Colecistectomia (Retirada de vesícula biliar) em cão.

Essa paciente me foi encaminhada pela Clínica Veterinária Recreio com histórico de vômitos persistentes, icterícia, alterações bioquímicas hepáticas graves, ficou internada para tratamento clínico sem melhora significava. Após descartadas possíveis doenças infecciosas, procedeu-se com os exames de imagem e chegamos ao diagnóstico de obstrução de vesícula biliar por microcálculos e presença intensa de lama biliar. Animal então foi encaminhado para retirada cirúrgica da vesícula.

IMG_2143

Campo cirúrgico preparado.

IMG_2137

Incisão de pele.

IMG_2138

Abertura de cavidade abdominal e exploração para localização da vesícula.

IMG_2136

Localização e inicio de dissecção.

IMG_2140

Dissecção concluída e ligadura na base da vesícula.

IMG_2133

Vesícula retirada.

IMG_2142

Presença de diversos microcálculos e secreção muito espessa no interior da vesícula.

Critical Care

Agradecimento aos Doutores Adriano Baldaia, Lucas Santos e José Vinícius Lopes, membros da equipe Critical Care pelo sucesso de mais uma cirurgia.

Retenção de ovos em Jabuti.

Esse Jabuti me foi encaminhado pelos amigos da Clínica Vetrinária Prosilvestres com histórico de prolapso de oviduto e retenção de ovos. Inicialmente reduzimos cirurgicamente o prolapso e depois procedemos a retirada dos ovos. Agradecimento especial aos Veterinários Júlio Arruda, Rafael Nudelman e Loide Machado responsáveis pela clínica.

Abertura de plastrão com serra oscilatória.

IMG_2058

Abertura de cavidade celomática

IMG_2060

Localização e exteriorização dos ovos.

IMG_2055Retirada completa dos ovos.

IMG_2056Fechamento da cavidade celomática.

IMG_2053Recolocação da placa retirada do plastrão e aplcação de resina.

IMG_2057Término da cirurgia com resina já seca.

IMG_2054

Osteossíntese de rádio com placa.

Animal foi encaminhado para a clínica escola com histórico de trauma automobilístico, já havia realizado todos os exames e não apresentava alterações em nenhum deles, exceto o Rx de MAD que revelou fratura total de rádio e ulna. Animal então foi encaminhado para cirurgia, quadro havia ocorrido 48 horas antes.
IMG_1241-2Membro preparado para cirurgia.IMG_1244 Incisão de pele.IMG_1245 Localização do foco de fratura.IMG_1247-2 Fragmentos ósseos localizados.IMG_1251Redução da fratura.IMG_1255 Ensaio da placa.IMG_1258 Colocação dos primeiros parafusos.IMG_1261Cirurgia finalizada. Esqueci de fotografar o RX mas quando colocar as fotos do Rx pós-operatório posto e de antes também.

Hérnia Inguinal por Piometra.

Animal apresentava hérnia inguinal onde nas últimas 48 horas aumentou sensivelmente. Foi realizada US abdominal que diagnosticou piometra, onde o conteudo herniário era o corno uterino. Animal foi encaminhado para a cirurgia.

Animal posicionado em decúbito dorsal.

Incisão mediana realizada.

Retirada do corno uterino direito, notar corno esquerdo ainda dentro da cavidade e em sentido caudal.

Ampliação do campo cirúrgico para acessar região inguinal.

Abertura do saco herniário.

Exposição do conteúdo herniário.

Redução da hérnia e realização da castração.

Fechamento da cavidade abdominal e anel herniário. Foi necessário realizar a mastectomia das mamas inguinais.

Finalização da cirurgia.

Cistotomia em Felino por Obstrução Uretral.

Esse animal chegou a mim encaminhado por uma colega veterinária com o seguinte histórico: Dificuldade em urinar que culminou em obstrução total, intensa hematúria quando ainda conseguia urinar, chegou a mim após 7 dias de tentativas sem sucesso de desobstrução. Foi solicitada US abdominal que revelou presença de uma massa, dentro da bexiga, com ecogenicidade variada sugerindo um coágulo e/ou massa tumoral, intensa hidronefrose em rim esquerdo com dilatação de ureter e rim direito com discreta hidronefrose, presença de líquido livre em cavidade. Foi realizada sondagem com sonda Tom Cat onde não se conseguia passar de determinado segmento da uretra. Recomendei laparotomia exploratória para avaliar possível ruptura de bexiga e avaliação da massa.

Campo cirúrgico preparado

Presença de grande quantidade de líquido em cavidade abdominal.

Bexiga extremamente edemaciada e inflamada mas sem evidências de ruptura.

Incisão na bexiga revelando presença de grande coágulo ocupando toda extensão da bexiga.

Bexiga vazia após retirada de todo conteúdo.

Sutura terminada já com bexiga repleta de soro injetado por sonda uretral, nenhum ponto de vazamento.

Conteúdo retirado da bexiga.

Único cálculo encontrado com aproximadamente 3 mm, estava obstruindo exatamente a saída da uretra, será ele o provocador de tudo isso?

Uretrostomia com ruptura de bexiga por obstrução uretral

Animal foi encaminhado para clínica com o seguinte histórico: Já havia sido operado por outra colega com litíase vesical, cirurgia transcorreu sem problemas, foi indicado à proprietária acompanhamento com exames pós operatórios e dieta com ração de prescrição, a qual não foi seguida. A primeira cirurgia ocorreu 4 meses atrás. Chegou a mim com histórico de não conseguir urinar foi encaminhado para US abdominal onde foi detectada ruptura da vesícula urinária com presença de incontáveis cristais na uretra, então foi encaminhado para cirurgia.

Abertura de pele, notar sutura muscular da cirurgia anterior.

Abertura de cavidade com grande quantidade de líquido abdominal.

Exposição da vesícula urinária extremamente inflamada e friável.

Localização da ruptura e passagem de sonda uretral pela bexiga para localização da uretra.

Realização de orquiectomia com ablação de bolsa escrotal.

Lateralização do músculo retrator do pênis e localização da uretra.

Abertura da uretra e retirada dos cálculos.

Passagem da sonda após desobstrução completa.

Passagem da sonda agora da uretra para bexiga.

Sutura da uretrostomia com pontos simples separados com fio absorvível 3-0  (Poliglactina 910 ).

Sutura da vesícula urinária acompanhando o mesmo padrão da uretra.

Término da cirurgia após exaustiva lavagem da cavidade abdominal com solução salina estéril.

Animal ficou internado por 72 horas após a cirurgia e foi liberado para casa urinando normalmente pela uretrostomia após a retirada da sonda.