio dos dedos porque pensei que poderia ser alguma coisa que estivesse incomodando e ele fica normal, quietinho me olhando… noto que tira o ”tico” (desculpa o termo, mas..) pra fora, e percebo tb que este mês ele andou muito tarado, tive que tirar o cobertor dele e trocar por um colchão porque ele tava fazendo mt força tentando ”transar” com o cobertor! É, engraçado hahahha mas é isso mesmo.. e tenho em mim que pode ser que isto tenha calsado alguma lesão na perna, já que ele não tem idade para fazer força! Sempre tentei alertar ele quando começava a fazer isso, mas n fico com ele o dia todo então não tenho como evitar… agora sem o cobertor ele não faz, porém fica com a perna assim e to apavorada pois estou sem dinheiro para leva-lo no veterinário! Gostaria que me ajudasse, toda ajuda é bem vinda! SE PODER POR FAVOR ME ENVIAR UM E-MAIL RESPONDENDO FICAREI MUUUITO GRATA. obrigado…

    • Boa tarde Kamila,
      Esse “tremor” no membro precisa ser avaliado por um veterinário, podem ser diversos motivos. Infelizmente não conseguirei ajudá-la nesse caso.
      Att.
      Dr. André Carneiro

      • Oi.. ele está com ”suspeita” de cinomose. Digo ”suspeita” pois não tem vomito, nem diarréia, nem ânsias, come MUITO bem por sinal, bebe água mt bem também, não preciso empurrar nem as vitaminas as quais deram pra ele até os exames ficarem prontos! Só que a veterinária não me da outras opções de doenças, primeiro quer ver o exame pelo qual estou esperando a uma semana :/ não aguento mais!!!! a perna treme, ele está perdendo a força da outra por querer força-la pois está muito ativo! E chora muuito, chora e late, mas quando ficamos do lado ele para :/ não sei o que fazer… acho que ele não tem dor e sim cançaço. Se o senhor souber me dizer alguma doença além de cinomose pelas caracteríscas a qual lhe falei, ficarei muito feliz! Obrigada, seu site é MARAVILHOSO

  145. Possuo um Chow Chow preto de 5 meses, que começou a mancar sem motivo aparente.
    Não é uma coisa contínua, ele manca um pouco depois sai correndo sem nenhum problema.
    Devo procurar um veterinário? e se procurar quais os possiveis diagnosticos?
    Estou com medo dele estar desenvolvendo algum tipo de displasia.
    obrigada pela atenção!

    • Bom dia Cássia.
      Certamente você precisa levá-lo ao veterinário, o diagnóstico será feito mediante ao exame físico do seu animal e possíveis exames complementares solicitados pelo veterinário. Pode sim ser displasia mas é necessário que se faça o diagnóstico para um tratamento mais efetivo.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  146. Olá Dr André,
    tenho um border collie de 4 anos que foi diagnosticado com displasia coxofemoral bilateral grave. Nos foi indicada a colocação de prótese não cimentada como a melhor opção ao caso dele. Gostaria de saber na sua experiência os resultados obtidos com essa técnica, pois sei que é uma cirurgia de grande porte e ele ainda é muito novo e cheio de energia.
    Agradeço sua atenção.
    Att, Teresa.

    • olá Dr. André!! Nosso Jack foi operado na quinta a noite, pelo Dr. Rubens, colocou a prótese e estamos esperançosos. Assim que passar o primeiro mês, após o resultado do primeiro Raio x, vamos postar o resultado e com isso tentar ajudar a outros que estão passando pela mesma situação. Nosso Jack é bem tranquilo e sabe que estamos fazendo o melhor por ele e ele tem nos ajudado muito. Graças a Deus tudo esta indo bem. Grande abraço.

  147. Boa Tarde,
    Tenho um labrador de 1 ano e 8 meses
    Ele apresenta displasia, e nao tenho condiçoes de pagar uma cirurgia, e em minha cidade Cambuí-MG, nao tem um veterinario que possa operar, apenas tem veterinario de animais de porte grande como bovinos.
    Estou morrendo de dó do meu cão, pq ele esta limitada, e remedios que o unico veterinario da cidade de cao deu nao esta dando resultado.,
    eu nao sei o que fazer, me ajude! Pois nao quero ver o meu amigo limitado e com dor.

    • Boa tarde Marcel,
      Converse com o veterinário responsável, ele pode combinar medicações para controle da dor do seu animal. Infelizmente o tratamento definitivo da displasia é cirúrgico.
      Att.
      Dr. André Carneiro

      • Mais ou menos quanto é a cirurgia? quanto tempo de recuperação, e pós cirurgia é apenas repouso?

      • Mais ou menos quanto é a cirurgia? quanto tempo de recuperação, e como que é a pós cirurgia?

  148. Olá, tenho uma gata persa de 3 anos, que foi diagnosticada com displasia coxofemoral na última terça feira. O veterinário recomendou, e estou acatando, medicá-la com Artoglycan, o que, imagino, tem seu tempo para surtir efeito, porém, preocupa-me muito a aparente dor, que, parece-me conduzir a certa apatia da minha pequena gatinha. Pergunto se conhece especialista no assunto e para gatos, em São Paulo (ou grande São Paulo), que eu possa procurar para um tratamento mais abrangente. Agradeço desde já

    • Bom dia Annamaria,
      Não conheço ninguém em SP, mas as universidades sempre são uma boa referência, em SP existem várias. Procure um veterinário especializado em ortopedia para uma avaliação do seu gatinho.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  149. Dr. Andre,

    Tenho uma golden de dois anos de idade e ao fazer o raio X coxofemoral, recebi o seguinte laudo:
    Evidente incongruencia entre as cabeças femorais e superficie acetabular com arrasamento de bordos e acetatubulares dorsais em ambos os lados. ângulos de Norberg medindo 90º em lado direito e 88º em lado esquerdo. Acentuada remodelação de cabeças femorais e espessamento de colos femorais. Presença de osteoartrose em região periarticular e discreta esclerose de osso subcondral. tênue linha de esclerose em topografia de inserção de cápsula articular( (estrsse articular – linha de Morgan)
    Imagens compatíveis com doença articular degenerativa secundária e displasia coxofemoral (sugerindo grau SEVERO – HD +++/E).

    Qual o tratamento o senhor aconselharia?
    Radio tirada na RADIOVET. moro no recreio dos bandeirantes.
    Solicito sua ajuda.

    Muito obrigado.

    • Bom dia Décio.
      Seu animal já possui uma displasia em grau bastante severo, geralmente o animal com esse grau de displasia é cirúrgico. Precisaria avaliar o animal e os exames para conversar melhor com você sobre o caso, havendo interesse atendo em um consultório na Abelardo Bueno, próximo ao antigo autódromo, mande email para drandrecarneiro@gmail.com que passo os telefones de contato para uma avaliação do seu animal.
      Att.
      Dr. André Carneiro

      • Marcela,

        Até o presente momento como ela é assintomática, e não tem dificuldades, venho tratando com Condotron e muito exercício, principalmente natação. Muito importante também, mante-la dentro do peso. Como Dr. Andre relatou, para este grau de displasia, a recomendação e cirúrgica. de ano em ano, vou repetir o raio X, para avaliar a situação.

  150. Olá boa noite,me chamo Priscila
    tenho um filhote de rotwailler com 7 meses e foi diagnosticado displasia coxofemural grave,o veterinario que o acompanha falou que a caso é bem critico e necessita de uma cirurgia para a retirada a cabeça do femur,gostaria de ter mais informações,outras opiniões,como vai ser a vida dele após essa cirurgia,é um quadro cronico, com tratamento pra vida toda? Estou desesperada.

    • Bom dia Priscila.
      O tratamento definitivo é a cirurgia, uma vez realizada não há necessidade de tratamento para a vida toda. Havendo dúvida sobre a cirurgia procure a orientação de um ortopedista veterinário se ainda não o fez, você tem todo o direito a uma segunda opinião.
      Att.
      Dr. André Carneiro

    • Oi Priscila.. nós temos um Border Collie de 4 anos que fez a cirurgia essa semana e estamos esperançosos.. ele colocou a prótese. Se você for do RJ procure na Vet Clinic o Dr. Rubens que é especialista neste caso. Fice na Gávea em frente ao Jockey Club. Vamos aguardar o primeiro Mes para postar imagens e resultados. Por enquanto ele está muito bem apesar de recente (4 dias de operado).

      • Oi Teresa,
        eu tenho uma Golden de 7 meses com o mesmo problema. Estou pensando na cirurgia?
        Gostaria de saber da recuperação do seu cãozinho. Ele ficou bem: Posso ter esperanças com o meu?

        Obrigado,
        Patrick

  151. doutor me chamo thalita, do nada meu cachorrinho começou a mancar ele eh um chow chow de 10 meses…o medico desconfia q ele tenha a displasia….gostaria de saber se nessa idade tem alguma cirurgia eficiente para sanar o problema, ou ele vai mancar para sempre, e o bichinho adorava correr pular e brincar, também gostaria de saber se nunca mais ele vai pode correr?

    • Bom dia Thalita.
      Seu animal vai poder ter uma vida normal após a realização da cirurgia, pode correr, pular e brincar sem problemas. A cirurgia é a única forma de tratamento definitivo, a técnica que melhor se adapte a ele vai depender da avaliação do veterinário responsável.
      Att.
      Dr. André Carneiro

      • muito obrigado doutor pelo esclarecimento o dr. que está cuidando do zeus, disse q na perninha esquerda vai dá para fazer uma cirurgia de reposicionamento do femum, mas na pata direita ele vai ter que “tira a cabeça” do femum. gostaria de saber doutor o pós- cirúrgico demora muito é em media quantos meses para a recuperação.

  152. ola doutor andre meu nome é juliana tenho uma bulldog ingles de 5 anos fez vários exames ano passado e na tomografia ficou constatado que ela tinha deslocamento de femur perna direita , deslocava mesmo ela ficava com a perninha torta e não conseguia voltar ela sofreu muito no dia 27 de dezembro deslocou de novo então foi feita a cirurgia de remoção da cabeça do femur, mas o veterinário que a operou não me orientou em nada alias nem foi ele quem me entregou a cachorra foi a veterinária clinica, o que me deixou muito descontente com a falta de profissionalismo dele pois não foi de graça a cirurgia, então por minha conta encontrei uma fisioterapeuta que me orientou e ela fez dois meses de fisioterapia, esta super bem desde o pós operatório ela se portou muito bem minha preocupação é de que exames devo realizar para acompanhar rx, tomografia ou ultrassom ninguém sabe me orientar a fisio pediu um rx, mas neste exame ele vai puxar a perna dela ou devo orientar que foi feita a cirurgia? outra duvida observei que nos dias frios ela manca um pouco e as vezes parece que a perna operada parece meio “boba” isso é normal? a fisio falou que pode ser do frio e pediu pra eu fazer compressa com quente, por favor doutor preciso de uma orientação continuo dando condrotom pra ela todos os dias, muito obrigada

  153. Boa noite Doutor tenho um labrador de 10 meses de idade, ha duas semanas atrás ele em umas das suas brincadeiras caiu de mau jeito, dois dias depois começou a mancar pensei em diversas coisas e tratei com cataflam no local, mas o mesmo continuou mancando, comom na minha cidade tem a Universidade Rural – Seropédica, levei o meu cachorro lá, mas infelizmente ninguém trabalhou na última quinta (greve geral), então foi num pet e comprei Maxicam plus 2.0 mg, e dorless V. Hoje quando se completou 1 semana e meia consegui fazer a consulta (clinica e raio x), houve deslocamento do fêmur da pata esquerda e ruptura do ligamento entre o fêmur e a acetábulo, não sabia que existia tal ligamento, mas logo falaram que era displasia, lembrando que era de canil e o dono nunca teve tal problema com os outros filhotes, sei disso pois conheço o dono. O grande problema foi que apareceu tal problema após um trauma na região. Nesse caso só cirurgia e o meu cachorro ficará bom após ou ficará mancando o resto da vida? Quem deu o diagnóstico foi a radiologista, pois o ortopedista não estava no local. Obrigado.

    • Bom dia Nelson.
      Primeiramente gostaria de alertá-lo para não medicar seu animal por conta própria, você disse que utilizou Cataflan no seu animal, esse medicamento é extremamente tóxico para cães. Você relata que seu animal começou a mancar após uma queda, pode ser que seu animal tenha tido uma luxação traumática da articulação, não vi o exame radiográfico, mas ele também pode ter displasia e com a queda luxou a articulação. Geralmente os animais operados retornam a função total do membro.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  154. Boa noite Dr André!

    Tenho uma Rottweiler de 7 anos com cerca de 40 kgs. Ela tem displasia coxofemoral e de cotovelo. Atualmente está muito bem, sem sintomas. Dou condroton 1000 (2 comprimidos por dia) desde que ela tinha por volta de 1 ano. Agora me falaram que o Osteocart plus é melhor. Gostaria de saber sua opinião sobre os 2 medicamentos e qual seria a dose de manutenção de cada um.
    Esqueci de mencionar que ela teve ruptura dos ligamentos dos 2 joelhos. Com 2 anos (fez 2 cirurgias com fios sem sucesso e resolveu com a TPLO) e com 4 anos (fez a TTA). Ficou ótima!!!

    Obrigada
    Carla

  155. olá dra André meu nome é juliana escrevi para o senhor a respeito de minha bulldog foi agora no dia 8 de julho gostaria de uma orientação qto aos exames que devem ser feitos após a cirurgia de remoção da cabeça do fêmur agora acho que ela esta começando a sentir a outra perna o senhor atende aonde? obrigada pela atenção fico no aguardo de uma resposta

  156. Olá Dr., meu nome é Letícia e sou de Bragança Paulista e tenho um labrador de 8 meses e a alguns dias ele entrou em casa e levou um escorregão, no momento não notei nada diferente , mas após alguns dias ele estava mancando e não colocava a pata traseira no chão, foi então que percebemos que tinha um calombo próximo ao rabo e eu e meu marido ficamos muito preocupados achando e a nossa labradora havia machucado ele e deslocado ou quebrado sua pata, mas não nos lembramos de sua queda a dias atrás.
    Enfim, levamos ele no veterinário e fizeram a radiografia e ali deram o diagnóstico de uma displasia coxo femural e subluxação, além do fêmur estar deslocado, o veterinário indicou a cirurgia, mas já faz dois dias depois da radiografia e ele foi medicado e já está colocando a pata no chão e andando normal, mas não força muito,porque osso ainda está fora do lugar, mas pude perceber que ele está melhor, será que há alguma possibilidade do osso voltar no lugar sem a cirurgia e será que é mesmo necessário uma redução do fêmur, pois foi isso que o veterinário que que deveria ser feito?
    Gostaria que desse sua opinião e se conhecer algum veterinário especializado em ortopedia na região por favor me indique.
    Há e se ele ficar com o osso deslocado pode ocorrer algo mais grave?
    Obrigada, Letícia

    • Bom dia Letícia.
      Não conheço ninguém em Bragança Paulista infelizmente. Em relação ao seu animal não existe possibilidade do osso voltar sozinho para o lugar, é necessário fazer cirurgia.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  157. Minha cachorra o veterinario disse que ela esta com essa doenca entra venho tratando-a desde entao so wue hoje cheguei e ela estava caida no chao e nao estavs consiguindo levanta ai fiquei fazendo carinho nela e pedindo a Deus que a ajudasse entao ela se esforcando para se levanta ele levanta e cai e como se ela nao conseguisse monitorar suas pernas e ela so fica choramdo nao sei o que faco sera que ela saira dessa

  158. Dr. André:

    Meu Yorkshire é portador de displasia coxofemoral na traseira esquerda e tem nove anos de idade. Jà o trato com Artrin, nas crises com antiinflamatório e remédio para dor, mas sei que a cirurgia de retirada da cabeça do femur é indispensável. Um cirurgião que consultei disse que deve ser associada à cirurgia uma desenervaçáo. Seria mesmo necessária a desenervação. Moro em Porto Alegre e estou inclinado a resolver logo este problema porque as crises estão frequentes.

    • Bom dia Renato.
      Geralmente eu associo a colocefalectomia com a denervação também. Esse fio que se usa para cortar o colo femoral se chama Serra de Gigli, é uma das formas de se cortar o colo femoral, dentre várias que existem.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  159. Boa noite Doutor. Meu nome é Rodrigo, moro em Duque de Caxias no Rio de Janeiro e possuo uma rotweiler de 8 anos que possui laudo de displasia em nível muito elevado desde um ano e meio em ambas as pastas. Por falta de aconselhamento correto não busquei a cirurgia, apenas utilizo Condromax desde então. Até há alguns meses atrás ela tinha um comportamento bem normal com crises esporádicas, porém nos últimos meses ela tem ficado bem retraída e manca quase sempre. Voltei ao veterinário e fizemos nova análise. Parece que o caso se agravou muito, danificando inclusive a cabeça do fêmur da pata esquerda. A veterinária recomendou a cirurgia de remoção da cabeça do fêmur. Estou preocupado com a recuperação, tenho muito medo de não se recuperar e parar de andar. Exceto a displasia ela possui uma saúde perfeita. A cirurgia é segura nesta idade? Atenciosamente, Rodrigo Camargo de Oliveira

  160. Olá Dr. André,
    Me chamo Alice, tenho um labrador de oito anos que se chama Sophia. Ela foi diagnosticada com displasia coxofemural há 4 meses atrás. Ela está acima do peso, tem 39kg e fez uma denervação há aproximadamente 1 mês e meio. Depois do procedimento ela não apresentou melhora alguma, muito pelo contrário. Eu gostaria de saber se existe a possibilidade de um prognóstico negativo em alguns cães e de saber se o peso dela impossibilita a execução de outros procedimentos como a colocefalectomia.

    Obrigada pela atenção desde já,
    Atenciosamente,

    Alice Medeiros – SSA – BA

    • Boa noite Alice.
      Alguns cães não respondem bem a denervação, mas isso só ficamos sabendo depois do procedimento. O peso é um grande dificultador do processo pós operatório em qualquer técnica, o ideal seria a perda de peso antes da cirurgia se possível.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  161. Boa tarde Doutor André,
    Tenho uma Golden de 7 meses chamada Tequila, que tem cada vez mais dificuldades para andar e se locomover.
    Ao comprá-la em um canil especializado os vendedores me falaram que a chance de uma displasia era quase nula, minha esposa veterinária, fez questão em perguntar isso. Imaginamos que em um canil conhecido fossem falar a verdade. Mesmo assim nos precavemos e colocamos tapetes de EVA em quase todo nosso apartamento de chão liso. Infelizmente não adiantou e me dói no coração ver o sofrimento dela.
    Minha esposa não é especialista em Ortopedia e por isso gostaria de saber sua opnião.
    Quais os tratamentos os senhor aconselha:
    Pelo Raio X a Displasia dela se encontra avançada para a idade
    Quanto custam em média os procedimentos cirúrgicos aqui no Rio.
    Pode nos ajudar:
    Agradeço muito.

    Patrick

    • Bom dia Patrick. Desculpe a demora.
      A displasia infelizmente não temos como prever, mesmo os pais sendo isentos de displasia existe a herança genética (avós, bisavós…).
      O tratamento definitivo para displasia é a cirurgia mas existem os tratamentos conservadores. Se vocês quiserem conversar mais sobre o caso do seu animal mande email para drandrecarneiro@gmail.com que mando meus contatos e podemos nos falar mais facilmente. Se sua esposa, que é uma colega veterinária, quiser conversar e ver possibilidades de tratamento estou a disposição.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  162. Boa noite Dr André, tenho um chow chow de 6 anos, ele tem displasia na pata traseira esquerda e na direita é preciso a cortar no nervo(isso o vet me disse)levei ele aqui na minha cidade Bebedouro e ninguém resolveu, então fui na universidade de Jaboticabal, não liberaram a cirurgia pois a creatinina dele estaca em 2,4 .Depois fui indicada ao Dr João Guilherme q marcou a cirurgia e qdo ia começar ele teve um sangramento pela boca e depois de todos exames não foi encontrada a causa do sangramento ele desistiu da cirurgia, enfim ninguém quer opera-lo , ele disse tb q ele tem osteoporose .Não sei mais o q fazer pois a qualidade de vida dele é bem baixa , ele chora o tempo todo de dor( toma tramal) e não come e nem bebe só qdo damos na boca, ele tb pede pra levantar na maioria das vezes.Qual o caminho que devo seguir?Estou sem opção já q ninguém quer arriscar a operação!!!

    • Bom dia Daniela.
      A Unesp em Jaboticabal é uma excelente opção, você deve tratar seu animal para o problema renal e depois de resolvido retornar com os exames normais para realização da cirurgia.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  163. Boa tarde Dr. André!
    Sou de São Paulo capital e tenho um cão SRD, porte médio, 15 kg e de aproximadamente 6 anos que foi diagnosticado com displasia coxofemural severa e artrose. Ele se locomove aparentemente normal e adora correr mas tem dificuldade de subir e descer de moveis e escadas, também percebi que senta de maneira torta e sente dor quando mexemos nas patas traseiras. Este quadro é congênito ou se deve há algum histórico de trauma uma vez que quando adotamos ele já possuía 2 anos? Gostaria de sua opinião se devemos seguir com um tratamento conservador ou partir para cirurgia? Quais são os riscos da cirurgia e quais os riscos de não opera-lo?
    Obrigado pela atenção, Christian Franco.

    • Boa tarde Christian.
      Nessa altura não temos mais como diferenciar a causa da displasia. A displasia é uma doença degenerativa, portanto, só tende a agravar com o passar do tempo. O tratamento definitivo para displasia é a cirurgia, o conservador visa apenas dar um pouco de conforto com medicamentos analgésicos e suplementos vitamínicos. Os riscos cirúrgicos são os mesmos de qualquer outra cirurgia, se não operá-lo a tendência da doença é progredir cada vez mais e a sintomatologia agravar-se também.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  164. Bom Dia doutor, meu nome é Danielli e moro no interior de São Paulo. Minha cachorra, uma pastor alemão de quase 08 anos foi submetida a uma cirurgia de remoção da cabeça do fêmur devido a uma displasia coxofemoral aguda, porém já fazem 28 dias que ela foi operada e ainda não consegue firmar a pata. Estou preocupada também pois ela não firma nem a outra pata, já que a cirurgia foi feita do lado esquerdo, mais ela continua se recusando a ficar de pé. Ela sempre foi muito agitada e adorava ficar correndo, agora, embora medicada fica amuada e sequer quer comer., e há alguns dias começou a latir rouco, quase sem som, é agonizante pois ela até bate o queixo e o latdido num sai. Estou na verdade apavorada, pois o veterinário disse q ela deveria estar andando já. O Senhor poderia me dizer qto tempo demora a recuperação. Preciso de uma segunda opinião. Desde já agradeço.

    • Bom dia Danielli.
      A recuperação depende muito de cada paciente, mas em média de 45 a 60 dias. Sempre recomendo aos meus pacientes fisioterapia no pós-operatório, isso ajuda muito na recuperação. Converse com o veterinário responsável.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  165. Olá me chamo Emanuelle, tenho um labrador maravilhoso de 05 meses. A poucas semanas ele apresentou uma manqueira, fizemos um RX no qual deu as seguintes alterações: Coxa em valgo, Luxação coxofemoral bilateral e displasia bilateral severa…em fim ficamos arrasados. Foi cogitado cirurgia, mais ele vai ter uma vida normal ou vai ficar com sequelas?Na idade dele a recuperação é mais rápida? Se não fizer a cirurgia ele corre o risco de ficar sem andar? Obrigada!

    • Bom dia Emanuelle.
      Os animais que realizam a cirurgia de displasia podem ter uma vida completamente normal e sem dor após a cirurgia. A idade dele é um bom fator na recuperação, filhotes tendem a se recuperar mais rápido. Se a cirurgia não for realizada ele pode sim ficar sem andar, não podemos precisar tempo, mas pode sim. A displasia é uma doença degenerativa e sua evolução é gradual, seu animal ainda jovem já possui uma displasia severa segundo o laudo radiográfico.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  166. Boa tarde Dr Andre, meu nome é Paloma e tenho um pastor alemão de 8 meses.
    Brinco bastante com ele e um dia conforme estava brincando coloquei a mão na cintura(bacia)e senti que estralava conforme ele andava, mas ele não sente dor, nao manca, nao escorrega , marquei uma consulta pra semana que vem para fazer um raio-x mas nao vou aguentar até la de tanto nervoso. So porque estrala significa que ele pode ter displasia ou pode ser alguma outra coisa? se for displasia, se fizer a cirurgia ele pode se curar e ser normal ?

    • Bom dia Paloma.
      Só o exame radiográfico é quem pode diagnosticar a displasia, esses estalos são indicativos de que pode haver o problema. A cirurgia é o tratamento definitivo para displasia.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  167. Olá Dr.André, meu nome é Silvana e e gostaria primeiramente de parabenizá-lo por sua atenção e dedicação á sua profissão. Tenho um Rotwailler de aproximadamente 5 anos, não sei ao certo pq eu o resgatei e adotei , foi realizada radiografia e confirmado displasia coxofemural severa na perna esquerda traseira e moderada na direita sendo realizada a cirurgia dia 30.10.13 , hoje fazem 3 dias, tbm foi castrado , ele está sendo medicado com enropet 150 mg , dorless , calciotrat e o condroton 1.000 mg, gostaria de saber se é normal ele ainda não estar levantando, quanto tempo em média ele vai conseguir se apoiar , ele tenta porém não consegue não sei se o fato da outra perna ter tbm um quadro de displasia um pouco menor, estou com receio de ele não conseguir se levantar , ele chora muito pois deve estar sentindo dor e tbm não consegue fazer as necessidades dele,urinou apenas uma vez e não defecou ainda..o que o senhor me orienta fazer? isso é normal? quanto tempo leva para ele se levantar? posso ajudá-lo como ?..ele pesa 37 kilos . agradeço desde já , muito obrigada.

    • Bom dia Silvana.
      Obrigado pela visita ao blog, vamos as suas dúvidas.
      Cada animal responde de forma diferente a cirurgia, mas em média esse tempo é de 3 a 5 dias para o animal se adaptar. Nos meus pacientes recomendo a realização de acupuntura, o quanto antes, para ajudar nessa recuperação e tenho obtido ótimos resultados. Uma recomendação que dou aos meus pacientes para ajudá-los a levantar e estimular a caminhada leve, é a utilização de uma toalha passada pelo abdome e utilizada como apoio para o animal, assim você pode ajudar ele a iniciar uma caminhada. Espero poder ter ajudado.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  168. Muito obrigada Dr.André, ajudou muito sua resposta , só mais uma dúvida em média quantas sessões de acupuntura são necessárias para este tipo de caso? e o que seria mais indicado , fazer em casa ou levar o animal á clinica, e se o senhor conhece algum vet . acupunturista em S.Paulo…muito obrigada.

  169. Bom dia, Dr. André!
    Gostaria de compartilhar o caso da nossa Golden com o senhor. É uma fêmea de 7 anos de idade, que há algum tempo percebemos que andava de um jeito meio “estranho”, ao observar as patas traseiras. Ela parece andar “rebolando”, e arrastando um pouco as patas de trás. O veterinário solicitou exame para displasia coxo-femural, que acusou a presença de displasia de grau leve de um lado, e grau moderado do outro. Tendo em vista esse exame e a análise clínica, o veterinário sugeriu a cirurgia (não sei dizer qual tipo de cirurgia é, mas vou procurar me informar melhor. Parece que é uma na qual ele encaixa a cabeça do fêmur no local correto). A cachorra não parece sentir dor por enquanto, porém fica difícil dizer se de fato ela não sente nada, pois é bastante quieta e parece ser bem tolerante à dor. O que percebemos é que ela não consegue ficar muito tempo apoiada somente nas duas patas traseiras, contudo, anda “normalmente” (“rebolando”, conforme já afirmei), e às vezes até corre um pouco.
    Não sabemos o que fazer, se é indicado mesmo a cirurgia, ou se há a possibilidade de tratamento com remédio, apenas. Confiamos bastante no veterinário dela, porém, tenho um pouco de receio de fazer cirurgia, tanto pelo procedimento em si, como pelo pós operatório. Também não sei se é indicado, levando em consideração a idade da cachorra, e o grau da displasia (leve/moderado).
    Muito obrigada pela atenção!
    Um abraço,
    Janaína.

    • Bom dia Janaína.
      Como a displasia é uma doença degenerativa, sua tendencia é agravar cada vez mais. O uso de medicamentos é paliativo, apenas para analgesia do paciente, pois o tratamento definitivo da displasia é a cirurgia. Recomendo a cirurgia para meus pacientes o quanto antes, pois quanto mais se adia a cirurgia mais a doença se agrava.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  170. Dr. Andre possuo um cão labrador/capa preta. Está com displasiacoxofemural. Sem condições de pagar para operá-lo. Perdão por minha ousadia. Mas quem sabe o Sr.possa me ajudar com essa operação. Moro no RS, moro só e o Duke vive comigo desde muito pequeno. Meu companheiro insepáravel. Sente dores atrozes e quando olha pra mim via Lima cel.9913ejo um pedido de socorro. Por favor,me ajude. Tenho 67 anos e moro só. Quem sabe o sr possa ajudá-lo.
    Grata por sua atenção. Bhuda guie seus passos

    Silvia 51 99133660

  171. Minha cadela pastor tem apenas 04 meses e displasia severa. Sente dores intensas mesmo sendo medicada com Meloxicam e Dorless. Não sei a solução, pois, medicamento não ajuda muito! A cirurgia pode resolver em definitivo? Obrigada Daniele.RJ.

    • Bom dia Daniele.
      O tratamento definitivo para displasia é a cirurgia, os medicamentos ajudam no controle da dor mas quando paramos a medicação a dor retorna. Atendo no RJ, havendo interesse em uma avaliação mande email para drandrecarneiro@gmail.com que passo meus contatos para marcarmos a avaliação.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  172. Olá, tenho um dogue alemão que está com 11 anos, não acredito que a cirurgia deva ser realizada no cão desta idade, e tb não teria condições financeiras para arcar com a operação. Ele está no medicamento (osteocart), mas esta noite chorou muito. Ele mal consegue suspender as ancas, e tb não está comendo bem. Alguma sugestão para isso? Agradeço, Roberta.

    • Roberta, eu operei o meu cão na Rural em Seropédica, e o custo total da cirurgia ficou em torno de R$300,00. Ele se recuperou bem e ninguém diz que teve essa doença. Procure um hospital universitário próximo de você.

  173. Dr. Meu chow chow tem 1 ano e 4 meses e foi diagnósticado com displasia severa bilateral. O vet nos falou q a cirurgia possível nele so poderia ser a da retirada do fêmur. O meu chow ele apesar de ter a doença ate agora ele faz tudo q o cao normal faz sobe escadas, pula, corre nao se queixa de dor porem ele se cansa mais rapido nessas atividades. Dou a ele Condroton 1000. Então minha dúvida eh ja q aparentemente ele esta bem posso esperar mais algum tempo ate anos pra poder fazer essa cirurgia? ?? E o no pós operatório o q o senhor me aconselha fazer para ele responder mais rapido ao traramento. E tbm se eu nao fizer a cirurgia ele realmente pode ficar sem andar?

    • Boa tarde Thalita.
      Seu animal com apenas 1 ano já possui uma displasia severa, isso nos leva a acreditar que é um quadro congênito, ele já nasceu com a doença. A displasia é uma doença degenerativa e a tendência é piorar, quanto mais o tempo passa pior o prognóstico. Para meus pacientes sempre recomendo a realização de fisioterapia no pós-operatório, isso otimiza muito a recuperação.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  174. Bom dia Dr. André.
    Adotei um filhote SRD que está hj com 55 dias. Ele estava arrastando a perna traseira direita, levei-o a médica veterinária e realizamos um rx que deu o seguinte resultado:- perda parcial da relação entre as faces articulares da coxofemoral direita; discreto desvio ateral da cabeça femoral em relação ao acetábulo direito; preservação de ossos do coxal; desenvolvimento ósseo dentro da normalidade radiográfica para a idade; preservação da radiodensidade e trabeculação óssea. Impressão radiográfica: – alterações radiográficas sugestivas de subluxação coxofemoral direita. Diante desse resultado a médica veterinária optou por fazer uma peia nas pernas traseiras do meu filhote. Gostaria de saber se método resolve mesmo, ou se ele precisa de uma cirurgia. Ele também está tratando da doença do carrapato, que o deixou bem fraquinho. Agradeço se puder me orientar.

    Keila.

  175. Boa Tarde Dr. André.
    Desculpe estar lhe escrevendo novamente, mas hoje retornei com meu cãozinho ( que está com uma subluxação coxofemoral, como expliquei em post anterior) na veterinária dele e ela me disse que não há nada que possa ser feito além da tala que ele está usando. Mas eu estou em dúvida, pois li aqui no seu blog e em outros artigos que a cirurgia é a melhor opção para a total recuperação do cão. Hoje ainda perguntei a ela se o caso dele não é cirúrgico e ela disse que não tem cirurgia pra ele. Me desculpe mais uma vez a minha insistência, e obrigada por disponibilizar essa pagina para nos esclarecer.
    Att, keila

  176. Bom dia Dr. André .
    Me chamo Aline e resido no RJ , tenho uma Golden Retriever de 08 meses que a algumas semanas tenho percebido mancar da pata traseira esquerda ao realizar um exame de RX dia 26/12/2013, foi constatada a necrose asséptica da cabeça do femur e tambem ausencia do acetabulo e o femur tambem é menor que o direito, o veterinário que a levei não sabe o que me dizer , disse que não sabe o que pode ser feito . Existe algo que possa ser feito ? Cirurgia ? Colocação de protese ?
    Agradeço Aline S.

    • Boa tarde Aline.
      Para passar alguma informação sobre possíveis tratamentos precisaria avaliar seu animal, a resolução da necrose asséptica é cirúrgica mas você relata uma ausência de acetábulo, nunca vi nenhum caso parecido. Trabalho no RJ havendo interesse em uma avaliação entre em contato pelo email: drandrecarneiro@gmail.com que passo meus contatos para marcarmos uma avaliação.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  177. Dr. André,
    Estou totalmente desolada…….no ano de 2012 comprei uma cachorrinha na rua que infelizmente chegou a óbito após cinco meses devido uma má formação dos rins. Ainda traumatizada procurei um conceituado criador aqui em minha cidade para adquirir um cachorrinho da raça Boxer. Tudo estava indo maravilhosamente bem até que afora aos quatro meses meu cachorrinho veio demonstrando sentir dores na pata direita.
    Levei-o prontamente ao veterinário e este após um exame de raio-x constatou que o meu filhotinho era portador de displasia.
    No momento estou perdida devido a impotência em que me encontro, afinal meu cachorrinho esta padecendo de dores terríveis e nada posso fazer para tirá-lo deste sofrimento. Estão sendo ministrados alguns antibióticos e os condroprotetores.
    Minha pergunta e a seguinte: por ser um filhote de quatro meses a sua recuperação com a cirurgia e total? O senhor conhece alguém aqui em Fortaleza que seja competente nesta cirurgia? Por favor me ajude!

    • Boa tarde Carolina.
      Geralmente os filhotes se recuperam muito bem da cirurgia, mas não podemos garantir uma recuperação total porque isso depende de cada indivíduo. Infelizmente não conheço ninguém em Fortaleza para indicar.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  178. Boa tarde Dr. Andre.
    Desculpe entrar em contato mais uma vez, mas estou com algumas duvidas em relaçao a cirurgia de displasia.
    Levei meu pastor alemao de 8 meses no vet, ele tem displasia na perna esquerda, a veterinaria nos deu a opçao de fazer uma cirurgia de denervação, mas sei que existem outros tipo de cirurgia. Gostaria de saber que, se eu optar pela cirurgia de denervação, podera agravar a displasia? Qual a cirurgia que o Sr. me recomendaria?

    Muito Obrigada!

  179. Boa noite
    Tenho uma gatinha de 9 anos, fez RX e acusou:
    oestoefito ventral em efifise caudal de L7, sendo visualizada área arredondada de maior radiopacidade adjacente.
    – esclerose da epífise cranial de S1 (osteofitos laterais)
    -imagem que sugere opacificação do forame invertebral em L7-S1.

    Mia constantemente (dor?), e mia ao evacuar ou espalhar as pedrinhas da caixa sanitária e lambe o anus. Isso causa muita dor? é sério? qual seria o tratamento mais indicado? possível cirurgia?

    Desde já agradeço

    • Bom dia Paulo.
      Pela descrição do laudo pode ser Hérnia de disco, tratamos com analgésicos e antinflamatórios, a acupuntura tem excelentes resultados nesses casos. Converse com o veterinário responsável.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  180. Boa tarde Dr. Andre.
    Desculpe entrar em contato mais uma vez, mas estou com algumas duvidas em relaçao a cirurgia de displasia.
    Levei meu pastor alemao de 8 meses no vet, ele tem displasia na perna esquerda, a veterinaria nos deu a opçao de fazer uma cirurgia de denervação, mas sei que existem outros tipo de cirurgia. Gostaria de saber que, se eu optar pela cirurgia de denervação, podera agravar a displasia? Qual a cirurgia que o Sr. me recomendaria?

    Muito Obrigada

  181. Doutor, Boa Noite,

    Esta tarde recebi a noticia de que meu Dogo Argentino de 1 ano, tem displasia coxofemoral Grau D // H.D ++, moderada. Obviamente fiquei desesperado, falei com o ortopedista e ele passou o tratamento com condroprotetor. Sei que é uma doença degenerativa, mas no caso de colocação de prótese total, o problema estaria sanado para sempre? Outra coisa, meu animal pode correr normalmente? ele é bem agitado e brincalhão, e temos um quintal espaçoso, não gostaria de reduzir o espaço que ele tem a disposição.
    Muito Obrigado, e Parabéns pelo site!

    • Boa noite Rafael.
      Sim, com a prótese o problema fica 100% resolvido. A agitação de um cão de 1 ano é muito difícil de ser controlada, o que pode ocorrer é, após muito exercício aumentar a claudicação.
      Att.
      Dr. André Carneiro

      • Boa noite Dr. André,
        Tenho uma Cane Corso que foi diagnosticada com Displasia Coxofemoral, quando é o custo médio de uma cirurgia com aplicação da prótese.
        Obrigado

        Emerson

  182. muito boas noites chamo me ferreira e gostaria de uma palavra que será uma grande ajuda para mim..
    tenho um pitbul com 7 anos de idade e aos 2 anos levou um tiro na perna direita ao qual teve que ser imputada ,e graças a deus correu tudo bem e assim ando sempre em cima das três patas sem qualquer problema , obvio que mal ou bem ele as vezes acabaria por dar tombos as vezes sem querer e como é obvio fazia muita força só naquela pata da frente…
    agora a poucas semanas a traz ele aleijo se numa unha ,o que eu penso que foi por ai????
    o certo é que realmente a desenfetei e ele ate paro de sangrar mas apos uma semana apos esse ferimento a pata começo a inchar ao ponto de ficar com ela muito rixa e muito enxada , foi ao veterinário ao qual a doutora me receito alguns antibióticos umas vitaminas e uns antiflamatorios,
    ao que passado uma semana e muito pouco a infeção passo na totalidade…o que não volto foi a andar ,ou seja o cao a comer consegue colocar a pata no chão faz um pouco de força mas sempre a tremelicar e vesse a omoplata sempre a subir para cima cada vez que ele esta a comer e a tentar se meter em cima da mesma…mas o certo é que para andar ele não anda dobra a perna e rasteja com a parte da frente…
    a medica ainda tento andar a fazer lhe acupuntura por 2 vezes mas sem eizito algum…ao que acabo por me dizer que já não tinha esperanças nenhumas…
    por favor alguém ou os senhores podem me tentar ajudar???
    muito obrigado pela vossa atenção e tempo perdido com os melhores comprimentos ferreira…

  183. Dr. André, boa noite!
    Recebi hoje a noticia que meu cachorro de 1 ano da raça Pug está com displasia, no laudo radiográfico consta: acentuado arrastamento acetabular bilateral, acompanhado de subluxação da cabeça femoral em relação ao acetábulo. O veterinário indicou a cirurgia para retirada da cabeça femoral. Ele não está mancando, mas percebemos que ele está mais quietinho e o jeito de andar mudou, e também lambe bastante a parte traseira. Com este diagnostico, o Dr. aconselha um tratamento paliativo com remédios e fisioterapia, ou o melhor seria já fazer a cirurgia?

    Desde já agradeço.

  184. Doutor boa noite,

    tenho um pitbull de um ano que anda, porém, com uma certa dificuldade, e hoje descobri que ele tem displasia grave e que terá de passar pela cirurgia de colocefalectomia, porém, após conversar com o veterinário fiquei com algumas dúvidas.
    1 – Após a cirurgia, em quanto tempo o cachorro volta a andar como antes (recuperação)?
    2 – Sei que a doença não tem cura, mas queria saber se a cirurgia é apenas para o cachorro não sentir mais dor ou é para estagnar a doença no grau que está?
    3 – O cachorro mesmo com a cirurgia ficará sem andar algum dia por causa da doença?

    O medo é de o cachorro ficar aleijado algum dia por causa da doença, existe a possibilidade?

    desde agradeço.

    Sabrina

    • Bom dia Sabrina.
      Vamos as suas respostas:
      1 – Geralmente após 60 ou 90 dias, isso depende do animal, tem animal que manca pelo resto da vida mas não tem dor.
      2 – O animal não sente mais dor e a doença não tem como progredir pq se retira a cabeça do fêmur.
      3 – Se realizada a cirurgia não, a não ser que haja outro fator que leve a isso.
      Att.
      Dr. André Carneiro

      • Boa tarde Dr. André,

        Primeiramente gostaria de agradecer o retorno.

        Posteriormente, tenho mais umas dúvidas:

        1-A cirurgia deve ser feita imediatamente ou posso esperar mais uns dias, pergunto pois a cirurgia está marcada para semana que vem, dia 28, e dependendo estava querendo fazer apenas depois do carnaval.

        2- Ele pode praticar exercícios normalmente? tipo, algum exercício para fortalecer a musculatura das patas que estão um pouco atrofiadas, queria poder fazer algo que ajudasse a diminuir isso, o que pode ser feito?

        Desde já agradeço pela ajuda!

        Sabrina Miraglia.

      • Bom dia Sabrina.
        O ideal é realizar a cirurgia o mais rápido possível. O ideal é você procurar a orientação de um fisioterapeuta veterinário para um acompanhamento pós-operatório, peça indicação ao veterinário responsável pelo caso.
        Att.
        Dr. André Carneiro

  185. Boa noite Doutor,

    Primeiramente gostaria de agradecer pelo retorno.

    Posteriormente, gostaria de saber se após a cirurgia ele poderá ou deverá fazer alguns exercícios, como caminhada para fortalecer e desenvolver o membro atrofiado?

    O que o Sr. indica?

    Obrigado!!!

  186. Olá Doutor,

    Sou o feliz companheiro de uma rotweiler de 8 anos que desde os 15 meses de idade sofre com uma displasia severa, mas que até um ano atrás manteve-se assintomática.
    Decidimos operar (retirada da cabeça do fêmur) com o Dr. Ricardo da UFRRJ e após 2 meses de cirurgia ela só consegue apoiar a pata operada com muita dificuldade, por vezes reclamando de dor.
    Ela anda apenas em cimento muito grosso ou em grama, mas manca muito e quase cai quando decide apoiar a pata operada.
    Este tempo é curto para a recuperação?

  187. Bom dia, Doutor!
    Sou proprietário de um São Bernardo de 10 meses de idade, mas infelizmente está com displasia coxofemoral do lado esquerdo.
    O laudo da radiografia diz o seguinte:

    “Articulação Coxofemoral Direita:
    Discreta incongruência articular;
    Estruturas ósseas normais.

    Articulação Coxofemoral Esquerda:
    Incongruência articular (SubLuxação);
    Estruturas ósseas normais.
    Conclusão: Sinais Radiográficos de Displasia Coxofemoral Esquerda.”
    Foto da radiografia: http://i.imgur.com/yGK3OmH.jpg

    Neste caso qual seria a melhor técnica a ser utilizada? O veterinário também não determinou o grau de displasia, não sei se por essa foto teria como saber.
    Consultei um outro veterinário e o mesmo já me adiantou que será necessário fazer colocefalectomia, mas li que essa técnica não é muito indicada para cachorros de grande porte.
    Sua opinião é de grande valia, pois assim eu não corro o risco de deixar o animal na mão de um pseudo profissional.

    Tenha uma ótima semana!
    Bruno

    • Bom dia Bruno.
      A técnica depende do profissional que vai realizar, existe a prótese total de quadril, particularmente eu não realizo cirurgia de prótese, já fiz diversas cirurgias de colocefalectomia em animais pesados com grande sucesso.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  188. Boa Noite Dr.André.
    Tenho um Rotweiler vai fazer 8 anos, moro em Salvador/BA. Descobri ano passado que ele esta com displasia coxo femural, desde então tenho dado Artrin todos os dias sem pausa, o veterinário disse que ele iria tomar pelo resto da vida, ele mancava antes e agora esta bem melhor, tenho medo de fazer caminhadas para ele não piorar. Com essa idade e aconselhável fazer cirurgia? e o Artrin pode fazer mal, quando usado por muito tempo?

    Acidélia

    • Boa tarde Acidélia.
      A cirurgia é indicada em qualquer idade. O exercício em excesso pode piorar o quadro, mas caminhadas leves são até benéficas, o Artrin não faz nenhum mal se usado a longo prazo.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  189. Olá Dr!
    Tenho um labrador de 10 anos que há três dias não se levanta mais. Está com limitação severa de movimentos. Nós estamos levantando ele para urinar e temo que sua evacuação seja prejudicada pelo problema. Fomos a um veterinário da região e ele disse que não havia mais solução para o problema. Sugeriu que nós sacrificássemos nosso cãozinho. Estamos muito abalados, sofrendo junto com ele, mas não queremos sacrificá-lo! Existe alguma alternativa para amenizar o seu sofrimento? Será que ele vai morrer se não dermos remédio ou fizermos a cirurgia? Muito obrigada! ='( Melissa Castro, Recife-PE.

  190. Boa noite Dr. André, temos um boxer com 11anos e também está com displasia coxofemural, e já está com dificuldade para levantar e caminhar, pelo que li, a recomendação é a cirurgia. Moramos em Canoas-RS, cidade metropolitana de P.Alegre, nestas bandas daqui o Sr. conhece alguma clínica ou hospital de sua confiança e de seu conhecimento para realização desta cirurgia!
    Att. Renato.

  191. Olá, Dr. André

    Tenho um pastor alemão de 11 anos. Devido a displasia, ela não está conseguindo mais andar. Não está se alimentando bem, come muito pouco e vomita. Emagreceu muito. Ele se feriu tentando andar, na pata dianteira esquerda, esse ferimento não está querendo cicatrizar mesmo a gente cuidando. Agora ele está com as duas patas muito inchadas. Sebe dores ao tentar levantar. Temos que colocar a água e a comida junto dele e carregá-lo pra tirar de cima da urina. Não sabemos mais o que fazer é de cortar o coração. O senhor acha que algum tratamento reverterá o quadro dele?
    Grata,
    Ana Paula.

  192. Boa tarde doutor, tenho um york ele ja tem 4 anos e esta com displasia as patas traseira estalando muito, estou dando condutron a cerca de 1 mês mais parece q os estalos so aumentam, realmente so a cirurgia para melhorar de vez ?, pois aparentemente ele esta sem dor, corre, pula, sobe e desce da cama o tempo todo. E sobre a cirurgia tu sabe me imformar o valor dela ?
    Obrigado Dhiego

    • Bom dia Dhiego.
      O tratamento definitivo é cirúrgico, em relação a valores cada profissional tem o seu, seria necessário avaliar seu animal para passar valores.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  193. Boa noite Dr. André.
    Bem doutor tenho um labrador chocolate lindo de 7 meses o “Bahuan”, muito dócil, muito brincalhão, amável demais. Ontem dia 02/06 ao chegarmos em casa eu e minha esposa, fomos claro brincar com ele e tudo mais, como fazemos todos os dias. Estava catando os brinquedos dele para colocar a coleira e levar ele para rua como faço, quando reparei que ele estava mancando na pata direita traseira, corria mas percebi que tinha algo diferente, no andar percebi algo diferente, e ao ficar parado era como se ele sempre evitasse colocar essa tal pata no chão. Me assustei mas também me lembrei que tinha chovido e ele poderia ter escorregado brincando sozinho em casa durante o dia, como ele não esta chorando nem nada pensei em deixar ele dormir que acordaria melhor. Bem quando cheguei hoje do trabalho ele ainda esta mancando, e me desesperou. não o impediu de fazer festa com agente pular correr e tudo mas, mas ao perceber que mancava não quis forçar ele correr nem nada, tentei colocar a mão e apertar de leve a pata dele toda ela e ele não reclamou, mas esta mordendo bastante a minha mão sabe, como se fosse uma brincadeira bruta. Vou levar ele amanhã ao veterinário. Cuido dele como um filho, ver ele puxando pouco a pata me corta por dentro. Ele é super saudável, porte muito atlético, um cão maravilhoso. Desde que esta com agente ele só come a Cibau Super Premium para labradores filhotes. Sou do Rio de Janeiro Vilar dos Teles.
    Forte abração e parabéns por sua página.
    Marcus Leroy

    • Bom Dia Marcus.
      Obrigado pela visita ao blog e volte sempre que precisar.
      Leve seu animal para uma avaliação com o veterinário responsável por ele. Cuidados nunca é demais.
      Forte abraço.
      Dr. André Carneiro

  194. Olá doutor, tenho um pastor alemão de 2 anos e meio, ele tem displasia severa bilateral. Com 10 meses ele fez uma denervação bilateral. Após a cirurgia fez fisioterapia e natação. Administro regularmente condroidina, e no momento ele está tomando Osteobiflex. Entretanto há alguns dias ele começou a mancar de forma mais acentuada a perna esquerda, algumas vezes também estala quando anda. Está triste e não está querendo comer. Estou tratando com corticoide, porque ele tem problemas gastrointestinais com os antiinflamatorios não esteroides.
    Estou escrevendo para pedir uma indicação de um veterinário que pudesse me auxiliar na região de Piracicaba, pois o veterinário que o operou anteriormente foi o mesmo que me vendeu o filhote, que tem pedigree rosa por sinal. Após a cirurgia descobrimos que ele também tem sarna dermodecica, outro problema genético, que no momento está bem controlada. Mais este problema criou uma certa animosidade entre mim e o veterinário, por isso não gostaria de levá-lo neste veterinário novamente.
    Se puder me ajudar ficarei imensamente grata,
    Abraço,
    Laura

    • Bom dia Laura.
      O tratamento definitivo para displasia é a cirurgia, seja a colocefalectomia ou a prótese, a denervação a longo prazo o animal pode voltar a sentir dor. Seria interessante um exame radiográfico, como ele já tem mais de dois anos pode-se fazer o exame com laudo definitivo para displasia. Infelizmente não conheço ninguém em Piracicaba.
      Att.
      Dr. André Carneiro

      • Primeiramente obrigada pela resposta, levei meu cão ao veterinário e ele vai fazer a radiografia. O veterinário me disse que a recuperação da cirurgia onde se remove a cabeça do fêmur é muito difícil em cães de porte grande como o meu. É verdade? Gostaria de saber sua opinião sobre o prognóstico de recuperação.
        Obrigada e parabéns pelo trabalho.
        Laura

  195. Boa tarde< tenho um poodle tamanho 1, eu o peguei para criar quando ainda tinha 15 dias de nascido, percebi que a irmãzinha dele tinham um probleminha na patinha traseira, com o decorrer dos dias observando o crescimento dele percebi que ele não apoia as patinhas traseiras totalmente no chão, verificando percebi que o joelho dele não estica, com isso ele tem muita dificuldade para andar, seria o caso para fazer essa cirurgia? o médico veterinário me falou que é genético e algo só poderia ser feito quando já estivesse adulto….. Atualmente ele está com três meses.

  196. Boa noite Dr André, vim buscar ajuda no google e achei seu site, que por sinal muito interessante. Tenho uma labradora de 9 anos e faz uma semana que fez a cirurgia da displasia (retirada da cabeça do femur). Gostaria de saber em quanto tempo ela voltará a andar pq não tem apoio nas pernas do lado da cirurgia e sente muita dor na outra que terá que fazer tb. Aguardo resposta, obrigada.

    Rosana Araújo – SP

    • Bom dia Rosana.
      Não tenho como dizer um prazo a você, cada animal responde de forma diferente a cirurgia. Posso dizer que a recuperação é bastante otimizada quando acompanhada de fisioterapia.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  197. Olá Dr. André, meu nome é Thayane, moro em Brasília e tenho uma labradora de 2 aninhos, a Cristal. Há 4 meses ela foi diagnosticada com displasia, logo depois descobri que a mãe dela tbm tem. Passou por nova avaliação há 5 dias. Está com grau D, bilateral. Foi indicado cirurgia para colocar uma prótese de quadril. Por ser um método muito invasivo, logo que tive a notícia entrei em desespero. Ela está obesa, começou uma dieta pra perder 15 kg. Pois só assim poderão opera-la. Está fazendo uso de Tramadol, Gabapentina, Procart e ração Royal Canin Obesity. Faço caminhadas leves com ela, por aproximadamente 10 minutos, piso áspero e reto, isso pode prejudicá-la? Outra dúvida, é verdade que a cirurgia que corta a cabeça do fêmur ñão extingue a possibilidade de futura volta da displasia? Qual o risco de rejeição dessa cirugia? Vou largar meu emprego para cuidar do pós opertório. Desde já agradeço, e parabenizo pelo excelente trabalho. Abraços

    • Bom dia Thayane.
      A caminhada leve não faz nenhum mal a ela. Na cirurgia de colocefalectomia, que retira a cabeça do fêmur, não existe risco de retorno da displasia tendo em vista que não existe mais encaixe articular. Não existe rejeição nesse tipo de cirurgia pois não se utiliza nenhum implante. Não precisa largar seu emprego para cuidar do seu animal, o pós-operatório é relativamente tranquilo.
      Att.
      Dr. André Carneiro.

  198. Dr. André Carneiro boa noite e obrigada pelo seu blog q ajuda muita gente e o Sr tem uma educação belissima. Meu Nome: Flávia e tenho uma cadelinha da Raça Pastor Alemão Gigante. O pai dela é enorme e tem 63kg. Ela está comigo pq as outras 2 que nasceram com problemas parece-me de Displasia Coxo-femut]ral morreram. Ela está viva pois dedico 24 horas por dia a ela. Morena é muito linda e enorme Dr. Aqui tem a UFRPE e lá existe um especialista no assunto, porém muito grosso e recusa a fazer o encaixe no Fêmur q ele viu no RXS e Tomografia. Uma colega falou com outro e ele diz ela ser muita nova e mandou aguardar. Só q ela está bastante pesadinha como lhe disse. 12kg e 82 cm da cabeça até o final do corpo sem a cauda. Tem 3 meses e meio e estou muito aperriada pq preciso voltar a trabalhar daqui há 3 meses e acho q ela vai sofrer muito, pois é totalmente dependente p se virar. Por favor me diga algo q me ajude!

    • Bom dia Flávia.
      Obrigado pela visita ao blog. Não entendi uma coisa, seu animal não consegue andar? Se ela não anda pode existir alguma outra coisa associada ao quadro. Mas você relata que ela fez Rx e Tomografia. Infelizmente não vou conseguir ajudar muito a você nesse caso, seria necessário examinar seu animal.
      Att.
      Dr. André Carneiro

      • Obrigado Dr. Eu estava sem computador e não tinha como responder seu email. Soube da sua competência e fiz a pergunta. Segundo o médico ela tem o Acetábulo curto e não consegue fazer o encaixe do Fêmur. O laudo diz q ela tem Luxação das 2 Patas Traseiras e sente dor. Porém eu acho q era pouco e agora q está com 4 meses e meio está aumentando. O Dr falou em cirurgia depois dos 6 a 8 meses. Ele introduziu o Cálcio e Fisio+ Acumpuntura. Parece-me q ele quer o o Osso desenvolva. Me deculpa Dr por ter incomodado, é q sinto muito pela situação q ela se encontra. Eu tenho com ela 3 cães q adotei. Agora ela vive muito tempo deitada pq aqui em Recife, Camaragibe-Pe está chovendo muito e p ficar na cadeira de rodas é ruim. Date: Fri, 8 Aug 2014 14:50:57 +0000 To: flaviadelima2009@hotmail.com

  199. Olá Dr. André, minha cachorra tem displasia grave e já tentamos fazer a denervação em abril deste ano. No começo parecia ter melhorado, mas agora parece que voltamos a estaca zero. Você faz ou sabe indicar quem faça a prótese? entendo que seria a melhor solução para ela. obrigada, Sandra

  200. Prezado Dr. André, tenho um cão boxer, nasc. 30/10/2002, diagnosticado com “displasia coxofemoral severa, caracterizada por moderado arrasamento de acetábulos, incongruência articular com marcantes remodelamentos de cabeças e espessamentos de colos femorais.” Ele está em crise dolorosa (a 1a. de sua vida), atenuada por medicações (tramal, trocoxil, dipirona, gerioox, UCII). Apesar da idade, vários exames constatam que ele é um animal saudável, coração perfeito comprovado pelo eco, mas, mesmo assim há vertentes contra e a favor de um procedimento cirúrgico. Não sei o que sentiria se decidisse por um procedimento muito invasivo que o levasse a óbito, mas também não é bom deixá-lo entregue à própria sorte, nesta idade já avançada. Meu sonho é que ele morresse de velho e não de dor… Devo procurar a ajuda de um cirurgião, o quanto antes? Apesar da idade, há chances de sucesso final (cirúrgico e pós-cirúrgico?). Aguardo, ansiosa, seu valioso parecer. Abraços.

    • Boa tarde Solange.
      Se os exames pré-operatórios estão normais pode-se optar pela cirurgia, como você mesma disse melhor morrer de velho do que de dor. Mesmo com a idade avançada as chances de sucesso na cirurgia são boas.
      Att.
      Dr. André Carneiro

    • Dr boa noite é Flávia. Ela está muito lenta. Assim, ela agora cada dia + não está se arrastando como antes, pessoas q tiveram cães assim dizem ser por questão de peso. O q o Sr acha? Ela não tem + de 7 kg e come bem porém moderadamente p não ganhar peso. Ração Super Premuim p poder comer menos e ter uma boa alimentação. O q o Sr acha de o Cirugião somente querer operá-la depois dos 6 a 8 meses p ver se o Acetábulo cresce mais p fazer a Cirurgia e prender o Fêmur? Dr por favor me ajude na sua opinião? Estou vendo a Solange do Boxer falando q é melhor morrer decente, + ela só tem 4 meses! Date: Fri, 22 Aug 2014 18:46:09 +0000 To: flaviadelima2009@hotmail.com

  201. Olá Dr. me chamo Marsele, moro em Brasília, tenho um filhote de Bernese com 4 meses e meio que foi diagnosticado com displasia coxo-femural por meio de raio-x. Gostaria de saber se geralmente a Sinfisiodese púbica é capaz de resolver definitivamente o problema sem a necessidade de novas intervenções cirurgias ou uso de medicamentos como antiinflamatórios e analgésicos.
    Obrigada!

    • Bom dia Marsele.
      Não tenho experiência com sinfisiodese púbica, mas pelo que já li sobre o assunto ela tem bom resultado mas não posso afirmar que não haverá necessidade de novas intervenções.
      Att
      Dr. André Carneiro

      • Bom dia Dr. André Carneiro, já havia conversado com o Sr. em outro post há um tempo atrás sobre meu pitbull que foi diagnosticado com displasia grave, ocorre que há 7 meses ele fez a cirurgia de retirada da cabeça do fêmur da pata direita e estamos aguardando para fazer da outra pata, porém, a cirurgia não teve o efeito esperado, pelo contrário, a pata operada está pior, pois nos dias que ele se esforça mais ele manca muito dela e as vezes nem a coloca no chão, isso tem ocorrido com uma certa frequência, voltei ao vet. que fez a cirurgia e ele pediu para administrar previcox para ele para aliviar a dor e fazer caminhada leve todo dia com ele para fortalecer a musculatura.
        Estou com muita dúvida com relação à situação dele, estou triste ao ver ele sofrer, o Senhor me aconselharia mais alguma coisa? o que posso fazer para melhorar a situação dele?

        Desde já agradeço!

        Sabrina Miraglia.

  202. Dr. Andre, boa tarde!
    Tenho uma Cadela SRD, chamada Lilica com um ano e um mês. A mesma foi diagnosticada com Displasia coxofemural bilateral grave. Os sintomas apresentados por ela são: dor quando a levo para passear e as vezes anda com a pata suspensa. Estou relutante com relação a cirurgia, pelo pós operatório ser complicado. Estou pensando em fazer tratamentos alternativos como acunpuntura, condroprotetores e dieta.Qual a sua opinião? O sr. teria indicação de algum especialista em Niterói?
    Obrigada, Luciana

    • Bom dia Luciana.
      Esses tratamentos são paliativos, o tratamento definitivo para displasia é a cirurgia. Recomendo a cirurgia o quanto antes pois o quadro tende a se agravar cada vez mais, existem duas possibilidades cirúrgicas a prótese total de quadril ou a colocefalectomia que não se utiliza prótese. Seu animal já foi radiografado? Em Niterói existe o Hospital Veterinário de UFF, existe também o Hospital Veterinário Niterói que fica em São Francisco. Havendo interesse mande email para drandrecarneiro@gmail.com que passo a você meus contatos e conversamos diretamente, o pós-operatório não é tão complicado quanto você está pensando.
      Att.
      Dr. André Carneiro

  203. Bom dia Dr André,

    Meu cão foi diagnosticado com displasia após sofrer uma lesão durante o acasalamento, eu tenho aqui o laudo do exame e se puder me indicar um profissional aqui no RJ e/ou tratamento adequado agradeceria:

    Segue abaixo o laudo e o veterinário clinico fez o movimento de gaveta e não identificou a ruptura informada no exame e hoje vejo o cão puxando levemente a pata, o mancar só perceptível para quem vive com ele e apesar da dor, ele não se limita a por exemplo a pular para nos abraçar, mesmo que nós não o estimulemos a isso pra evitar agravamento do caso.

    – Imagem revelando arrasamento e leve esclerose delineando as faces semilunares de ambas as

    fossas acetabulares;

    – Cabeças femorais apresentando perda do seu contorno arredondado padrão.

    – Colos femorais apresentando remodelamento ósseo

    – Articulação Coxofemoral apresentando incongruência articular bilateral, sendo possível

    visualizar presença de ar intra-articular. Alterações radiográficas sugerem displasia

    coxofemoral bilateral

    – Imagem revelando moderado desvio medial esquerdo e direito da patela em relação ao seu

    respectivo suco troclear.

    – Imagem revelando projeção cranial da tíbia em relação a seu respectivo côndilo femoral.com

    efusão articular comprimindo o coxin nfrapatelar. Alterações radiográficas sugerem ruptura

    de ligamento patelar direito, devendo ser correlacionada com avaliação clinica, verificando

    (movimento de gaveta)

    – Demais estruturas ósseas sem alterações radiográficas dignas de nota.

  204. olá Dr Andre, tenho chow chow de basicamente 4 meses e ele escorregou e eu levei imediatamente para Prontvet,ai bateu RX não teve fratura tomou medicação mais não voltou a andar normalmente ai apos 10 dias levei num vet especialista em ortopedia ai ele constou que ele está com displasia coxo femural pois o colega tinha passado batido no RX não diagnosticou mais resumindo meu chow tem 4 meses e está pesando 11,600gr é obrigatório a cirurgia para a retirada da cabeça do femo ou tem outra alternativa para ele poder levar uma vida quase normal aguardo sua resposta obrigado .

  205. Tenho uma pastora canadense com 5 meses, ela apresentou displasia coxo-femural, com rasamento de ambas as fossas acetabulares, deformidade de ambas as cabeças femorais e sub-luxação de ambos os membros posteriores.
    O QUE FAZER???

  206. Bom dia Dr. André Carneiro, já havia conversado com o Sr. em outro post há um tempo atrás sobre meu pitbull que foi diagnosticado com displasia grave, ocorre que há 7 meses ele fez a cirurgia de retirada da cabeça do fêmur da pata direita e estamos aguardando para fazer da outra pata, porém, a cirurgia não teve o efeito esperado, pelo contrário, a pata operada está pior, pois nos dias que ele se esforça mais ele manca muito dela e as vezes nem a coloca no chão, isso tem ocorrido com uma certa frequência, voltei ao vet. que fez a cirurgia e ele pediu para administrar previcox para ele para aliviar a dor e fazer caminhada leve todo dia com ele para fortalecer a musculatura.
    Estou com muita dúvida com relação à situação dele, estou triste ao ver ele sofrer, o Senhor me aconselharia mais alguma coisa? o que posso fazer para melhorar a situação dele?

    Desde já agradeço!

    Sabrina Miraglia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s