Histerectomia por hiperplasia endometrial cística (Piometra)

Essa cadelinha foi encaminhada por um colega com um diagnóstico de Muco/Hemometra confirmado ao exame ultrassonográfico, sendo assim realizada a cirurgia para retirada de útero e ovários.

Incisão de pele.

Abertura da linha alba e acesso à cavidade abdominal.

Ligadura do coto ovariano direito.

Ligadura do coto ovariano esquerdo.

Ligadura da cérvix uterina.

Retirada do útero e ovários.

Fechamento da camada muscular.

Sutura de sub-cutâneo.

Sutura de pele.

Flap de pele pediculado em lesão társica com exposição óssea.

Primeiramente  peço desculpas pelas fotos que estão com qualidade ruim pois fiz com o celular.

Esse animal foi achado na rua pelo atual proprietário e encontrava-se com miíase em MPD na região do tarso. A princípio foi instituída a limpeza da ferida e curativos diários com pomada cicatrizante, antibióticoterapia e uso de AINES. Após 6 dias, a ferida já se encontrava com boa granulação, mas os três últimos dedos encontravam-se necrosados. Então, sugeri ao proprietário a amputação dos dígitos e a utilização de flap de pele pediculado para recobrir a área ossea exposta. Seguem as fotos:

MPD ainda com os dígitos necrosados. Notar o ótimo tecido de granulação ao redor da lesão, bem vivo e brilhante.

Membro já debridado e sem os dígitos necrosados. Notar a presença apenas do 1º dígito, mas por se tratar de um felino e ser bem leve optamos por não amputar o membro.

Retirada do flap na face externa da tíbia e rebatido para recobrir o tecido ósseo exposto.

Flap de pele aplicado sobre a lesão e início do fechamento da área doadora.

Aspecto final da área recoberta pelo flap.

Finalização da cirurgia.

Esse animal foi operado hoje. Pedi ao proprietário para retornar a cada 7 dias para realização de revisões do flap, então se ele trouxer vou postando as fotos da recuperação.

 

Pessoal, primeira revisão após 7 dias.

O enxerto de pele pegou bem e já recobre mais de 60% da área anterior. O animal é muito bravo portanto é difícil manipulá-lo. Estamos fazendo curativos a cada 48 horas.

Flap de pele já sem o pedículo.

Lesão de Reabsorção Odonclástica Felina – LORF

Quantas vezes já nos deparamos na rotina clínica com proprietários relatando a falta total de apetite ou o apetite seletivo, quando o animal alimenta-se apenas de determinados alimentos na maioria das vezes macios. Por diversas vezes, acredito eu, pensamos que pode ser FIV, Felv, PIF, Lipidose.  E quantas vezes o clínico veterinário chega a solicitar um exame radiográfico dessa cavidade oral?

Por esse motivo estou fazendo esse post para alertar aos colegas e acadêmicos que nos visitam sobre a importância da avaliação radiográfica da cavidade oral dos felinos. Existem patologias que acometem a cavidade oral dos gatos que só são diagnosticadas por meio do exame radiográfico, uma delas é a Lesão de Reabsorção Odontoclástica Felina (LORF).

Além da LORF existem outros problemas que podem acometer a cavidade oral dos felinos como as fraturas dentais, tumores ósseos, fratura da sínfise mentoniana e outros.

Para um bom diagnóstico, é de extrema importância que os colegas lembrem mais do exame clínico e radiográfico da cavidade oral dos felinos. Seguem algumas fotos com imagens de patologias diagnosticadas por mim radiograficamente:

Abcesso abdominal.

Este animal chegou a mim com histórico de castração, ainda entrava no cio e o proprietário relatava que sentia uma bola dura no abdome do animal. Foi realizado exame de US abdominal onde foi detectada uma massa com cerca de 11cm de diâmetro. Recomendei uma laparotomia exploratória para diferenciar a massa.

Notar presença de cicatriz abdominal de castração anterior.

Ao abrir a musculatura, essa estrutura literalmente pulou de dentro do abdome.

Divulsão dos tecidos aderidos.

Retirada da massa.

Presença de ovário esquerdo remanescente.

Conteúdo da massa, apenas secreção purulenta.

A cirurgia foi feita com fio de algodão azul. Cuidado na escolha do fio que será usado na sua cirurgia, nesses casos, dê preferência aos fios absorvíveis como o vicril. O algodão possui uma capilaridade muito alta e retém muito líquido, favorecendo o crescimento de bactérias no fio.

Espero poder ter ajudado, aguardo ideias para novos posts e artigos.