Fratura patológica bilateral de mandíbula.

Esse animal chegou à clínica com o seguinte histórico: Proprietário deixou animal na Pet Shop para tomar banho e o animal retornou para casa sem conseguir fechar a boca. Foi solicitado Rx de mandíbula e foi detectada fratura bilateral de mandíbula, possívelmente patológica, segundo radiologista. Foi realizada cirurgia para redução das fraturas com fixador externo, tendo boa coaptação ao final da cirurgia.

Notar as áreas de reabsorção óssea ao redor das raízes.

Intensa presença de tártaro, foi realizado o tratamento periodontal e a extração dos dentes localizados no foco de fratura.

Estabilização das fraturas com fixador externo.

Estabilização da sínfise mentoniana com fio de cerclagem.

Oclusão satisfatória e finalização da cirurgia.

Redução de fratura de epicôndilo lateral.

Esse animal deu entrada na clínica com queixa de claudicação, proprietário relatava que animal havia pulado do terraço e desde então claudicava, quadro havia acontecido 3 dias atrás.

Rx Pré – operatório.

Passagem de dois fios de Kirshiner cruzados para estabilização da fratura.

Corte dos pinos e finalização da cirurgia.

O animal após 45 dias já caminhava apoiando o membro no chão.

Pedi ao proprietário para fazer um novo rx mas ainda não obtive resultado.

 

Aplicação de fixador mini tubular em fratura umeral de felino.

Tenho utilizado bastante esse tipo de fixador na minha rotina de ortopedia com grande índice de sucesso. Utilizo, também, nas fraturas distais de rádio e ulna em cães até 5 Kg de peso. Pode-se utilizar pinos de 1 mm até 2 mm.

Acesso ao foco de fratura.

Aplicação de Hemicerclagem, por ser um fratura em bisel facilitou e redução para aplicação dos pinos.

Colocação do primeiro pino.

Redução da fratura restando apenas a passagem do último pino

Colocação do último pino com boa coaptação da fratura.

Cirurgia finalizada. O aparelho é bem leve e o animal não se incomoda tanto.

Como disse anteriormente, também indico o uso desse fixador  em animais até 5 Kg de peso com bom resultado. Notar animal apoiando o membro normalmente após 60 dias de operado.

Rx pré-operatório.

Rx de controle pós-operatório (60 dias após).

Notar perfeito alinhamento do membro após a retirada do fixador.

Fratura em Galho-verde.

Devido a grande demanda de atendimentos em filhotes resolvi fazer esse post para alertar aos colegas.

Esse animalzinho chegou para mim com histórico de trauma automobilísto, o proprietário passou em cima das patinhas com a roda do carro.

Devemos sempre alertar aos proprietários o cuidado que devem ter com filhotes, pois estes são muito rápidos e somem repentinamente. Sempre ao sair de casa verificar se o animal não está em nenhum local de risco, que ofereça perigo a ele e a outras pessoas ou animais.

Não, ele não está descansando com seu pijaminha verde. Rs

Felizmente esse animal só teve duas fraturas em galho-verde, uma em rádio e a outra em tíbia.

Conseguimos boa estabilidade apenas com uma imobilização e 45 dias após ele já estava correndo pelos corredores da clínica.

Fratura de casco Jabuti.

Procedimento realizado na Clínica Dr. Silvestre.

Jabuti apresentando fratura de casco após mordedura de cão.

Colocação de 2 parafusos coticais, um em cada lado da fratura.

Aproximação com fio de cerclagem e redução da fratura.

Aplicação de metilmetacrilato para fixação da fratura.

Finalização da redução com boa coaptação.

Fratura por projétil de arma de fogo.

Rx pré-operatório

Local de entrada e saída do projetil. Entrada próximo a articulação escápulo-umeral e saída na região do cotovelo.

Abertura do foco de fratura e posicionamento dos fragmentos ósseos.

Redução da fratura com uso de fixador externo. Notar na área de entrada do projetil a área do termonecrose causada na musculatura.

Posicionamento das esquírulas ósseas e fixação com fio de cerclagem.

Finalização da cirurgia.

Rx Pós operatório imediato. Notar que também foi usado um parafuso de compressão para aproximar a esquírula maior.